Correio de Carajás

Associação Atlética do curso de engenharia da Uepa vende produtos que fazem apologia ao estupro

Foto: reprodução
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Só no mês de junho deste ano, oito casos de estupro foram registrados pela Delegacia da Mulher, em Belém, segundo a Polícia Civil. A Associação Atlética Acadêmica de Engenharia Sedenta da Universidade do Estado do Pará (Uepa) do campus de Marabá criou polêmica ao vender produtos com o slogan “caneca na mão, calcinha no chão” e “cachorrão latiu, calcinha caiu”. Estudantes e internautas afirmam que as frases fazem apologia à cultura do estupro.

Após a polêmica, a Atlética se pronunciou, mas continua recebendo críticas em sua postagem no Instagram. “Se sabiam que fazia apologia ao estupro como deixaram isso passar? Como uma frase dessa passa pela diretoria e só depois das inúmeras reclamações se posicionam? O certo era nem ter divulgado um tirante com uma frase tão horrenda dessas”, escreveu uma internauta.

A nota publicada explica que a escolha das frases foi feita através de votação e democraticamente, além de admitir que “lamentavelmente, faz apologia ao machismo e cultura de estupro.”

Leia mais:

De acordo com o 11º Anuário Brasileiro de Segurança Pública, cerca de 135 mulheres foram estupradas a cada dia no Brasil em 2016. Enquanto as polícias registraram 49.497 estupros, o Sistema Único de Saúde contabilizou 22.918 casos.

Já o Atlas da Violência de 2018, estima que teria havido entre 300 mil e 500 mil casos de estupro naquele ano, mas o dados podem representar apenas uma parcela, tudo isso porque muitos casos não são denunciados ou expostos.

Leia na íntegra a nota publicada pela atlética:

Vivemos em uma sociedade marcada por desigualdade social, machismo, LGBTfobia, racismo e, por isso, a Associação Atlética Acadêmica de Engenharia da UEPA Sedenta vem a público esclarecer a respeito do último produto lançado para a pré-venda, o tirante. 
Sempre deixamos nossos diretores a disposição para que novas sugestões fossem dadas para os nossos produtos, assim como em relação a esporte e lazer, sempre objetivando o nosso
crescimento como Atlética. Dessa vez, não foi diferente e, por maioria dos votos e por falta de sugestões, tivemos uma frase escolhida democraticamente, porém, lamentavelmente, faz apologia ao machismo e a cultura de estupro.

Por mais que a diretoria da Sedenta nunca, em circunstância alguma, tenha tido esse objetivo, vem através desta nota pedir as mais sinceras desculpas aos que não se sentiram contempladxs.

Vale ressaltar também que a Sedenta tem compromisso com a ética e entende que essa abertura para a pluralidade de ideias não deve ser confundida como um espaço de ações discriminatórias ou misóginas. Além disso, esta gestão garante que a partir do ocorrido, será mais cautelosa e rigorosa ao abrir para novas sugestões

(Fonte: RomaNews)

Comentários

Mais

Conta de luz continuará em agosto com taxa extra mais elevada, informa Aneel

Conta de luz continuará em agosto com taxa extra mais elevada, informa Aneel

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou nesta sexta-feira (30) que a conta de luz continuará em agosto com…
Inteligência artificial pode desafogar sistema de saúde na pandemia

Inteligência artificial pode desafogar sistema de saúde na pandemia

Estudo feito em parceria por pesquisadores da Escola de Medicina da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), Fundação Getulio Vargas…
Autorização de viagem para menores de 16 anos poderá ser feita online

Autorização de viagem para menores de 16 anos poderá ser feita online

A partir de segunda-feira (2), os pais poderão emitir pela internet uma autorização para que seus filhos menores de 16…
Marabá: Venezuelanos são tirados da rua e já têm casa

Marabá: Venezuelanos são tirados da rua e já têm casa

A nova leva de venezuelanos que chegou nas últimas semanas a Marabá chamou atenção e teve grande visibilidade pela quantidade…
Passageira se recusa a usar máscara e é retirada de voo por policiais federais

Passageira se recusa a usar máscara e é retirada de voo por policiais federais

Uma passageira se recusou a usar máscara de proteção à Covid-19 e provocou atraso de uma aeronave, que saiu de…
Paciente é internado em Belém com suspeita de variante delta

Paciente é internado em Belém com suspeita de variante delta

Duas pessoas com Covid-19, que chegaram dos Estados Unidos a Belém, realizaram exames para identificar se houve a possível contaminação…