Denilton Sousa foi flagrado na cama, sem roupa, com sua enteada de apenas 12 anos/ Fotos: Evangelista Rocha
Ads

Os indivíduos Denis Lima Rocha, de 27 anos, e Denilton Sousa da Silva, de 30, foram presos no final de semana em Marabá, em duas situações distintas, mas acusados de cometer o mesmo tipo de crime: estupro de vulnerável. Embora um caso não tenha nada a ver com o outro e tenham ocorrido em lugares diferentes da cidade, nas duas situações, as vítimas são crianças, uma delas é enteada do acusado.

Ads

É o caso de Denilton Sousa, que foi preso por policiais militares lotados no 34º BPM, acionados pelo Núcleo Integrado de Operações Policiais (NIOP), atendendo a uma denúncia da mãe da vítima, uma menina de 12 anos, que estaria sendo abusada sexualmente por Denilton, que é padrasto da menor.

Segundo o cabo Fernandes, da Polícia Militar, quando a viatura estava se aproximando do endereço, a mãe da vítima já estrava na esquina, aguardando a polícia. “Ela estava muito nervosa e nos contou que seu marido estava tentando estuprar sua filha, de apenas 12 anos, e tinha ameaçado ela com uma faca”, relata o policial.

Ao chegar no endereço indicado na denúncia, na Avenida Boa esperança, Bairro Independência (Cidade Nova), os PMs adentraram na residência junto com a genitora da vítima e presenciaram o acusado sem roupas, em cima da cama com a vítima. “Quando a gente acendeu a luz, nós flagramos o mesmo nu, na cama com sua enteada… quando ele percebeu que a gente entrou e acendeu a luz, ele se espantou e foi logo se levantando”, relatou o policial para a reportagem do CORREIO.

Diante dessa cena, a mãe da criança informou aos policiais militares que não era a primeira vez que estaria ocorrendo o fato, mas que ela nunca tinha registrado ocorrência policial sobre o crime com medo de sofrer algum tipo de represália por parte do companheiro, que, aliás, já tem passagem pela polícia por furto em maio do ano passado.

Ainda segundo informação do cabo Fernandes, sua guarnição conduziu Denilton Sousa, imediatamente, para a 21ª Seccional Urbana de Polícia Civil para ser autuado em flagrante por estupro de vulnerável.

FILHA DA VIZINHA

O outro acusado do mesmo crime é o indivíduo Denis Lima Rocha. Ele também foi preso em flagrante tentando abusar as filhas de sua vizinha. Detalhe: as vítimas têm apenas oito e 10 anos de idade. O caso se registrou no Residencial Magalhães, Núcleo São Félix, por volta de 1h da madrugada de ontem (22).

Denis é acusado de tentar estuprar duas filhas de sua vizinha, de oito e 10 anos

De acordo com a mãe das vítimas, o acusado estava bebendo cerveja com ela e outra vizinha, na casa das vítimas, momento em que ele pediu para ir ao banheiro da casa, foi quando passou pelo quarto e viu as duas crianças, passando a “mexer” com elas. Ele (Denis) disse assim: ‘se vocês fossem mais velhas eu pegava vocês e sua mãe’”, denunciou para a reportagem do CORREIO.

Ainda segundo a mãe das vítimas, as crianças correram e pediram ajuda. Foi quando a mulher do acusado, que estava bebendo lá também, denunciou Denis para a polícia.

De acordo com os policiais militares que fizeram a prisão do acusado, ao avistar a viatura, Denis tentou fugir, mas os policiais conseguiram colocar as mãos nele ainda perto da casa onde aconteceu o crime.

Segundo o sargento Rubinaldo, responsável pela prisão do acusado, no local do estupro, a mulher do acusado denunciou também que Denis Lima era violento e já havia batido na companheira, que agora o denunciou por esse outro crime.

De fato, em pesquisa pelo nome do acusado no Tribunal de Justiça do Pará (TJPA), a reportagem do CORREIO descobriu que em dezembro do ano passado, Denis foi indiciado por crime de violência doméstica.

Na manhã de ontem (22), quando eram encaminhados para audiência de custódia, os acusados não quiseram conversar com a Imprensa sobre as acusações que pesam contra eles. A reportagem tentou apurar mais detalhes sobre essa situação, mas os casos correm em sigilo, até mesmo para preservar as vítimas.

Se há um ponto positivo em toda essa tragédia familiar provocada por esses dois casos de estupro é o fato de que os dois acusados foram denunciados pelas próprias companheiras, o que é um claro sinal de que as mulheres não estão mais se calando diante desse tipo de crime que, via de regra, acontece dentro do ambiente familiar. (Chagas Filho com informações de Josseli Carvalho e Evangelista Rocha)

SAIBA MAIS

De acordo com a redação do artigo 217-A, do Código Penal Brasileiro, aquele que mantiver relação sexual ou praticar outro ato libidinoso com menor de quatorze anos incorrerá na prática do crime de estupro, sujeitando-se à penalidade de oito a 15 anos de reclusão, independentemente de ter agido com culpa ou dolo.

 

 

Ads