Correio de Carajás

Lições da derrota

Na Resenha

Na Resenha

Chagas Filho

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Perder por 3×2 em um jogo diante de um adversário parelho é normal. Além disso, competições de mata-mata, como é a maioria no futebol amador, são sempre muito imprevisíveis; um escorregão e já era. Mas a forma como Marabá foi derrotada é de deixar a torcida triste. Falhas individuais gritantes e alguns jogadores atuando numa rotação abaixo do que o jogo exigia dão ensejo para críticas sobre o condicionamento físico da rapaziada. É pra ficar de olho.

Apostas boas

Apesar da derrota e desclassificação para Rondon, o técnico Marquinhos Marabá fez mexidas interessantes no time. Trocou os dois laterais, colocando Lucas (na esquerda) e Dé (na direita), que entraram no lugar de Pepê e Pablo respectivamente. Os novos titulares foram bem: Dé fez um gol e deu um bom passe para Pequeno, que desperdiçou a chance; Lucas sofreu o pênalti (perdido por Gustavinho) e chutou duas bolas no travessão, uma foi sem querer, mas a outra foi consciente, quase marca um golaço.

Leia mais:

Os times

Enquanto Rondon conseguiu conectar seus contra-ataques e armar bem o jogo com Cléber (enquanto conseguiu se movimentar), Raniel e Pablo, a Seleção de Marabá teve mais posse de bola, mas não de forma intensa. Foi possível perceber que Rondon venceu a maior parte dos duelos. Além disso, o habilidoso Gustavinho errou muito, enquanto o outro meia, Pequeno, até que acertou boas viradas de jogo e deu bons passes, mas foi pouco participativo.

Foi bem

Quem sobrou no preparo físico foi Caíque, talvez porque vinha jogando no futebol profissional, onde a pegada é mais forte. Ele fez um bonito gol e, mesmo atuando de segundo volante, sempre tentava pisar na área adversária. Mesmo assim, não deu.

Em frases

Durante a transmissão da partida pelo canal A1 Esportes (com narração de Silas Cabral), algumas frases explicaram momentos cruciais do jogo, como o lance em que o atacante Vinícius driblou o goleiro e bateu em cima do zagueiro que correu pra evitar que a bola entrasse. O repórter de campo Macho News resumiu assim: “Não pode achar que já fez o gol”.

No final do jogo, o zagueiro Bismarck, que fez até uma partida aceitável, também sintetizou os lances cruciais que resultaram nos gols do adversário: “Nosso setor defensivo deixou a desejar”.

Felipe Araújo, comentarista da A1 Esportes, também decifrou, de forma geral, um fator que contribuiu para a vitória do time visitante, ao declarar: “A Seleção de Rondon é muito precisa nos seus ataques”.

Saideira

Parabéns Rondon e Bom Jesus. Que vença o melhor!

 

 

Comentários
O Brasil dá sono

O Brasil dá sono

Cochilei, acordei, cochilei de novo, levantei, lavei o rosto, bebi um copo d’água e repeti esse ritual umas quatro ou…
Marabazão

Marabazão

A fase de grupos do Campeonato Marabaense de Futebol da 1ª Divisão está se afunilando e a diferença de pontuação…
Paragominas fora!

Paragominas fora!

O Paragominas bem que tentou, mas não conseguiu o acesso à Série C do ano que vem. O Jacaré, que…
Na mira da PF

Na mira da PF

Que o atacante Diego Costa bate um bolão, isso ninguém duvida. Mas fora de campo ele está pisando na bola.…
Lições da derrota

Lições da derrota

Perder por 3×2 em um jogo diante de um adversário parelho é normal. Além disso, competições de mata-mata, como é…
Arbitragem ruim

Arbitragem ruim

Nossa arbitragem precisa melhorar – e muito! É grande chiadeira de dirigentes e jogadores contra erros grosseiros na arbitragem do…