Correio de Carajás

Mulher ataca PMs com facão e é morta a tiro

Vendo o risco iminente de agressão por parte da acusada, armada com facão, um dos policiais atirou numa das pernas dela. Foi o bastante para matá-la.

O comportamento agressivo da jovem Joiciane da Silva dos Santos terminou de maneira trágica na tarde de terça-feira (9). Ela atacou policiais com um facão. Um deles revidou e deu um tiro na perna dela. Foi o suficiente para que ela morresse.

Dependente química e incontrolável, a mulher era acusada furtar objetos em residências da cidade de Jacundá, na região sudeste paraense. Nos últimos 30 dias houve diversas denúncias contra ela.

Fotos da jovem eram divulgadas diariamente em grupos de mensagens instantâneas com relatos de invasões. Ela pulava muros das casas ou entrava ao perceber portas abertas. E fugiu ao cerco policial por diversas vezes. Uma tia dela relatou que Joiciane cometia muitos delitos e os produtos furtados eram trocados por droga.

Leia mais:
Uma ambulância do SAMU foi acionada pelos policiais, mas não adiantou

A última invasão ocorreu por volta das 16h de terça-feira, no Bairro Eletronorte. De acordo com o morador que pediu para não ser identificado, Joiciane entrou na casa dele, localizada na Rua Buenos Aires, e ao ser flagrada tentando furtar objetos do domicílio começou manifestar violência. A vítima acionou a Polícia Militar.

Uma guarnição chegou ao local minutos depois e se deparou com a mulher enfurecida no interior do domicílio. Ali terminara uma trajetória de pequenos delitos cometidos pela jovem nos últimos meses na cidade de Jacundá. De acordo com a versão dos policiais, Joiciane não atendeu a voz de prisão, se armou com um facão e tentou agredir os militares. E um deles desferiu um tiro que atingiu a pena da mulher.

Os policiais acionaram o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU). Uma equipe chegou a realizar os procedimentos necessários para salvá-la. Joiciane faleceu ao chegar na unidade de saúde pública da cidade. Na Delegacia de Polícia Civil foi instaurado um inquérito para investigar o caso. (Antônio Barroso/freelancer)

Comentários