Correio de Carajás

Artistas e produtores culturais entregam manifesto à Secult

Entrega do manifesto na Praça São Felix de Valois mostra que a cultura (r) existe/Foto: Diego Costa/TV Correio

CULTURA

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Nesta segunda-feira (26), durante manifestação cultural em frente à Biblioteca Orlando Lobo, sede da Secretaria Municipal de Cultura (Secult), artistas e fazedores de cultura de Marabá entregaram ao secretário José Scherer um documento intitulado “Manifesto das/os artistas e trabalhadoras e trabalhadores da cultura de Marabá”.

O documento tem sete itens principais. O primeiro deles pede a transparência acerca da destinação e aplicação dos recursos oriundos da Lei Aldir Blanc encaminhado para Marabá, quanto foi empenhado e quanto ficou excedente e a previsão de uso desse recurso em posteriores editais ou auxílio emergencial.

O segundo item versa sobre a criação de uma plataforma virtual simples vinculada à Secretaria de Cultura, que possa garantir o cadastramento dos artistas e trabalhadores e trabalhadoras da cultura do município, a partir de um critério pensado com a comunidade do setor cultural de Marabá, para garantir a democratização das linguagens de fazeres culturais e artísticos reconhecidos aqui.

Leia mais:

“O objetivo é organizar a comunidade artística e de fazedores de cultura para viabilizar acesso a recursos, ampliação da comunicação dos seus trabalhos e promover a visibilidade da cultura produzida em Marabá, o que pode gerar muitos bons frutos em relação à imagem da cidade para seus cidadãos e cidadãs e para o turismo”, diz trecho do documento.

O terceiro ponto visa garantir ações imediatas de auxílio emergencial em combate à fome, com a distribuição de cestas básicas articulada com a Secult, com outras secretarias municipais e com as redes solidárias formadas pela sociedade. “Vivemos um cenário em que trabalhadores e trabalhadoras da cultura voltaram a passar fome. Quem tem fome não pode esperar”, alerta o manifesto.

O quarto item dispõe sobre o lançamento de chamadas públicas rápidas e desburocratizadas, pelos equipamentos culturais do município, para financiar a realização de programações virtuais (“lives”), como forma de garantir auxílio a classe artística e trabalhadores e trabalhadoras da cultura e a manutenção do fazer cultural de Marabá.

O manifesto solicita ainda o redirecionamento do orçamento total previsto para realização de festividades e festejos juninos que se encontram inseridos no planejamento anual de manifestações culturais do município de Marabá para a comunidade que promove a festividade, garantindo auxílio à cadeia produtiva dessa festividade, como: artistas, brincantes, mestres de Boi, costureiras, artesãos, figurinistas, coreógrafos, quadrilhas juninas, entre outros.

A sexta pauta é que a Secult e os órgãos gestores da cultura municipal constituam um corpo técnico para a dissolução de dúvidas, bem como promoção de suporte técnico por meio de contato telefônico ou outros meios virtuais.

Por fim, os artistas e fazedores de cultura querem que seja efetivado o Sistema Municipal de Cultura, previsto na Lei nº 17.639/2014, colocá-lo em prática, debater coletivamente sobre ações de incentivo à cultura junto ao Conselho Municipal de Cultura, bem como esclarecer para onde está indo o recurso de 5% a 15% da Secretaria de Cultura, que deveria ser destinado ao Fundo Municipal de Cultura, conforme estabelece o artigo 37, inciso I, da referida lei. “Queremos saber por que a Lei de Incentivo à Cultura permanece sendo ignorada e não praticada por essa Gestão”, questiona o documento.

Para a reportagem do CORREIO, Clara Morbach, advogada e produtora cultural, observa que os recursos direcionados à cultura e à arte são previstos em lei. “A gente tem conhecimento de que a cultura é um direito constitucional, é um direito universal; não é esmola”, afirma.

Um dos expoentes dos movimentos culturais em Marabá, Eric de Belém observa que, embora a cultura local seja muito plural, tem sido historicamente invisibilizada. “Nosso objeto é demonstrar também essa cultura rica que nós possuímos e esses artistas estarem mostrando a sua cara e reivindicando por parte do poder público municipal e das outras instâncias que são envolvidas com a cultura marabaense esse necessário envolvimento e reversão dessa situação”, afirma.

Também ouvido pelo CORREIO, o secretário municipal de Cultura, José Scherer, disse que existe um recurso (algo em torno de R$ 80 mil) da Lei Aldir Blanc que não foi utilizado nos primeiros editais que foram abertos e que poderá será utilizado agora para atender aos artistas locais. Mas ponderou que o assunto será colocado na mesa do prefeito Tião Miranda e também da Câmara Municipal de Marabá. (Chagas Filho)

Comentários

Mais

Conta de luz continuará em agosto com taxa extra mais elevada, informa Aneel

Conta de luz continuará em agosto com taxa extra mais elevada, informa Aneel

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou nesta sexta-feira (30) que a conta de luz continuará em agosto com…
Inteligência artificial pode desafogar sistema de saúde na pandemia

Inteligência artificial pode desafogar sistema de saúde na pandemia

Estudo feito em parceria por pesquisadores da Escola de Medicina da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), Fundação Getulio Vargas…
Autorização de viagem para menores de 16 anos poderá ser feita online

Autorização de viagem para menores de 16 anos poderá ser feita online

A partir de segunda-feira (2), os pais poderão emitir pela internet uma autorização para que seus filhos menores de 16…
Marabá: Venezuelanos são tirados da rua e já têm casa

Marabá: Venezuelanos são tirados da rua e já têm casa

A nova leva de venezuelanos que chegou nas últimas semanas a Marabá chamou atenção e teve grande visibilidade pela quantidade…
Passageira se recusa a usar máscara e é retirada de voo por policiais federais

Passageira se recusa a usar máscara e é retirada de voo por policiais federais

Uma passageira se recusou a usar máscara de proteção à Covid-19 e provocou atraso de uma aeronave, que saiu de…
Paciente é internado em Belém com suspeita de variante delta

Paciente é internado em Belém com suspeita de variante delta

Duas pessoas com Covid-19, que chegaram dos Estados Unidos a Belém, realizaram exames para identificar se houve a possível contaminação…