Correio de Carajás

Polo Moveleiro recebe primeira remessa de madeira doada pela Vale

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

No final da tarde de ontem, quarta-feira (5), a Cooperativa da Indústria Moveleira e Serradores de Parauapebas (Coopmasp) recebeu o primeiro carregamento da madeira legal doada pela mineradora Vale ao Polo Moveleiro de Parauapebas. A doação é fruto do acordo firmado na última terça-feira (4) entre a Vale e a Coopmasp.

A madeira é extraída da área de supressão da Vale do Projeto S11D, em Canaã dos Carajás. Todo processo para retirada dessa madeira é acompanhado e recebe todas as licenças ambientais necessárias, segundo a Vale.

Segundo diretor de Ferrosos Norte da Vale, Antonio Padovesi, a mineradora conta com 411 mil hectares de áreas preservadas enquanto a exploração minerária ocupa 10 mil hectares. “Nós estamos falando de um impacto de 2,5% sobre o que é protegido”, observou ele, garantindo que a empresa pode fazer novos acordos, de longo prazo, desde que apresentem resultados ambiental, econômico e social.

Leia mais:

O termo de cooperação com a mineradora Vale tem por objetivo revitalizar o Polo Moveleiro. A parceria, feito através da Secretaria Municipal de Desenvolvimento, tem ainda a parceria da Câmara de Vereadores, Assembleia Legislativa, Instituto Chico Mendes da Biodiversidade (ICMBio) e a Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas).

O termo de cooperação é uma luta de mais de duas décadas dos moveleiros e serralheiros e saiu do papel graças ao esforço de todos os entes envolvido. Essa parceria possibilita a doação de madeira retiradas de áreas de supressão vegetal dos projetos da Vale para a Coopmasp.

O objetivo do projeto, que é piloto nessa área, é fomentar a diversidade econômica de Parauapebas e região. A expectativa é que sejam gerados 400 novos empregos nas 85 movelarias instaladas no Polo Moveleiro. No total, serão repassados 2 mil metros cúbicos de toras de madeira legal ao projeto. O convênio estabelece que a madeira, de espécies variadas, após retirada da área da Vale, será de inteira responsabilidade da Coopmasp, incluindo o beneficiamento e o repasse às empresas moveleiras legalizadas.

Durante a assinatura do acordo, o prefeito Darci Lermen (PMDB) parabenizou os moveleiros por terem “insistido e persistido” em manter vivo o polo mesmo diante das muitas dificuldades e da falta de incentivos, que, por muito pouco, não decretaram o fechamento do local, que em novembro deste ano irá completar 20 anos de existência. Com o recebimento da madeira, os moveleiros terão matéria-prima para trabalhar mais duas décadas.

O secretário municipal de Desenvolvimento, Isaias Queiroz, informou que outras medidas serão adotadas em breve, por parte da prefeitura, para dá mais estrutura ao Polo Moveleiro. Entre eles estão o cercamento da área ponde fica a serraria comunitária do Polo, aumentar a segurança da área, com a colocação de luminárias nos postes, rondas através da Guarda Municipal e colocação de câmeras de monitoramento eletrônico.

Comemorando a conquista, o presidente da Coopmasp, Sérgio Ferreira, anunciou que haverá queda no preço dos móveis produzidos pelo polo com o recebimento dessa matéria prima. “Vai ser tanta madeira, que não tem jeito: vai baixar o preço. E nossa missão é manter a qualidade, a sustentabilidade e, acima de tudo, a legalidade”, comemorou.

O acordo trouxe alívio e novas perspectivas para quem trabalha no Polo. O marceneiro Francisco Silva, que veio de Caxias (MA) em busca de novas oportunidades em Parauapebas, diz que agora está mais seguro no emprego, com a fomentação do setor no município. 

(Tina Santos)

No final da tarde de ontem, quarta-feira (5), a Cooperativa da Indústria Moveleira e Serradores de Parauapebas (Coopmasp) recebeu o primeiro carregamento da madeira legal doada pela mineradora Vale ao Polo Moveleiro de Parauapebas. A doação é fruto do acordo firmado na última terça-feira (4) entre a Vale e a Coopmasp.

A madeira é extraída da área de supressão da Vale do Projeto S11D, em Canaã dos Carajás. Todo processo para retirada dessa madeira é acompanhado e recebe todas as licenças ambientais necessárias, segundo a Vale.

Segundo diretor de Ferrosos Norte da Vale, Antonio Padovesi, a mineradora conta com 411 mil hectares de áreas preservadas enquanto a exploração minerária ocupa 10 mil hectares. “Nós estamos falando de um impacto de 2,5% sobre o que é protegido”, observou ele, garantindo que a empresa pode fazer novos acordos, de longo prazo, desde que apresentem resultados ambiental, econômico e social.

O termo de cooperação com a mineradora Vale tem por objetivo revitalizar o Polo Moveleiro. A parceria, feito através da Secretaria Municipal de Desenvolvimento, tem ainda a parceria da Câmara de Vereadores, Assembleia Legislativa, Instituto Chico Mendes da Biodiversidade (ICMBio) e a Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas).

O termo de cooperação é uma luta de mais de duas décadas dos moveleiros e serralheiros e saiu do papel graças ao esforço de todos os entes envolvido. Essa parceria possibilita a doação de madeira retiradas de áreas de supressão vegetal dos projetos da Vale para a Coopmasp.

O objetivo do projeto, que é piloto nessa área, é fomentar a diversidade econômica de Parauapebas e região. A expectativa é que sejam gerados 400 novos empregos nas 85 movelarias instaladas no Polo Moveleiro. No total, serão repassados 2 mil metros cúbicos de toras de madeira legal ao projeto. O convênio estabelece que a madeira, de espécies variadas, após retirada da área da Vale, será de inteira responsabilidade da Coopmasp, incluindo o beneficiamento e o repasse às empresas moveleiras legalizadas.

Durante a assinatura do acordo, o prefeito Darci Lermen (PMDB) parabenizou os moveleiros por terem “insistido e persistido” em manter vivo o polo mesmo diante das muitas dificuldades e da falta de incentivos, que, por muito pouco, não decretaram o fechamento do local, que em novembro deste ano irá completar 20 anos de existência. Com o recebimento da madeira, os moveleiros terão matéria-prima para trabalhar mais duas décadas.

O secretário municipal de Desenvolvimento, Isaias Queiroz, informou que outras medidas serão adotadas em breve, por parte da prefeitura, para dá mais estrutura ao Polo Moveleiro. Entre eles estão o cercamento da área ponde fica a serraria comunitária do Polo, aumentar a segurança da área, com a colocação de luminárias nos postes, rondas através da Guarda Municipal e colocação de câmeras de monitoramento eletrônico.

Comemorando a conquista, o presidente da Coopmasp, Sérgio Ferreira, anunciou que haverá queda no preço dos móveis produzidos pelo polo com o recebimento dessa matéria prima. “Vai ser tanta madeira, que não tem jeito: vai baixar o preço. E nossa missão é manter a qualidade, a sustentabilidade e, acima de tudo, a legalidade”, comemorou.

O acordo trouxe alívio e novas perspectivas para quem trabalha no Polo. O marceneiro Francisco Silva, que veio de Caxias (MA) em busca de novas oportunidades em Parauapebas, diz que agora está mais seguro no emprego, com a fomentação do setor no município. 

(Tina Santos)

Comentários

Mais

Pandemia e isolamento aumentam procura por cultivo de plantas em casa

Pandemia e isolamento aumentam procura por cultivo de plantas em casa

Em isolamento social, as pessoas tendem a sentir falta de sair e do contato com a natureza, por isso, ter…
Mundo chega a 3 milhões de mortes por Covid com piora da pandemia na América do Sul

Mundo chega a 3 milhões de mortes por Covid com piora da pandemia na América do Sul

O mundo chegou neste sábado (17) à triste marca de 3 milhões de mortes causadas pela Covid-19, em meio à…
Pará gera mais de 3 mil postos formais de trabalho no setor de serviços

Pará gera mais de 3 mil postos formais de trabalho no setor de serviços

“Eu atuo no ramo de eventos, sou segurança, e em meio à pandemia o nosso trabalho parou. Atualmente, a banda…
Novo estudo descarta elo entre tipo sanguíneo e a incidência de Covid

Novo estudo descarta elo entre tipo sanguíneo e a incidência de Covid

Uma investigação feita com mais de 100 mil pessoas nos Estados Unidos demonstrou que não há relação entre o tipo sanguíneo…
Pequeno ouvinte da Correio FM é premiado com bolo de aniversário

Pequeno ouvinte da Correio FM é premiado com bolo de aniversário

O garoto Angelo Miguel, pequeno ouvinte da nossa rádio, foi o grande ganhador da Promoção Aniversariante do Mês da Correio…
Coronafobia: transtornos compulsivos e de ansiedade por conta da pandemia

Coronafobia: transtornos compulsivos e de ansiedade por conta da pandemia

Há um ano que todo o Brasil vem enfrentando a pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Sentimentos como incerteza e ansiedade…