Foto: reprodução
Ads

O delegado Ivan Pinto da Silva, do Departamento de Homicídios, informou ontem, segunda-feira (12), ao Correio de Carajás, que Antônio Barbosa Campos Filho, de 52 anos, já havia empregado o responsável pela própria morte, o DJ Antônio Barbosa Campos Filho. O crime aconteceu no final de semana enquanto os dois bebiam juntos.

Ads

Segundo o delegado, Antônio era dono de uma serralheria no Bairro Liberdade, onde Bruno já teria trabalhado. O acusado de esfaquear o ex-chefe está foragido desde que a noite de domingo (11), quando ocorreu o crime.

Ainda de acordo com o Departamento de Homicídios, os dois se desentenderam enquanto bebiam juntos na casa de Bruno, localizada na Rua Dorgival Pinheiro.  Policiais que estiveram no endereço souberam que os dois iniciaram uma discussão porque Bruno pegou o carro de Barbosa para dar uma volta sem lhe pedir autorização, o que despertou raiva em Antônio.

Na confusão, os dois começaram a trocar agressões físicas e Antônio teria dado um murro no rosto de Bruno, que pegou uma arma branca e golpeou quatro vezes a vítima. Uma das facadas atingiu o peito de Barbosa, o que o matou ainda no local. A faca ficou torta de tanta força que o acusado empregou no momento de golpear a vítima.

Bruno, que mora perto de Antônio Barbosa, foi em casa, trocou de camisa e fugiu logo em seguida. Mesmo após ter deixado de trabalhar com Antônio, Bruno mantinha certo grau de amizade com o ex-patrão, tanto é verdade, que bebiam juntos. “Eles se encontravam totalmente alcoolizados”, observa o delegado.

De acordo com o soldado João, da Polícia Militar, as facadas foram desferidas depois que a confusão entre a vítima e o acusado já tinha acabado. Antônio Barbosa já teria até entrado no carro e pretendia sair, quando Bruno – já de posse da faca – o chamou de volta.

A vítima desceu e foi esfaqueada ali mesmo, caindo ao lado do veículo. Uma ambulância do Serviço Móvel de Urgência (Samu) ainda foi acionada, mas quando os socorristas chegaram ao local não havia mais o que fazer.

Informações que possam levar ao paradeiro do acusado podem ser repassadas de forma anônima ao Disque Denúncia Sudeste do Pará, nos números (94) 3312-3350 e (94) 98198-3350 (WhatsApp), ou pelo aplicativo do serviço. (Luciana Marschall e Chagas Filho – com informações de Josseli Carvalho)

Ads