Mudança de comando

[pro_ad_display_adzone id="528"]

Já começaram as movimentações nos comandos das unidades do Exército em todo o País. A 23ª Brigada de Infantaria de Selva está na lista, com o fim do período de comando do general Eugênio Pacelli Vieira Mota. Em abril, logo após o aniversário de Marabá, ele passa a missão ao colega general de Brigada Carlos Henrique Teche. Pacelli foi designado para assumir a Diretoria de Fiscalização de Produtos Controlados, órgão do Comando Logístico, no Quartel General, em Brasília.

Correio FM

Presença certa nas tardes do marabaense, no comando do Estação 92 e Frequência Máxima, na Correio FM, o comunicador Leverson Oliveira está de férias e só volta a comandar o estúdio em abril. Na vacância dele, assume os microfones o colega Christian Silva. Cabe a ele, também, o cuidado com o Levada do Brega, atração do final de tarde no sábado.

Muita água!

O noticiário nacional mostrou ontem, a valer, o piscinão em que se transformou a capital de São Paulo diante das fortes chuvas. Mas aqui não foi diferente: Belém também teve muita confusão nas últimas horas. “Troco meu carro por uma rabeta para navegar pelas ruas de Belém do Pará!”, ironizava ontem com uma postagem a jornalista Franssinete Florenzano. Segundo ela, ontem à tarde, com a maré alta e a chuva intensa que desabou sobre a cidade, o trânsito virou o caos total. “Trafeguei no Reduto e Umarizal com a água na altura da porta”, complementou.

De cara nova

No dia 7 de março foi finalizada a pintura Sacra nas paredes internas da Igreja São Félix de Valois. O trabalho ficou primoroso.

Novo pároco

A posse do padre Ademir Gramelik como novo titular da Paróquia São Félix de Valois já tem data. Será na missa de 17 de março, às 19h30, na Catedral Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. O bispo dom Vital Corbellini presidirá o ato. Gramelik já celebrou as missas do último domingo naquela comunidade.

Passa bem

O comerciante Washington Luiz de Oliveira Milhomem, que no último dia 8 de março se jogou da ponte do Rio Itacaiúnas, não corre mais risco de morte. O seu ferimento mais incômodo foi uma luxação no pulso de uma das mãos. No mais, os exames não indicaram qualquer fratura, após a queda de 30 metros. Um milagre. Ele segue internado, no entanto, na ala psiquiátrica do HMM, após aceitar passar por tratamento. Segundo a família, ele vinha enfrentando quadro de depressão.

[pro_ad_display_adzone id="530"]