Correio de Carajás

Pandemia: Região de Carajás sai do risco médio para o intermediário

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Após reunião do Comitê Técnico e Científico, realizada na noite desta quinta-feira (17), o governador Helder Barbalho anunciou, em suas redes sociais, nova mudança no bandeiramento das regiões de saúde do Estado. A partir desta sexta-feira (18), as regiões de Integração Carajás e Araguaia (Sudeste e Sul) saem da bandeira laranja, de risco médio, e avançam à coloração amarela, considerada de risco intermediário. Marabá, Parauapebas, Xinguara, Redenção e outras grandes cidades estão nestas regiões.

“Estamos encerrando a reunião do Comitê Científico da Secretaria de Saúde do Estado (Sespa), junto com a Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra), para analisar o cenário epidemiológico no enfrentamento da pandemia de covid-19 no nosso Estado. A partir daí, nós estamos comunicando a mudança de bandeiramento das regiões Carajás e Araguaia. Ambas estavam em coloração laranja, de risco médio, e passam para a coloração amarela, de risco intermediário. As demais continuarão na mesma coloração, para que consigamos, gradativamente, evoluir”, disse o chefe do Executivo.

Prosseguem em bandeiramento amarelo as regiões Metropolitana I e II, Marajó Oriental, Baixo Tocantins, Marajó Ocidental, Nordeste, Baixo Amazonas, Xingu e Tapajós.Foto: Divulgação

Leia mais:

VACINAÇÃO

O avanço da imunização contra a covid-19 no Pará resultou na queda de 45% no número de óbitos de idosos acima de 70 anos, de acordo com o estudo realizado pela Ufra e apresentado na reunião do Comitê. No primeiro ano da pandemia, este segmento ocupou a maior parte dos leitos da rede estadual de saúde.

A análise dos dados também indicou que, no momento do anúncio da mudança de bandeiramento, a ocupação de leitos clínicos no Pará era de 45,9%, enquanto o índice nos leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) estava em 67,78%.

“Isto nos dá um conforto importante na oferta de leitos para a tomada das decisões. Importante é a informação de que estamos, cada vez mais, melhorando os números do nosso Estado, o que, significativamente, está vinculado à vacinação. Estamos avançando bastante. Já estamos chegando à idade de 45 anos para mais neste final de semana”, reforçou o governador.

Helder Barbalho reforçou ainda à população a importância de estar atento ao calendário de vacinação dos municípios. “Portanto, acompanhe o calendário da sua cidade. Tem cidades que já baixaram ainda mais a idade. Não perca esse calendário. Você que vai pra primeira dose, compareça. Você que já fez a primeira, fique a tento ao calendário da segunda dose, que assim nós vamos vencer esta pandemia. Usem máscara, se proteja e proteja sua família”, reiterou o governador. (Com Ag. Pará)

Comentários

Mais

Fragmento de arroz não é ‘resto’ e é vendido desde antes do governo Bolsonaro

Fragmento de arroz não é ‘resto’ e é vendido desde antes do governo Bolsonaro

INVESTIGADO POR:    VERIFICADO POR:     Enganoso Os fragmentos de arroz são um subproduto apto para o consumo humano.…
Site omite que pesquisa com vantagem para Bolsonaro foi feita apenas em SC

Site omite que pesquisa com vantagem para Bolsonaro foi feita apenas em SC

INVESTIGADO POR:  VERIFICADO POR: Enganoso Título de artigo compartilhado em grupos bolsonaristas no Facebook omite que uma pesquisa eleitoral que…
É falso que áudio mostre Luana Piovani defendendo Jair Bolsonaro

É falso que áudio mostre Luana Piovani defendendo Jair Bolsonaro

INVESTIGADO POR: VERIFICADO POR: São falsos posts virais no Facebook e no TikTok com áudio em que supostamente a atriz…
Estudo francês em hamsters não prova eficácia da ivermectina contra a covid-19 em humanos

Estudo francês em hamsters não prova eficácia da ivermectina contra a covid-19 em humanos

Enganoso É enganosa a publicação no site Terça Livre que afirma que um estudo francês apontou a eficácia da ivermectina…
A recusa de vacinação contra a covid-19 pode gerar demissão por justa causa

A recusa de vacinação contra a covid-19 pode gerar demissão por justa causa

Esta semana um assunto polêmico ganhou o noticiário nacional: uma pessoa foi demitida por justa causa por se recusar a…
Em dois meses, CCZ realiza mais de 300 testes de detecção

Em dois meses, CCZ realiza mais de 300 testes de detecção

Do final de maio até o mês de julho, 314 animais foram testados contra a leishmaniose. O médico veterinário Flávio…