Correio de Carajás

Com Seleção classificada, ‘competição interna’ ganha força

Foto: Lance!
Foto: Lance!
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Treinador exalta fato de dar chances para todos convocados e acredita que grupo está mais 'coeso' na Copa América

A Seleção Brasileira vai pavimentando um caminho no qual pode engrenar de olho na Copa do Mundo de 2022. Por mais que deixe em aberto o seu planejamento, o técnico Tite não esconde que a união dos jogadores nesta Copa América dá um bom panorama do grupo que ele tem ao seu dispor. E, inclusive, do potencial de cada atleta chamado para a competição.

“Ainda não sei se é um pilar, mas ele tem significado forte. Ele oportuniza um tempo grande de contato, treinamento, ideias, hoje estava falando com o Danilo, inclusive das interações individuais”, disse.

O comandante ainda destacou a maneira como, passo a passo, os 23 convocados vêm ganhando condições de consolidar um ideal de grupo.

Leia mais:

“Na medida em que a gente fica mais tempo junto, a linguagem não verbal impera conosco e com os atletas. Os movimentos, as situações, os gestos, o olhar… É tudo dinâmico, muito rápido, e a gente vai ganhando tempo nessa forma de estarmos mais coesos enquanto grupo e também em termos táticos, para desenvolvermos nosso melhor trabalho”, afirmou.

Com a Seleção classificada para a próxima fase da Copa América, a comissão técnica volta um pouco mais suas atenções para a disputa interna. A poucas horas de encarar a Colômbia, a expectativa é acentuar o leque de boas opções em todos os setores.

“A competição interna é real, árdua, traz o componente de disputa em altíssimo nível. A gente tem o feedback. Todos têm que estar bem também no clube de origem. É natural isso”,

declarou o auxiliar César Sampaio.

O fato de Tite ratificar o desejo da Seleção se manter na primeira colocação do Grupo B, pois assim seguirá jogando no Nilton Santos, aumenta o apetite dos jogadores. Afinal, apresentar um bom futebol a cerca de um ano do Mundial do Qatar é a chance de cada um lutar por seu espaço.

Com a segurança da classificação brasileira, a “disputa paralela” no elenco também ganha fôlego. (Terra)

Comentários

Mais

Com ouro de Ana Marcela Cunha, Brasil ultrapassa recorde de mulheres medalhistas em uma Olimpíada

Com ouro de Ana Marcela Cunha, Brasil ultrapassa recorde de mulheres medalhistas em uma Olimpíada

Se o Brasil ainda busca ultrapassar o recorde de medalhas da Rio-2016, onde atingiu 19 conquistas no quadro geral, o…
Seleção de vôlei vence Rússia e encara Coreia do Sul na semi

Seleção de vôlei vence Rússia e encara Coreia do Sul na semi

A Seleção Brasileira feminina de vôlei venceu o Comitê Olímpico Russo por 3 sets a 1, de virada, com parciais…
Rebeca Andrade será porta-bandeira do Brasil em cerimônia de encerramento das Olimpíadas

Rebeca Andrade será porta-bandeira do Brasil em cerimônia de encerramento das Olimpíadas

Despedida em grande estilo. Medalhista de ouro e prata nos Jogos de Tóquio, Rebeca Andrade será a porta-bandeira do Brasil na…
Ana Marcela Cunha é campeã olímpica na maratona aquática em Tóquio

Ana Marcela Cunha é campeã olímpica na maratona aquática em Tóquio

A espera acabou. Depois de quatro ciclos olímpicos, Ana Marcela Cunha, de 29 anos, colocou em sua gigantesca galeria de…
No Z4 da Série B, Cruzeiro acerta retorno de Vanderlei Luxemburgo

No Z4 da Série B, Cruzeiro acerta retorno de Vanderlei Luxemburgo

O Cruzeiro anunciou nesta terça-feira (3) o retorno de Vanderlei Luxemburgo. O técnico de 69 anos se apresenta à Toca da…
Brasil avança à final de saltos no hipismo em Tóquio com Yuri Mansur

Brasil avança à final de saltos no hipismo em Tóquio com Yuri Mansur

O cavaleiro Yuri Mansur é o primeiro finalista da delegação brasileira de hipismo na Olimpíada de Tóquio (Japão). O paulistano,…