Correio de Carajás

População sofre golpes na internet

Golpes estão cada vez mais comuns em sites de anúncios, conforme vem sendo apurado pela polícia/ Foto: Evangelista Rocha
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Mais de R$ 300 mil em prejuízos. É o que estima a Polícia Civil de Parauapebas que pessoas da cidade já tenham contabilizado em decorrência de golpes aplicados pela internet. Segundo o Delegado Felipe Oliveira, da 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil, nos últimos seis meses os estelionatários estão aplicando golpes relacionados a venda de veículos automotores, através de sites de classificados.

Os estelionatários copiam um anúncio verdadeiro, de sites de classificados como OLX, Mercado Livre e similares, colocando o preço do carro, moto ou caminhão abaixo do valor de mercado, o chama a atenção de compradores em potencial.

Depois, entram em contato por WhatsApp ou ligação telefônica, normalmente utilizando números de outras cidades, com DDDs diversos, tanto com o real anunciante, quanto com o interessado em comprar o bem, mantendo em erro ambas as partes do negócio, até que conseguem que o comprador realize a transferência bancária referente ao valor do veículo para determinada conta, enviando logo em seguida um comprovante de TED, DOC ou Depósito falso para o vendedor.

Leia mais:

Nesta oportunidade, o vendedor entrega o bem para o comprador ou, às vezes, nem chega a entregar, entretanto o adquirente já realizou a transferência bancária para o falsário e este envia para o vendedor um comprovante de depósito falso, com a pretensão de fazer duas vítimas da versão moderna do ‘conto do vigário’.

O modo de agir dos estelionatários é sempre o mesmo: ofertam carros em grandes sites, sempre em valores abaixo dos de mercado, negociam por meio do WhatsApp, conversas pela internet e celulares pré-pagos. Os perfis e números dos telefones são apagados no instante que o dinheiro da vítima cai na conta dos criminosos.

VÍTIMAS

Uma das vítimas mais recentes é um homem de 33 anos, que perdeu R$ 6 mil ao tentar comprar uma motocicleta Honda Biz, ano 2015. As partes até chegaram a ir ao cartório, onde preencheram o recibo de compra e venda e reconheceram firma, mas a proprietária, uma mulher de 24 anos, não chegou a entregar o bem, pois notou que o comprovante de TED que lhe foi enviado pelo estelionatário era falso, já que o valor não creditava em sua conta.

A mulher conta que anunciou a Honda BIZ, no site OLX, por R$ 8.500,00. Um golpista, que se apresentou como Dr. Roberto, teria copiou as informações e fotos, fazendo um anúncio idêntico, no mesmo site, mas oferecendo o veículo por R$ 6.500,00.

Ao ver a moto anunciada por preço atrativo, o comprador iniciou a negociação. O estelionatário mandou o interessado ir até o local de trabalho da proprietária, dizendo que ele era o seu cunhado, para conhecer melhor a moto. Para não levantar suspeitas, pediu ao comprador não falar em valores, pois a negociação seria feita apenas com ele.

Depois de ver a moto, o comprador voltou a ligar para o golpista e pechinchou para fechar o negócio. Conseguiu baixar para R$ 6 mil. O estelionatário, então, deu as instruções para a vítima fazer a transferência do dinheiro, numa conta bancária em nome de outra pessoa, em uma agência bancário do estado de Mato Grosso.

Para a polícia, a proprietária da moto deu a versão de que o estelionatário entrou em contato com ela, dizendo ter feito um TED no valor de R$ 8.200, preço próximo ao anunciado. Para convencer, mandou, via Whatsapp, uma foto do suposto comprovante.

O referido golpe tem se tornado rotina em Parauapebas e em várias cidades brasileiras. O delegado orienta que os interessados em adquirir e vender produtos pela internet tenham cautela, dando dicas de como proceder, a fim de evitar caírem na lábia dos golpistas.

Felipe aconselha aos interessados em comprar veículos usados que chequem tudo, desde o nome do vendedor, numeração do chassi e Renavam, junto ao Detran. “O prudente é sempre fazer uma pesquisa dos dados do veículo. Procurar pagar em contas bancárias preferencialmente em nome do proprietário do bem. Desconfiar de números telefônicos com DDD de localidades diversas, bem como de contas bancárias de outras cidades”, aconselha.

Confira dicas para evitar golpe

– Nunca fechar negociação só por telefone ou WhatsApp. Exija a presença do vendedor e contato com o bem;

– Cheque informações sobre o vendedor para verificar a idoneidade dele;

– Duvide de ofertas abaixo do valor de mercado;

– Desconfie de pedidos de depósito em contas bancárias de outros Estados ou cidades;

– Desconfie de números telefônicos com DDDs de outras localidades;

– Alerte-se quando o vendedor pedir depósito em nome de outra pessoa.

 

(Reportagem: Ronaldo Modesto)

Mais

Filhote de jacaré surge em bueiro aberto na Folha 6

Filhote de jacaré surge em bueiro aberto na Folha 6

Um morador nada comum deu o “ar da graça” e surpreendeu a população da Folha 6. Um filhote de jacaré…
Tião Miranda publica Nota de Repúdio por pichação em sua residência

Tião Miranda publica Nota de Repúdio por pichação em sua residência

O prefeito Tião Miranda publicou, no final da tarde desta quinta-feira, 13, uma Nota de Repúdio contra manifestações de sindicalistas…
Pará recebe a maior remessa de vacinas contra Covid-19, com mais de 350 mil doses

Pará recebe a maior remessa de vacinas contra Covid-19, com mais de 350 mil doses

O Pará recebeu, na tarde desta quinta-feira (13), a maior remessa de doses de vacinas contra Covid-19,  com um total…
Descontos de IPVA para finais de placa 76 a 96 vão até 17 de maio

Descontos de IPVA para finais de placa 76 a 96 vão até 17 de maio

Os proprietários de veículos com final de placas 76 a 96 poderão pagar o Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores…
Exposição homoerótica é cancelada em Belém e ecoa censura a 'Queermuseu'

Exposição homoerótica é cancelada em Belém e ecoa censura a 'Queermuseu'

Selecionada por um edital do Banco da Amazônia, a exposição “Suaves Brutalidades”, de Henrique Montagne Figueira, tinha um vernissage virtual…
Ataques armados a indígenas contrários à mineração ilegal podem se repetir no Pará, alerta MPF

Ataques armados a indígenas contrários à mineração ilegal podem se repetir no Pará, alerta MPF

O Ministério Público Federal (MPF) decidiu na terça-feira (11) solicitar a órgãos públicos a tomada de medidas para evitar que…