Correio de Carajás

Registro de AIDS aumenta cerca de 15% entre idosos no Pará, afirma Ministério da Saúde

Registro de AIDS aumenta cerca de 15% entre idosos no Pará, afirma Ministério da Saúde — Foto: Reprodução/EPTV
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
3 Visualizações

“Até hoje eu ainda não acredito que eu tenho isso”. O idoso de 64 anos que pediu para não ser identificado acaba de descobrir que tem HIV. Dados do Ministério da Saúde mostram um crescimento de 21,2% no índice de mulheres e de 13,7% de homens acima dos 60 que vivem no Pará e contraíram o vírus precursor da AIDS.

Na ONG Paravidda, referência na orientação e pessoas com o vírus, o número de idosos atendidos tem crescido. Explica Jair Santos, presidente da ONG que atende mais de 1500 pessoas atualmente.

A falta de diálogo sobre o sexo após os 60 anos dificulta a prevenção contra as Infecções Sexualmente Transmissíveis para quem chegou a “melhor idade”. Uma pesquisa na Universidade Federal do Pará (UFPA) levou em consideração o conceito de “letramento em saúde” para tentar entender o aumento deste índice nos últimos anos.

Leia mais:

Para a enfermeira que acaba de concluir a dissertação de mestrado há informações e campanhas preventivas, mas os idosos nem sempre entendem estes dados ou usam a informação que chega até eles. “Diante dos casos a gente se perguntou: ‘por que será?, será que tá faltando campanha pro idoso? Será que a campanha tá atingido ele, será que ele tá entendendo a campanha?’”, explica Alexandra Pompeu.

Ela entrevistou mais de 170 idosos de 60 a 90 anos que vivem em um bairro periférico de Belém. Pessoas que ganham certa de um salário mínimo e que estão “disponíveis” afetivamente, ou seja, a maioria disse ser solteira, viúva, separada ou vive só.

Entre eles, muitos alegaram não saber como usar preservativo, não entendem a diferença entre HIV e AIDS e também têm dúvidas sobre como se contrai o vírus. Alguns chegaram a afirmar que o HIV pode ser contraído por beijos e abraços, quando apenas pode ser transmitido por relações sexuais e transfusões de sangue.

“Hoje tem a longevidade, os grupos de passeio, bailes, fala de produtos vendidos em farmácia, estimulantes sexuais. O vovô tá namorando, conhecendo novas pessoas, sem falar sobre sexo é difícil prevenir o HIV entre eles”, acredita a pesquisadora. (G1/Pa)


Comentários

Mais

Brasil deve receber mais de 842 mil doses da vacina da Pfizer em junho

Brasil deve receber mais de 842 mil doses da vacina da Pfizer em junho

O Brasil vai receber 842.400 doses da vacina da farmacêutica Pfizer/BioNTech contra a covid-19. A informação foi dada pelos coordenadores…
Fórum discute desafios à garantia de direitos da pessoa idosa

Fórum discute desafios à garantia de direitos da pessoa idosa

Teve início hoje (13) o 1º Fórum Nacional da Pessoa Idosa. O evento, organizado pelo Ministério da Mulher, Família e…
Psicóloga orienta pais a ouvirem e validarem queixas dos filhos

Psicóloga orienta pais a ouvirem e validarem queixas dos filhos

Depois de todo o país se chocar com a morte do menino Henry, de 4 anos, no Rio de Janeiro,…
Sexta edição do FIA Cinefront estreia em plataforma de streaming nesta quinta

Sexta edição do FIA Cinefront estreia em plataforma de streaming nesta quinta

Com exibição em plataforma de streaming própria, a abertura oficial do 6º Festival Internacional Amazônida de Cinema de Fronteira, o…
Filhote de onça preta é resgatado em Novo Progresso

Filhote de onça preta é resgatado em Novo Progresso

Moradores de Novo Progresso, sudoeste do Pará, resgataram um filhote de onça preta. De acordo com testemunhas, o animal estava…
Inflação acelera para todas as faixas de renda em março, diz Ipea

Inflação acelera para todas as faixas de renda em março, diz Ipea

Pelo segundo mês consecutivo, o Indicador Ipea de Inflação por Faixa de Renda registrou, em março, alta da taxa para…