Correio de Carajás

Jovem é flagrado em vídeo fazendo sexo oral com menino de três anos

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Após um vídeo gravado por populares em Parauapebas começar a circular desde a última segunda-feira (14), pelas redes sociais, mostrando um adolescente fazendo sexo oral em um menino, a Delegacia de Atendimento à Mulher (DEAM) agiu rapidamente e conseguiu localizar vítima e acusado. Segundo a delegada Ana Carolina Abreu, titular da DEAM, o acusado é um adolescente de 15 anos, que tem problemas mentais, e a vítima é um menino de apenas 3 anos.

“Após a veiculação do vídeo, conseguimos identificar o bairro e fomos até o local e localizamos o suspeito, que foi conduzido junto com os pais dele para a delegacia. Os pais do adolescente apresentaram laudos médicos que mostram que ele sofre de ao menos cinco tipos de doença mental, como esquizofrenia, demência moderada e transtornos variados. Eles também mostraram os receituários com os remédios controlados que ele toma”, informou a delegada.

Ana Carolina detalhou que foi impossível colher depoimento do investigado, porque ele estava completamente atemporal e demonstrava não ter noção de nada. “Colhemos o depoimento apenas dos pais dele, inclusive foi sua mãe que nos informou onde morava a criança, que foi abusada por ele”, ressalta a delegada.

Leia mais:

O menino foi levado para a DEAM, acompanhada da mãe dele. De acordo com Ana Carolina, também não foi possível colher informações do menino, porque ele chorava a cada pergunta feita. “Ouvimos a mãe dele e, com base no vídeo, que comprova a materialidade do abuso sexual, instauramos um auto de investigação, que agora será encaminhado ao Ministério Público, que vai determinar que medidas socioeducativas serão aplicadas ao adolescente”, explica a delegada, esclarecendo ainda que o menino foi encaminhado para o Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), para ser atendido por psicólogos.

Crime: Sobre o vídeo que está sendo compartilhado pelas redes sociais, a delegada alerta que os autores e quem está compartilhado podem ser autuados em flagrante pelo crime, previsto no Estatuto da Criança e Adolescente (ECA), que tem pena que varia de cinco a oito anos de detenção. “É crime produzir, compartilhar, armazenar ou ceder vídeos, fotos ou qualquer imagem que contenham cenas de nudez ou sexo envolvendo crianças e adolescentes. A pessoa, se flagrado pela autoridade policial, será autuada pelo crime em flagrante delito e não cabe fiança”, avisou Ana Carolina. (Tina Santos e Ronaldo Modesto)

Comentários

Mais

Bando ataca carro forte que vinha para Marabá

Bando ataca carro forte que vinha para Marabá

Um carro forte da empresa Prosegur foi alvo de um bando de assaltantes na tarde desta quinta-feira, por volta de…
Foragido da justiça há 8 anos é encontrado “de boas” na Velha Marabá

Foragido da justiça há 8 anos é encontrado “de boas” na Velha Marabá

Na noite de quarta-feira (14) o Núcleo Regional de Inteligência da Polícia Militar capturou Anderson Patrick Barbosa Fonseca, foragido da…
DECA é alvo de denúncia dos movimentos sociais

DECA é alvo de denúncia dos movimentos sociais

Documento assinado por 11 entidades que militam na área da luta pela terra e dos direitos humanos denunciam “despejos e…
Mulher é suspeita na morte de mototaxista

Mulher é suspeita na morte de mototaxista

A morte do mototaxista Josiel Mota da Silva gerou comoção e revolta na cidade de Anapu e resultou na destruição…
Furtos em veículos com tecnologia “Chapolin” voltam a acontecer em Marabá

Furtos em veículos com tecnologia “Chapolin” voltam a acontecer em Marabá

A Polícia Civil vem investigando crimes de furtos em veículos que estão sendo praticados com o uso de um mecanismo…
Jeep é abandonado com sangue e corpo é encontrado boiando no Itacaiunas

Jeep é abandonado com sangue e corpo é encontrado boiando no Itacaiunas

Dois fatos podem até não ter ligação, mas a Polícia Civil investiga ambos e tenta fazer uma conexão entre eles.…