Correio de Carajás

Polícia Militar de Parauapebas é a que mais prende no Pará

Foto: Arquivo/Correio de Carajás
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

23º Batalhão da Polícia Militar realizou 2.353 apresentações de criminosos em 2020, maior número do estado do Pará

Desde a chegada do tenente-coronel Gledson Santos ao comando da 23º Batalhão da Polícia Militar, em Parauapebas, em janeiro de 2019, a unidade se tornou referência em âmbito estadual. O líder da polícia no município comemora os bons números e exalta os agentes no combate à criminalidade, principalmente contra o tráfico de drogas.

Em 2019 o 23º BPM conduziu 2.714 pessoas à 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil de Parauapebas, maior número em todo o estado do Pará. O número superou por mais de 500 apresentações o 33º BPM, de Bragança.

Em 2020 a história se repetiu e o 23º BPM chegou às 2.353 apresentações, liderando o estado mais uma vez. O segundo lugar ficou com o 15º BPM, de Itaituba, que realizou 1.507 apresentações de suspeitos de crimes, mais de 800 a menos que os militares de Parauapebas.

Leia mais:

Em entrevista ao Portal Correio de Carajás, o comandante afirmou que um dos principais motivos de Parauapebas ser há dois anos líder no número de conduções de criminosos no estado é o comprometimento do batalhão com a função da polícia, não dando margem para a corrupção.

“Esses números refletem o índice de corrupção entre os agentes de segurança. O número de cidadãos apresentados pela tropa é sinal de que ‘o jeitinho brasileiro’ de se escapar da prisão, através de troca de favores, não existe por aqui, e se existe não tenho conhecimento. Isso mostra o grau de profissionalismo e capacidade técnica”, comentou, ao exaltar a honestidade e comprometimento dos servidores.

Comandante Gledson Santos exaltou alta capacidade técnica dos servidores do 23º BPM/Foto: Ronaldo Modesto
Comandante Gledson Santos exaltou alta capacidade técnica dos servidores do 23º BPM/Foto: Ronaldo Modesto

COMBATE AO TRÁFICO

O tenente-coronel também comentou que o número de apresentações em 2021 é grande, visto o aumento da ação de organizações criminosas em Parauapebas. O combate ao tráfico de drogas tem se tornado ponto focal das ações do 23º BPM e o oficial comentou as situações que atraíram um contingente de criminosos ao município que, segundo o comandante, possui peculiaridades que justificam essa atração.

“Somos um município diferenciado em questão de valores; aqui a população flutuante é muito grande e esse desenvolvimento municipal chama muitos malfeitores, que sabem que o fluxo de dinheiro por aqui é intenso. Estes malfeitores vêm para cá cometer crimes, e nossa tropa está ciente dessas peculiaridades de Parauapebas”, declarou Gledson Santos, relacionando o tráfico de drogas com outros crimes como homicídios, assaltos e furtos.

Desde a chegada dele ao 23º BPM, foi evidenciado um significante aumento na quantidade de entorpecentes apreendidos: foram apenas 2,64 quilos de drogas retidas pela PM em 2018. Este número saltou para 80,43 quilos em 2019, início da gestão do comandante em Parauapebas, e se manteve em alta em 2020, quando foram 56,98 quilos apreendidos.

O tenente-coronel comentou sobre a Operação Polícia Mais Forte, que tem o intuito de intensificar o policiamento nos bairros onde a PM reconhece maior fluxo de crimes entre 18h e 23h. “São cinco viaturas que, nesse horário, se deslocam aos bairros, seguindo um planejamento. Explicamos para a tropa porque ela está naquele local, para que nossos agentes tenham ciência da importância deles na diminuição desses índices [de criminalidade]”, explicou.

Por fim, também exaltou o trabalho preventivo realizado pelo 23º BPM no combate aos assaltos à bancos, ocorrência que não foi registrada no município desde que ele assumiu o comando do batalhão.

“Temos pontos sensíveis em relação à de quadrilhas que atentam contra bancos. Contamos com o esforço e a inteligência da tropa, e quando temos um informe de movimentação de quadrilha, chegamos a esses pontos sensíveis, em Eldorado do Carajás e Canaã dos Carajás, onde esses meliantes costumam iniciar o trabalho. Nesse momento, o Grupo Tático Operacional (GTO) e a Ronda Ostensiva Com Apoio de Motocicletas (ROCAM) são deslocados para fazer o trabalho de prevenção”, explicou. (Juliano Corrêa – com informações de Ronaldo Modesto)

Comentários

Mais

PM é baleado durante briga em festa de aniversário

PM é baleado durante briga em festa de aniversário

Um policial militar foi baleado durante uma briga generalizada numa festa de aniversário. O incidente ocorreu na terça-feira, 27, na…
Número de garimpos fechados sobe para 13 em Ourilândia do Norte

Número de garimpos fechados sobe para 13 em Ourilândia do Norte

A Polícia Federal atualizou na tarde desta quarta (28) os resultados da “Operação 1200”, desencadeada pela manhã em Ourilândia do…
PRF prende duas pessoas por porte ilegal de arma em rodovias de Marabá

PRF prende duas pessoas por porte ilegal de arma em rodovias de Marabá

Nos dois últimos dias a Polícia Rodoviária Federal prendeu duas pessoas por porte ilegal de armas de fogo na cidade…
Polícia prende estelionatária suspeita de desviar mais de R$ 10 milhões em golpes no Pará

Polícia prende estelionatária suspeita de desviar mais de R$ 10 milhões em golpes no Pará

Uma operação da Polícia Civil do Pará prendeu uma mulher apontada como uma das maiores estelionatárias do estado na manhã…
Dupla de funcionários é presa por aplicar golpe em empresa

Dupla de funcionários é presa por aplicar golpe em empresa

Foram autuados por furto Weverton Vitorino Souza e Janielson Bomfim de Carvalho após crime verificado na empresa onde ambos trabalham,…
PF fecha 6 garimpos de ouro e encontra trabalhadores em situação degradante

PF fecha 6 garimpos de ouro e encontra trabalhadores em situação degradante

A Polícia Federal em Redenção deflagrou nesta quarta-feira (28) a “Operação 1200” de combate a crimes ambientais, extração ilegal de…