Correio de Carajás

Dois são vítimas de afogamento no Itacaiunas

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Em relato a policia civil e também a equipe de reportagem do Correio, Aliane dos Santos da Luz tentava compreender o que teria acontecido na tarde do último domingo (17), quando o seu filho Heitor Daniel dos Santos da Luz, de apenas 2 anos e 8 meses de idade, foi vítima de afogamento no Rio Itacaiunas. O caso aconteceu nas proximidades da Vila São José, Km 8 da Rodovia Transamazônica, zona rural de Marabá, e mobilizou familiares e pessoas próximas à vítima.

 Aliane narrou que estava com o filho Heitor, e o outro caçula, de cinco meses de idade, tomando banho no rio, como costumavam fazer. Segundo ela, quando foi colocar o mais novo para dormir na rede, virando-se de costas para Heitor, o garoto teria descido em direção ao rio, onde várias outras crianças brincavam. Neste momento, foi quando viu, pela última vez, o garoto com vida.

 O corpo da criança só foi encontrado horas depois pela equipe de resgate do Corpo de Bombeiros, dentro de um buraco encoberto pela água. E, segundo o Boletim de Ocorrência Policial, o buraco em que Heitor caiu, provavelmente, teria sido feito por dragas que retiram areia e seixo do rio.

Leia mais:

 No entanto, este não foi o único caso de afogamento registrado naquele dia. André Cruz da Silva, de 17 anos também desapareceu nas águas do Rio Itacaiúnas, na tarde de domingo (18). O incidente aconteceu por volta das 15 horas, quando se divertia na companhia de amigos e parentes.

 Inicialmente, foram essas pessoas quem fizeram as primeiras buscas ao rapaz, mas não conseguiram encontrá-lo. A vítima morava no Bairro São Miguel da Conquista (Belo Horizonte) e a tragédia ocorreu entre os balneários Taboquinha e Prainha.

 O Corpo de Bombeiros foi acionado e iniciou as buscas ainda na tarde domingo, mas, por questões de segurança, os trabalhos foram encerrados às 18 horas, e só foram retomados na manhã de ontem. Quem acabou encontrando o corpo de André Cruz, foi Raimundo Pereira da Silva, tio da vítima, que avistou de longe quando o cadáver flutuou.

Junto com Jovenir Amaro, dono da rabeta usada nas buscas, eles removeram o corpo das águas e entregaram ao Corpo de Bombeiros, que fez o isolamento do cadáver numa lona para a devida remoção até o Instituto Médico Legal (IML).

(Nathália Viegas e Chagas Filho)

Em relato a policia civil e também a equipe de reportagem do Correio, Aliane dos Santos da Luz tentava compreender o que teria acontecido na tarde do último domingo (17), quando o seu filho Heitor Daniel dos Santos da Luz, de apenas 2 anos e 8 meses de idade, foi vítima de afogamento no Rio Itacaiunas. O caso aconteceu nas proximidades da Vila São José, Km 8 da Rodovia Transamazônica, zona rural de Marabá, e mobilizou familiares e pessoas próximas à vítima.

 Aliane narrou que estava com o filho Heitor, e o outro caçula, de cinco meses de idade, tomando banho no rio, como costumavam fazer. Segundo ela, quando foi colocar o mais novo para dormir na rede, virando-se de costas para Heitor, o garoto teria descido em direção ao rio, onde várias outras crianças brincavam. Neste momento, foi quando viu, pela última vez, o garoto com vida.

 O corpo da criança só foi encontrado horas depois pela equipe de resgate do Corpo de Bombeiros, dentro de um buraco encoberto pela água. E, segundo o Boletim de Ocorrência Policial, o buraco em que Heitor caiu, provavelmente, teria sido feito por dragas que retiram areia e seixo do rio.

 No entanto, este não foi o único caso de afogamento registrado naquele dia. André Cruz da Silva, de 17 anos também desapareceu nas águas do Rio Itacaiúnas, na tarde de domingo (18). O incidente aconteceu por volta das 15 horas, quando se divertia na companhia de amigos e parentes.

 Inicialmente, foram essas pessoas quem fizeram as primeiras buscas ao rapaz, mas não conseguiram encontrá-lo. A vítima morava no Bairro São Miguel da Conquista (Belo Horizonte) e a tragédia ocorreu entre os balneários Taboquinha e Prainha.

 O Corpo de Bombeiros foi acionado e iniciou as buscas ainda na tarde domingo, mas, por questões de segurança, os trabalhos foram encerrados às 18 horas, e só foram retomados na manhã de ontem. Quem acabou encontrando o corpo de André Cruz, foi Raimundo Pereira da Silva, tio da vítima, que avistou de longe quando o cadáver flutuou.

Junto com Jovenir Amaro, dono da rabeta usada nas buscas, eles removeram o corpo das águas e entregaram ao Corpo de Bombeiros, que fez o isolamento do cadáver numa lona para a devida remoção até o Instituto Médico Legal (IML).

(Nathália Viegas e Chagas Filho)

Comentários

Mais

Bando ataca carro forte que vinha para Marabá

Bando ataca carro forte que vinha para Marabá

Um carro forte da empresa Prosegur foi alvo de um bando de assaltantes na tarde desta quinta-feira, por volta de…
DECA é alvo de denúncia dos movimentos sociais

DECA é alvo de denúncia dos movimentos sociais

Documento assinado por 11 entidades que militam na área da luta pela terra e dos direitos humanos denunciam “despejos e…
Mulher é suspeita na morte de mototaxista

Mulher é suspeita na morte de mototaxista

A morte do mototaxista Josiel Mota da Silva gerou comoção e revolta na cidade de Anapu e resultou na destruição…
Furtos em veículos com tecnologia “Chapolin” voltam a acontecer em Marabá

Furtos em veículos com tecnologia “Chapolin” voltam a acontecer em Marabá

A Polícia Civil vem investigando crimes de furtos em veículos que estão sendo praticados com o uso de um mecanismo…
Jeep é abandonado com sangue e corpo é encontrado boiando no Itacaiunas

Jeep é abandonado com sangue e corpo é encontrado boiando no Itacaiunas

Dois fatos podem até não ter ligação, mas a Polícia Civil investiga ambos e tenta fazer uma conexão entre eles.…
Dupla é executada a tiros na frente de escola de Parauapebas

Dupla é executada a tiros na frente de escola de Parauapebas

Leonardo de Jesus Oliveira, de 23 anos, e Raimundo Nonato Peixoto, de 24 anos, foram executados a tiros na noite…