Correio de Carajás

Ulisses Pompeu

Ulisses Pompeu

Os rabiscos que viraram vídeo de amor a Marabá

Na pandemia, enquanto estava enclausurado, resolvi escrever um texto na forma que mais gosto, mas que pouco uso: a primeira pessoa. Assim, fiquei imaginando uma senhora idosa narrando a trajetória de Marabá para os marabaenses cheirando a leite. Curiosamente, o texto, depois de pronto, caiu nas mãos de meu filho, Breno, que fez algumas observações. …

Os rabiscos que viraram vídeo de amor a Marabá Leia mais »

Sobre a dura diáspora que assistimos todos os dias

Um amigo mandou mensagem no WhatsApp no último final de semana e lançou pedido de socorro: “não aguento mais ouvir falar de guerra”. E eu entendo que, depois de dois anos de cobertura ininterrupta sobre a covid-19, estejamos já saturados de assistir “em direto” um novo tsunami de imagens, dados e opiniões, vindo das transmissões …

Sobre a dura diáspora que assistimos todos os dias Leia mais »

À procura de remédio na prateleira dos escritores

Tenho duas bibliotecas físicas. Uma em casa, onde meus livros se dividem com os de Ana Raquel, e outra no trabalho, onde muitos deles reinam absoluto em uma ampla prateleira, sem nenhum tipo de disputa. Nesses tempos terríveis, onde a ignorância campeia e se mostra orgulhosamente vaidosa, quando a burrice se espraia pelas redes sociais …

À procura de remédio na prateleira dos escritores Leia mais »