Correio de Carajás

Inconformada, moradora reclama das ruas da Folha 35

As ruas do bairro estão todas abandonadas, segundo leitora que denunciou o drama vivido pelo moradores da Folha 35/ Fotos: Divulgação
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Rayane Ribeiro Damasceno procurou o Jornal Correio para denunciar o que considera um completo descaso com os moradores da Folha 35, Nova Marabá. De acordo com ela, que vive há oito anos no bairro, as ruas estão esburacadas e cheias de mato desde que se mudou para o local. “As poucas melhoras que ocorreram foram por conta dos próprios moradores”, disse.

Ela fotografou a rua em que vive, na Quadra 01, mas afirmou que a falta de atenção é com todo o bairro. “Toda a folha está um caos. Minha rua não se compara a um terço do descaso que se encontra o restante”.

Rayane acrescenta que o representante da comunidade já procurou diversas vezes a Prefeitura Municipal de Marabá e sempre recebe a mesma resposta. “Segundo ele, sempre dizem que ‘tem um projeto para o ano, e que logo será realizado (asfalto)’, mas não passa disso”.

Leia mais:
Neste trecho da Quadra 1, uma grota que cruza o local inunda com as chuvas e o despejo de esgoto

A presença de duas grandes empresas na via principal do bairro acaba contribuindo para piorar a situação, vez que costuma haver grande fluxo de caminhões. “Só colabora ainda mais para o aumento de buracos na rua”.

Por fim, afirmou que em uma rua há um pedaço “cortado”, onde existe uma grota com apenas uma passagem de madeira colocada por cima. Trata-se de um ponto crítico. “Quando chove, o córrego enche e fica intrafegável. Algumas casas da rua despejam o esgoto nessa grota, totalmente a céu aberto”.

Procurada pelo Jornal Correio, a assessoria de comunicação da PMM encaminhou nota à Reportagem afirmando que já tem uma ação prevista de recuperação para aquela área, mas está impossibilitada em função das chuvas.

“Qualquer intervenção acabaria por prejudicar ainda mais o estado destas ruas. Este serviço será analisado para que seja feita a recuperação. Vale lembrar que a população não pode jogar o lixo residencial em bueiros e vias de passagem da água. O resultado é entupimento de bueiros e enchente”, diz. (Luciana Marschall)

Comentários

Mais

Marabá: Salário mínimo começa a ser pago a famílias atingidas pela enchente

Marabá: Salário mínimo começa a ser pago a famílias atingidas pela enchente

Entre as várias iniciativas do governo do Estado para apoiar as famílias atingidas pelas cheias dos rios Tocantins e Itacaiúnas,…
Saúde antecipa entrega de terceiro lote de vacinas pediátricas

Saúde antecipa entrega de terceiro lote de vacinas pediátricas

O Ministério da Saúde divulgou nesta segunda-feira (17) que antecipou a data da chegada do terceiro lote das vacinas pediátricas.…
Pará registra 17.249 mortes por Covid-19 e 634.200 casos

Pará registra 17.249 mortes por Covid-19 e 634.200 casos

O Pará contabiliza 17.249 mortes e 634.200 casos de Covid-19 desde o início da pandemia, segundo os dados divulgados no…
Multidão na orla para curtir enchente preocupa autoridades

Multidão na orla para curtir enchente preocupa autoridades

A via do bambuzal engarrafada, a Avenida Antônio Maia lotada de veículos de um lado e do outro. As transversais,…
Covid: Saúde começa a distribuir 2ª remessa de vacinas para crianças

Covid: Saúde começa a distribuir 2ª remessa de vacinas para crianças

O Ministério da Saúde começou a distribuir a segunda remessa de vacinas contra a covid-19 voltadas para crianças. O lote…
Projeto cicloviário para Marabá nasce na Unifesspa

Projeto cicloviário para Marabá nasce na Unifesspa

A turma de engenharia civil da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa) desenvolveu projetos cicloviários para a…