Correio de Carajás

Crônica Ouriço Cheio: As borboletas são dela, e as rosas não são dele

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Amar parece universal, mas só quando um homem se apaixona por uma mulher ou vice-versa. E isso independe do que um sente pelo outro, do tempo que ficaram juntos e dos filhos que nasceram. Mas, e quando o amor parece torto, pelo menos para a maioria de nós?

Não é verdade que uma mãe não saiba que um filho morra de amores por outro menino. Por mais ingênua, por mais avoada, por mais culpada, por mais tudo, pelo tempo. Pai e mãe. E insistem, porque querem, em indelicadezas, silêncios e invisíveis.

Duas histórias:

Leia mais:

1. As portas e as janelas

O filho de uma mãe do Belo Horizonte namorava o filho de outra lá do final da Boa Esperança. Beijos, barbas, juras, suspiros e chocolates. Tudo às claras da porta da casa pra rua. Um com mais de 30 e o outro com menos de 25. O relacionamento parecia que iria ser para sempre.

Depois de idas e vindas, insistências para morarem juntos, bateram-se feio. Muros, chutes, roxos e pragas de nunca mais se encostarem. O mais velho não deixaria a casa da mãe. Ponto. Desculpas, morangos mofados e muita birra por trás da justificativa. O moço não desejava mais ser apresentado à família do namorado como o amigo de todas as horas e olhares de soslaios. Encheu-se. E pronto!

Ainda apaixonado, revoltado com o fim, embebedado, o maduro foi à vila de kitnets onde dormia o então. E não lhe trouxe pipocas como de costume. Esmurrou a porta, esfaqueou as janelas, rebentou as dobradiças, derrubou possibilidades. Um papelão feio para dois barbudos.

Foi-se embora e, ainda tonto, choramingou vergonhas e arrependimentos à mãe. Fiz isso e fiz aquilo. E mais, quando me ia indo de lá, arranquei todas as roseiras que plantamos. Vermelhas, brancas, alaranjadas. Espetei as mãos e depois joguei tudo no lixo.

A mãe escutou calada. Silente como sempre. Deixou amanhecer e cedo, ao lado de um carpinteiro, foi à casa do melhor amigo do filho. Trocou a porta destruída e abriu outras janelas. Pediu desculpas pelo desatino da cria e desejou que fossem felizes do jeito que tinham vindo. Mas, para saudades dela, não se reencontraram mais. E assim foi o destino dos amores contrariados.

2. As borboletas

A espontaneidade da menina corou a mãe. Não esperava pela repentina felicidade da miúda quando avistou a amiguinha descer do transporte escolar. Berrou para todo o pátio ouvir que era apaixonada por ela e ia lhe pedir em casamento. Casamento?

A mãe, mesmo desconcertada, achou aquilo puro. Sim, havia sentimento sincero. Mas não soube se entender e tonteou. Em casa, a menina insistiu na felicidade. Queria se casar com a fulana, ter filhos e nunca se separar dela.

Tinham sete anos, seria a inocência.

Não era bem assim. Respondeu aos argumentos cambaleantes da mãe jurando que amava a amiga. A senhora não me contou que se casou com meu pai por isso? O que é que tem eu gostar dela? A pergunta foi levantada e só houve silêncio e engolida seca de pomo de adão.

Nos aniversários, o primeiro pedaço de bolo era pra amiga. Se passasse uma semana sem vê-la, uma gripe com tontura, pedia à mãe fossem deixar biscoitos recheados e suco de maracujá. A menina gostava da outra menina e só via borboletas. As duas moravam na Nova Marabá.

Pai e mãe conversaram entre pausas e dias. Foi difícil começar, arranjar palavras, desacostumá-las. Por fim, ele escreveu na porta da geladeira: “Minha filha se casa com quem ela desejar e for correspondida. Feliz com quem ela gostar. As borboletas são dela”. (Ulisses Pompeu)

* O autor é jornalista há 24 anos e escreve crônica na edição de quinta-feira

Comentários

Mais

Caminhão a serviço do Dnit derruba tanque e VP-8 é parcialmente bloqueada

Caminhão a serviço do Dnit derruba tanque e VP-8 é parcialmente bloqueada

Uma das rotatórias da avenida VP-8 da nova Marabá estava parcialmente isolada nesta manhã de domingo (20), bem perto da…
Presidente do Incra exalta reforma agrária

Presidente do Incra exalta reforma agrária

Presidente do Incra exalta reforma agrária Em seu discurso no evento em Marabá, o presidente do Incra, Geraldo Melo Filho,…
Começa hoje a vacinação da  população sem prioridade

Começa hoje a vacinação da população sem prioridade

Um mutirão de dois dias vai marcar o momento tão esperado pelos marabaenses: o início da vacinação contra a covid-19…
Dose extra de vacina é insuficiente para imunizar a população

Dose extra de vacina é insuficiente para imunizar a população

A Secretaria Municipal de Saúde de Canaã dos Carajás recebeu do Governo do Estado 3.140 doses de vacina contra o…
Venezuelanos acampados em praça recebem ‘ultimato’

Venezuelanos acampados em praça recebem ‘ultimato’

A administração pública de Parauapebas trabalha para resolver a situação dos indígenas venezuelanos da etnia Warao, que estão acampados há…
Tião Miranda pede que Bolsonaro ajude a duplicar 3 rodovias em Marabá

Tião Miranda pede que Bolsonaro ajude a duplicar 3 rodovias em Marabá

Logo após a execução do Hino Nacional, no Parque de Exposições, nesta sexta-feira, dia 18, o prefeito de Marabá, Tião…