Correio de Carajás

Selecionando a Seleção

Na Resenha

Na Resenha

Chagas Filho

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Entre mortos e feridos, todos se salvaram: os jogadores da Seleção Brasileira vão disputar a Copa América, estão fechados com o treinador Tite e o torneio servirá de preparação para a Copa do Mundo. Aliás, os dois últimos jogos pelas eliminatórias também serviram de preparação para a Copa do Catar e teve gente que se deu muito bem. Vamos analisar?

 

Em alta

Leia mais:

Lucas Paquetá somou pontos, não apenas pelo gol na vitória contra o Paraguai, mas também pela versatilidade apresentada, mostrando que pode ser útil em mais de uma função no meio campo. Outo que se deu muitíssimo bem foi Richarlison. Atenção para o alerta de piada ruim: o “Pombo”, como é chamado, alçou voos mais altos com um gol e muita efetividade.

 

Em baixa

Everton Ribeiro, como era de se esperar, nem entrou. Aliás, ele foi convocado porque Tite respeitou sua última atuação pela Seleção Brasileira, mas isso foi em novembro. Já estamos em junho e ele não vive seu melhor momento. Parece que o Tite congelou o desempenho do meiocampista do Flamengo. Outro que também está em baixa é Douglas Luiz. Convocado mesmo estando suspenso, ele não foi utilizado no último jogo, um sinal de que Tite queria ver Casemiro (absoluto), junto com Fred e Paquetá atuando por mais tempo.

 

Incógnita

Gabigol continua sendo uma incógnita: não jogou tão mal, mas também não fez gol. Definitivamente ainda não é possível dizer ainda se o melhor atacante em atividade no Brasil servirá para a Seleção Brasileira. Por outro lado, pesa a favor de Gabigol o fato de que Gabriel Jesus e Firmino também não está lá essa Coca-Cola toda. Ambos foram muito discretos. G. Jesus ainda participou mais, tentou dribles, ajudou na recomposição. Já o Firmino (meu Deus!), na partida contra o Paraguai, não fez nada que justificasse ter calçado as chuteiras.

 

Por fora

Everton Cebolinha e Vinícius Júnior não chegaram nem a jogar, o que me leva a entender que, neste momento, os dois correm por fora.

Olho neles!

Na Seleção Olímpica, tem gente que pode comer a boia de jogadores da Seleção principal. Pedro e Claudinho deitaram nos amistosos e não é só isso: os dois têm características que se encaixam no time de Tite, até para variar a forma de jogar. Senão vejamos, o Brasil não tem um homem de área que joga entre os zagueiros, que faz parede, enfim, um centroavante raiz. Pedro é único no atual momento. Da mesma forma, o elenco de Tite não tem um meia clássico. Temos apenas bons volantes e jogadores de lado de campo. Tanto é verdade que Neymar é quem arma o jogo. Claudinho é um “10”.

 

Saideira!

O pobre do 4 de Julho foi cutucar a onça com vara curta e deu no que deu: uma sonora goleada de 9×1 para o São Paulo. Salve o Tricolor Paulista!

 

Comentários
Marabazão

Marabazão

O Campeonato Marabaense, versão 2021, tem tudo para ser um dos melhores dos últimos anos. Premiação boa, jogos de alta…
O Rei se recupera

O Rei se recupera

Kely Nascimento, filha de Pelé, publicou nesta segunda-feira (13) uma foto do pai no hospital e tranquilizou os fãs: disse…
Casão detona Dani

Casão detona Dani

“A contratação do Daniel Alves foi o pior negócio que o São Paulo fez nos últimos anos, porque criou uma…
Chamon emocionado

Chamon emocionado

Presente à cerimônia de abertura do Campeonato Marabaense, no Estádio Zinho Oliveira, o secretário de governo do Sul e Sudeste…
Tá tudo errado!

Tá tudo errado!

Sobre o episódio dantesco do não-jogo entre Brasil e Argentina, já tirei minhas conclusões. O erro inicial partiu da Conmebol,…
Zinho Oliveira

Zinho Oliveira

Foi bom demais voltar ao Zinho Oliveira. A última vez que tinha ido lá foi no dia 21 de abril,…