Correio de Carajás

Pacientes denunciam demora de quase 10 horas para atendimento no HMM

Pacientes dizem ter chegado às 7 horas e até as 16h30 não terem sido atendidos / Foto: Zeus Bandeira
Pacientes dizem ter chegado às 7 horas e até as 16h30 não terem sido atendidos / Foto: Zeus Bandeira
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Uma situação preocupante foi registrada no Hospital Municipal de Marabá (HMM). Na tarde desta quinta-feira (17), pacientes indignados com a demora no atendimento relataram ao Correio de Carajás sua angustia. Pessoas que chegaram às 7 horas ainda não haviam sido atendidas até as 16h30.

Pacientes relataram que os corredores da casa de saúde estão lotados e a fila de pacientes que esperam é grande. Todos eles tinham algo em comum: estavam com a pulseira azul.

Na classificação de risco, as cores possuem significados e a azul é para casos não urgentes, onde o paciente pode aguardar sem riscos. No entanto, nove horas e 30 minutos parece demais.

Leia mais:

A equipe do HMM informou não haver previsão para atendimento com médicos, segundo o relato dos pacientes.

Selmara estava indignada pela demora no atendimento / Foto: TV Correio
Selmara estava indignada pela demora no atendimento / Foto: TV Correio

Selmara Martins Silva está sentindo dores na sua lombar e desde às 7 horas não foi atendida. Ela conta que presenciou pacientes deitados nos corredores e ter ouvido de terceiros que os médicos teriam entrado em greve por falta de pagamento. “Estou indignada. Pagamos nossos impostos e quando precisamos de atendimento, encontramos essa situação”, queixa-se.

Ainda segundo a paciente, uma moça – conhecida de servidores do hospital – teria sido atendida prioritariamente, apenas por conhecer funcionários do HMM. “Fiquei chateada com essa situação”, comenta Selmara.

Joseana precisou almoçar pelas redondezas do HMM, pois até meio dia não havia sido atendida / Foto: TV Correio
Joseana precisou almoçar pelas redondezas do HMM, pois até meio dia não havia sido atendida / Foto: TV Correio

Joseana Paulino está na mesma situação. Chegou cedo e ainda não foi atendida até as 16h30. Ela está sentindo dores no seu braço e necessita de um raio-X, mas, o atendimento jamais ocorreu para que fosse encaminhada. “Eu tive que sair para almoçar aqui por perto, por conta da demora. Ainda assim, não fui atendida”, desabafa.

O Correio de Carajás procurou a Secretaria Municipal de Saúde para levar as reclamações dos pacientes. Em nota, foi informado que “não está medindo esforços para regularizar a escala de trabalho dos médicos do ambulatório” e que denúncias de casos de beneficiamento de pacientes – caso tenham fundamento – podem ser levadas à secretaria para providências.

Sobre a falta de médicos, a secretaria se limitou a dizer: “estamos regularizando”. Enquanto isso, Selmara e Joseana retornaram para casa sem serem atendidas. (Zeus Bandeira)

Comentários

Mais

Residentes do Cidade Jardim clamam por auxílio da gestão de Parauapebas

Residentes do Cidade Jardim clamam por auxílio da gestão de Parauapebas

Dentre os manifestantes que acamparam em frente à Prefeitura de Parauapebas de terça (3) para quarta (4) estavam moradores do…
Justiça determina que manifestantes deixem a Prefeitura de Parauapebas

Justiça determina que manifestantes deixem a Prefeitura de Parauapebas

O prefeito de Parauapebas Darci Lermen não se reuniu com os manifestantes que ocupam o prédio do Executivo e correu…
Moradores de 6 setores acampam na Prefeitura de Parauapebas

Moradores de 6 setores acampam na Prefeitura de Parauapebas

A manifestação iniciada na terça-feira (3) em frente à Prefeitura de Parauapebas não esmoreceu e continua ainda na tarde desta…
Principal emissor de carbono, Pará se compromete a reduzir 86% das emissões de gases do efeito estufa até 2036

Principal emissor de carbono, Pará se compromete a reduzir 86% das emissões de gases do efeito estufa até 2036

O Pará entrou nesta quarta-feira, 4, na lista de estados que aderiram à campanha Race to Zero (Corrida para o…
Primeira escola cívico-militar do sul do Pará é inaugurada em Redenção

Primeira escola cívico-militar do sul do Pará é inaugurada em Redenção

A primeira escola cívico-militar do sul do Pará foi inaugurada em Redenção, nesta terça-feira (3). Denominada Escola Municipal Cívico-Militar Eva…
Despejados do Nova Carajás protestam na Prefeitura de Parauapebas

Despejados do Nova Carajás protestam na Prefeitura de Parauapebas

A terça-feira (3) foi marcada por manifestações em Parauapebas, em que associações de diferentes bairros mandaram representantes para a porta…