Correio de Carajás

Campo de fraudes

Coluna Carlos Mendes

Coluna Carlos Mendes

Carlos Mendes

Foto: Jornalista Vagner Leal do Rosário
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

A operação da Polícia Federal na Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA), realizada ontem em Belém, expôs um esquema de corrupção patrocinado pela Fundação de Apoio à Pesquisa, Extensão e Ensino em Ciências Agrárias (Funpea). O dinheiro público para projetos e pesquisas era transferido pela UFRA à Funpea e desviado. As fraudes foram descobertas em extratos bancários.

Projetos no ralo

A Controladoria-Geral da União (CGU) descobriu, após auditoria, que cerca de R$ 25 milhões foram utilizados num esquema do qual nenhum dos objetos previstos em 16 projetos examinados, entre 2014 e 2018, foi concluído. Pior que isso, sequer foi iniciado. O dinheiro foi parar nas contas de quem deveria zelar pela moralidade pública. Insolvente e prestes a fechar as portas, a Funpea não possui recursos para tocar os projetos que não realizou.

Leia mais:

Ação cautelar

A coluna tem em seu poder documentos que originaram a ação da PF na UFRA. O presidente da Funpea, Carlos Albino Figueiredo de Magalhães, um dos principais envolvidos no esquema, já responde na Justiça Federal a uma ação cautelar de indisponibilidade de bens por ato de improbidade administrativa. Quem ingressou com a ação, representando a UFRA, foi o procurador federal da Advocacia Geral da União (AGU), Paulo Brandão Cavalcanti Neto. E tem coisas pobres no esquema denunciado.

Dispensa de licitação

Lógico que a Funpea fez e aconteceu na UFRA, daí a suspeita da PF de envolvimento de servidores na maracutaia. Mas, um fato chama a atenção: a Funpea foi criada em 1997 e até 2017 era a única fundação a representar a UFRA. Ou seja, todos os recursos públicos provenientes de projetos recebidos pela universidade eram repassados para a Funpea, com dispensa de licitação. E ela se negava a apresentar à AGU documentos sobre o paradeiro das verbas. Sintomático.

Lei antidrogas

Vem mudança por aí no projeto sobre descriminalização do uso de drogas. Uma comissão de juristas criou um texto que moderniza a Lei de Entorpecentes, em vigor desde 2005. Com foco no combate ao tráfico internacional de drogas, o anteprojeto também traz uma clara diferença entre usuário e traficante. Se virar lei, o consumo próprio de até “dez doses” de droga deixará de ser considerado crime.

Uma grama de maconha

Quando o assunto é maconha, o novo projeto diz que a dose certa, para evitar problemas com a lei, seria equivalente a um grama. Há, porém, quem critique esse critério de “doses”. O deputado João Campos, do PRB de Goiás, por exemplo, prefere que a atual Lei de Entorpecentes não seja mexida. E ataca o critério de doses de drogas sob o argumento de que os juízes devem avaliar, além da quantidade, as circunstâncias do local e do momento em que o indivíduo é encontrado com entorpecentes.

_______________________BASTIDORES_______________

* Caso envolvendo a operadora Pró-Saúde, citada em depoimento do corrupto confesso e ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, pode ter reflexos no Pará.

* Ele citou o nome do atual arcebispo do Rio, dom Orani Tempesta, que já chefiou a Igreja Católica no Pará, quando era arcebispo de Belém. O que se diz é que a Pró-Saúde fez coisas com o dinheiro recebido do governo estadual que até Deus duvida.

* Corre, à boca pequena, que de uma tacada só, R$ 30 milhões foram recebidos por serviços que sequer foram prestados pela Pró-Saúde, durante o governo Jatene.

* No Tribunal de Contas do Estado (TCE), farta documentação dorme sono profundo em uma gaveta de conselheiro. Não se sabe à espera de quê, mas a investigação não anda.

* A Polícia Federal também já entrou no circuito, assim como o Ministério Público Federal (MPF). Talvez, diante dessa informação, haja vontade na tomada de providências para apurar o escândalo.

* Por falar em Jatene, o ex-governador perdeu a força política que tinha quando estava no poder. O prefeito de Ananindeua, Manoel Pioneiro, vai comandar o PSDB estadual.

* Jatene não queria Pioneiro. Agora, terá de aceitá-lo. Ou arrumar outro partido para liderar.

Comentários
Prejuízos em Ulianópolis

Prejuízos em Ulianópolis

Proprietários de imóveis localizados no município de Ulianópolis não conseguem entender a estranha decisão do Tribunal de Justiça do Pará.…
Tortura em presídio

Tortura em presídio

É possível controlar presos ligados ao crime organizado que implantam o terror dentro de penitenciárias? A resposta é: sim. Com…
Queimadas e negócios

Queimadas e negócios

As operações militares em várias regiões da Amazônia – como as que ocorrem em São Félix do Xingu, Altamira e…
Nero amazônico

Nero amazônico

Nero amazônico Há um tipo de incendiário na Amazônia que, como um Nero das antigas, adora ver o circo florestal…
Preço de terras

Preço de terras

Preço de terras (1) Uma fonte de recursos importante para as prefeituras, nesta época de vacas magras nas finanças, não…
Reeleição à esquerda

Reeleição à esquerda

Reeleição à esquerda (1) O reitor da Universidade Federal do Pará (UFPA), Emannuel Tourinho, conseguiu emplacar na superintendência da Empresa…