Correio de Carajás

Caixa não paga DPVAT em Marabá, diz advogado

O seguro DPVAT foi criado para indenizar vítimas de acidentes de trânsito/Foto: Evangelista Rocha
O seguro DPVAT foi criado para indenizar vítimas de acidentes de trânsito/Foto: Evangelista Rocha
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Desde que o seguro passou a ser gerenciado pela Caixa Econômica, ninguém conseguiu mais receber em Marabá. Caixa diz que é preciso analisar caso a caso.

Desde que a Caixa Econômica Federal (CEF) passou ser responsável pelos processos do seguro DPVAT – Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores – as pessoas que requerem o recebimento desse direito têm encontrado enormes dificuldades para receber o dinheiro. Para se ter uma ideia, em Marabá, este ano, a Caixa ainda não pagou nenhum DPVAT. Quem denuncia é o advogado Diego Adriano Freires, que atua em processos relativos ao recebimento do seguro.

Segundo ele, até 2020 os processos do DPVAT ficavam sob a tutela de um conglomerado de seguradoras, mas por decisão do governo federal a CEF foi incumbida de conduzir os processos. Acontece, porém, que esse é um produto novo para o qual o banco estatal não está devidamente pronto para gerenciar.

“Hoje em Marabá as três agências da Caixa Econômica não têm pessoas com capacidade para lidar com essa ferramenta e isso tem prejudicado imensamente a população marabaense, de maneira geral. A Caixa não tem funcionários, não sabe lidar com o produto, são diversas reclamações”, denuncia o advogado.

Leia mais:

Ainda de acordo com ele, a Caixa apostou na tecnologia com uso de aplicativo para atender às pessoas que querem receber o DPVAT, o que é uma iniciativa boa, mas o banco se esqueceu de um detalhe. “No Brasil há 46 milhões de pessoas que não têm smartphone, então as pessoas encontram dificuldade, é uma barreira muito grande”, reafirma Diego Freires.

Advogado Diego Freires desafia Caixa a apresentar alguém que tenha recebido o DPVAT/ Foto: Evangelista
Advogado Diego Freires desafia Caixa a apresentar alguém que tenha recebido o DPVAT/ Foto: Evangelista

“Nós fazemos até um desafio pra Caixa: se tiver alguém indenizado por seguro DPVAT em Marabá, que ela apresente, porque são diversas reclamações sobre esse atendimento”, desafia o advogado, ao acrescentar que um levantamento feito entre janeiro e maio deste ano mostra que, no Brasil, mais de 9 mil beneficiários em casos de óbitos estão sem receber a mais de 100 dias da data do pedido na Caixa. Além disso, existem mais de 25 mil processos de pessoas que sofreram fraturas e também não receberam o seguro.

Entre as pessoas que ainda aguardam pelo DPVAT a autônoma Milena Ferreira. No dia 28 de janeiro um acidente tirou a vida do pai do filho dela, o músico Elielson Pereira Fernandes, mais conhecido como Liel Fernandes. De lá para cá, ela vem tentando receber o seguro e nada. Segundo Milena, os entraves burocráticos têm sido grandes e a cobrança por vários documentos cansa quem precisa do recurso. “É um direito, é um direito nosso”, reclama.

Milena Ferreira está indignada com a situação: “É um direito nosso”/Foto: Diego Costa/TV Correio
Milena Ferreira está indignada com a situação: “É um direito nosso”/Foto: Diego Costa/TV Correio

O CORREIO entrou em contato com a assessoria de Comunicação da Caixa Econômica, em Belém, e a resposta que foi dada é que é necessário fornecer os nomes e CPFs das pessoas que estão reclamando da demora do recebimento do DPVAT para que a agência pesquise caso a caso, para saber a situação de cada processo. (Chagas Filho)

Comentários

Mais

Bolsonaro faz 'motociata' em SP ao lado de apoiadores

Bolsonaro faz 'motociata' em SP ao lado de apoiadores

O presidente Jair Bolsonaro está em passeata pela cidade de São Paulo, em manifestação organizada por integrantes de clubes de…
Aos 80 anos, morre o ex-vice-presidente Marco Maciel

Aos 80 anos, morre o ex-vice-presidente Marco Maciel

Morreu neste sábado (12), aos 80 anos, o ex-vice-presidente da República Marco Maciel. Segundo o genro do político, Joel Braga,…
Capacitação de profissionais é aposta para combater trabalho infantil

Capacitação de profissionais é aposta para combater trabalho infantil

No lugar da boneca e do carrinho, a enxada e a vassoura. No lugar do tempo para estudo e descanso,…
Casal passou a morar junto e construiu sua “família”

Casal passou a morar junto e construiu sua “família”

  A história de Juliana Milhomem e Victoria Kaline é semelhante à de Polyana e Amanda. Ambas se conheceram em…
Mulheres que são felizes com outras mulheres

Mulheres que são felizes com outras mulheres

“Consideramos justa toda forma de amor”. Parafraseando Lulu Santos, começamos essa história com o trecho da emblemática música “Toda forma…
Namoro que floresce no meio na pandemia

Namoro que floresce no meio na pandemia

Sílvia e Moisés e se tornaram amigos inseparáveis, contavam tudo um para o outro, até se ajudaram a ficar com…