Correio de Carajás

Alimentos representaram 60% da inflação dos mais pobres em outubro

Foto: Tânia Rego
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

A alta no preço dos alimentos pressionou a inflação dos mais pobres em outubro e representou 60% de todo o indicador Ipea de Inflação por Faixa de Renda, divulgado hoje (11) pelo Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (Ipea). Segundo o instituto, as famílias de renda muito baixa acumulam uma inflação de 3,53% em 2020 e de 5,33% em 12 meses, enquanto a faixa de renda alta vem se beneficiando da queda no preço dos serviços e acumula 1,04% em 2020 e 2,48% em 12 meses.

Para fazer a pesquisa, o Ipea calcula a inflação para seis grupos de renda familiar: muito baixa (menor que R$ 1.650,50), baixa (entre R$ 1.650,50 e R$ 2.471,09), média-baixa (de R$ 2.471,09 a R$ 4.127,41), média (de R$ 4.127,41 a R$ 8.254,83), média alta (de R$ 8.254,83 a R$ 16.509,66) e alta (acima de R$ 16.509,66).

No grupo alimentos e bebidas, que tem maior peso na inflação das famílias mais pobres, destacaram-se em outubro as variações de preço do arroz (13,4%), da batata (17%), do tomate (18,7%), do óleo de soja (17,4%) e das carnes (4,3%). De janeiro a outubro, alguns desses itens acumulam altas expressivas, como o arroz (47,6%), o feijão (59,5%), o leite (29,5%) e o óleo de soja (77,7%).

Leia mais:

No acumulado do ano, o grupo de famílias de alta renda vem se beneficiando da deflação acumulada de serviços que têm peso em sua cesta de compras, como as passagens aéreas (-37,3%), o transporte por aplicativo (-22,7%), o seguro de automóvel (-9,9%) e a gasolina (-3,3%).

Apesar disso, em outubro, as passagens aéreas ajudaram a puxar a inflação dos mais ricos para cima. Em setembro, as famílias de alta renda tiveram uma inflação de 0,29%, percentual que subiu para 0,82% em outubro. Enquanto isso, os mais pobres tiveram uma inflação de 0,98% que se manteve estável nos dois meses.

A inflação acumulada em 12 meses apresentou uma tendência de aceleração para todas as faixas de renda. Em outubro do ano passado, o índice mensal havia sido de 0,01% para os mais pobres, contra 0,98% neste ano. Para os mais ricos, o indicador passou de 0,17% para 0,82%. (Agência Brasil)

Comentários

Mais

Defesa Civil já atendeu 82 ocorrências de incêndio em Marabá

Defesa Civil já atendeu 82 ocorrências de incêndio em Marabá

No último final de semana, a Brigada de Combate a Incêndios da Defesa Civil do município de Marabá registrou dez…
Com 60% da população vacinada, mortes e casos de covid-19 caem 40%

Com 60% da população vacinada, mortes e casos de covid-19 caem 40%

Com a vacinação de mais de 96 milhões de brasileiros contra a covid-19 com, pelo menos, a primeira dose do…
Morre Darci Catalão, pioneiro em Parauapebas

Morre Darci Catalão, pioneiro em Parauapebas

Na noite desta segunda-feira (26), foi confirmado o falecimento de Darci Ayres de Souza, o “Darci Catalão”. Pai do empresário…
PMM contrata empresa para estudar quarta ponte no Rio Itacaiunas

PMM contrata empresa para estudar quarta ponte no Rio Itacaiunas

As obras da terceira ponte sobre o Rio Itacaiunas ainda nem começaram e a Prefeitura Municipal de Marabá já estuda…
Prefeito assassinado, Jones William é homenageado em Tucuruí

Prefeito assassinado, Jones William é homenageado em Tucuruí

O prefeito Jones William da Silva Galvão recebeu homenagens no quarto ano de sua morte, ocorrida no dia 25 de…
Descoberto novo site falso que rouba dados de servidores públicos

Descoberto novo site falso que rouba dados de servidores públicos

Pela segunda vez em poucos dias, o Ministério da Economia pediu a suspensão de um site falso registrado no exterior que rouba…