Ads

A Delegacia de Homicídios da Polícia Civil cumpriu hoje, terça-feira (13), mandado de prisão preventiva contra Manoel Gonçalves da Silva, indiciado pelo homicídio de José Rodrigues Gomes, o “Zezão”, de 50 anos, no Domingo de Páscoa deste ano, dia 21 de abril, ocorrido no Bairro Novo Horizonte.

Ads

Conforme divulgado nesta tarde, Manoel vai responder ao crime de forma qualificada, por motivo fútil e impossibilidade de defesa da vítima, além de porte ilegal de arma de fogo de numeração adulterada. A prisão foi decretada por ocasião do recebimento da denúncia pelo Poder Judiciário.

Dois dias depois do crime, na terça-feira (23), Manoel se apresentou na Delegacia de Homicídios, acompanhado do advogado Odilon Vieira. Conforme divulgado pelo Correio de Carajás à época, ele confessou o crime, prestou depoimento e foi liberado porque já havia passado o período do flagrante. Apresentou, ainda, a arma do crime com o respectivo estojo de munição deflagrado.

Manoel alegou que não tinha a intenção de matar ninguém e a vítima estava muito agressiva, afirmando que a intensão foi desferir uma “coronhada”, mas ocorreu o disparo acidentalmente. Zezão morreu pela madrugada, na Rua Araguaia.

Na ocasião, moradores da área informaram à Reportagem que a vítima era alcoólatra e morava na Rua Rio Vermelho em companhia da mãe. O portal entrou em contato com o advogado que o acompanhou na apresentação espontânea para solicitar posicionamento.

Odilon Vieira informou que irá tomar ciência das peças acusatórias e em seguido será impetrado habeas corpus no Tribunal de Justiça do Estado do Pará, no sentido de restabelecer a liberdade de Manoel. Por fim, afirmou que durante a instrução processual provará a inocência. (Luciana Marschall)

Atualizado às 9 horas do dia 14/08/2019 para acréscimo do posicionamento da defesa.

Ads