Drogas e dinheiro foram apreendidos em poder dos acusados, pelos militares da 1ª CIME/ Fotos: Divulgação
Ads

Um casal foi preso na tarde da última quinta-feira (8) em Marabá, acusado de estar vendendo maconha dentro de um veículo a trabalho de Uber. O caso se registrou na praça do Paço Municipal na Folha 31 (Nova Marabá). Os acusados disseram que a maconha veio do Paraguai. Uma terceira pessoa foi presa acusada de tentar subornar os PMs.

Ads

Os acusados de tráfico são Reinaldo Gomes da Silva e Rafaela Vieira Silva, que foram alvo de denúncia anônima informando que eles estavam em um Uber vendendo drogas. Em poder do casal foram encontradas cinco partes, uma fração em um papelote e mais um pedaço da substância entorpecente pesando aproximadamente um quilo.

Reinaldo foi preso pela quarta vez acusado de tráfico de drogas

A prisão foi feita por policiais da 1ª Companhia Independente de Missões Especiais (CIME), que recebeu denúncia anônima e chegou rápido aos acusados. Com o casal de traficantes ainda foi apreendida a quantia de R$ 194 em notas de R$ 50, R$ 20, R$ 10 e R$ 2.

Ao receberem voz de prisão, os acusados prometeram pagar propina para serem liberados. Os militares fingiram aceitar a proposta com o intuito também de prender o terceiro envolvido no crime, de modo que Reinaldo telefonou para uma pessoa e logo em seguida chegou ao local Alexandra Ribeiro da Silva Gaya com a quantia de R$ 500. Mas ela também recebeu voz de prisão no ato da entrega da propina, por corrupção ativa.

Rafaela também é reincidente na comercialização de entorpecentes

“Oferecer, repassar ou colaborar de qualquer forma com objetivo de oferecer promessa de pagamento ou valores para que servidor público deixe de exercer as suas atividades de ofício caracteriza um crime grave severamente punido pela legislação penal que enseja inclusive a prisão em flagrante”, explica o delegado Vinícius Cardoso das Neves, diretor da 21ª Seccional Urbana de Polícia Civil, onde os acusados foram autuados.

Reinaldo confessou que estava realmente vendendo maconha e que teria recebido a erva do Paraguai. Segundo o delegado Vinícius Cardoso, o acusado Reinaldo já teve três outras passagens pela polícia também por tráfico. Da mesma forma, Rafaela também é reincidente no tráfico. (Chagas Filho)

 

Ads