Correio de Carajás

Alimentos representaram 60% da inflação dos mais pobres em outubro

Foto: Tânia Rego
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

A alta no preço dos alimentos pressionou a inflação dos mais pobres em outubro e representou 60% de todo o indicador Ipea de Inflação por Faixa de Renda, divulgado hoje (11) pelo Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (Ipea). Segundo o instituto, as famílias de renda muito baixa acumulam uma inflação de 3,53% em 2020 e de 5,33% em 12 meses, enquanto a faixa de renda alta vem se beneficiando da queda no preço dos serviços e acumula 1,04% em 2020 e 2,48% em 12 meses.

Para fazer a pesquisa, o Ipea calcula a inflação para seis grupos de renda familiar: muito baixa (menor que R$ 1.650,50), baixa (entre R$ 1.650,50 e R$ 2.471,09), média-baixa (de R$ 2.471,09 a R$ 4.127,41), média (de R$ 4.127,41 a R$ 8.254,83), média alta (de R$ 8.254,83 a R$ 16.509,66) e alta (acima de R$ 16.509,66).

No grupo alimentos e bebidas, que tem maior peso na inflação das famílias mais pobres, destacaram-se em outubro as variações de preço do arroz (13,4%), da batata (17%), do tomate (18,7%), do óleo de soja (17,4%) e das carnes (4,3%). De janeiro a outubro, alguns desses itens acumulam altas expressivas, como o arroz (47,6%), o feijão (59,5%), o leite (29,5%) e o óleo de soja (77,7%).

Leia mais:

No acumulado do ano, o grupo de famílias de alta renda vem se beneficiando da deflação acumulada de serviços que têm peso em sua cesta de compras, como as passagens aéreas (-37,3%), o transporte por aplicativo (-22,7%), o seguro de automóvel (-9,9%) e a gasolina (-3,3%).

Apesar disso, em outubro, as passagens aéreas ajudaram a puxar a inflação dos mais ricos para cima. Em setembro, as famílias de alta renda tiveram uma inflação de 0,29%, percentual que subiu para 0,82% em outubro. Enquanto isso, os mais pobres tiveram uma inflação de 0,98% que se manteve estável nos dois meses.

A inflação acumulada em 12 meses apresentou uma tendência de aceleração para todas as faixas de renda. Em outubro do ano passado, o índice mensal havia sido de 0,01% para os mais pobres, contra 0,98% neste ano. Para os mais ricos, o indicador passou de 0,17% para 0,82%. (Agência Brasil)

Mais

Ataques armados a indígenas contrários à mineração ilegal podem se repetir no Pará, alerta MPF

Ataques armados a indígenas contrários à mineração ilegal podem se repetir no Pará, alerta MPF

O Ministério Público Federal (MPF) decidiu na terça-feira (11) solicitar a órgãos públicos a tomada de medidas para evitar que…
Desemprego no Brasil da pandemia: Doutor em engenharia espacial vende doces

Desemprego no Brasil da pandemia: Doutor em engenharia espacial vende doces

“Tenho só uma palavra para definir o que eu sinto: frustração. Estudar, estudar, tentar e não conseguir nada. Você se…
Fiocruz alerta que incidência de covid-19 mantém patamar elevado

Fiocruz alerta que incidência de covid-19 mantém patamar elevado

Pesquisadores da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) alertam que a incidência da covid-19 se mantém em um patamar elevado no Brasil,…
Usuários da APAE Marabá recebem 1ª dose da vacina contra covid-19

Usuários da APAE Marabá recebem 1ª dose da vacina contra covid-19

Na manhã desta quinta-feira, 13, iniciou a aplicação da vacinação contra a covid-19 dos alunos, acima de 18 anos, da…
Post distorce entrevista para sugerir que médico Roberto Kalil Filho apoia uso amplo da cloroquina

Post distorce entrevista para sugerir que médico Roberto Kalil Filho apoia uso amplo da cloroquina

Enganoso Logo após deixar o hospital em que ficou internado por covid no ano passado, o médico Roberto Kalil Filho…
É enganoso que Coronavac foi proibida nos EUA e na Europa

É enganoso que Coronavac foi proibida nos EUA e na Europa

Enganoso É enganoso um vídeo no Facebook que afirma que a vacina Coronavac, do laboratório Sinovac, tenha sido proibida nos…