Correio de Carajás

Agosto Lilás debate ações de enfretamento à violência contra a mulher

Campanha Agosto Lilás segue até o dia 1º de setembro / Foto: Ascom PMP
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Segue até o dia 1º de setembro a programação da Campanha Agosto Lilás, de combate e prevenção da violência contra as mulheres. A campanha foi iniciada na última quarta-feira, 7, com uma palestra para os estudantes do Instituto Federal do Pará (IFPA).

A programação, que é coordenada pela Secretaria Municipal da Mulher (Semmu), é realizada anualmente no mês de agosto, em alusão à sanção da Lei Maria da Penha (Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006) que este ano completa 13 anos. Além de promover ações de enfrentamento à violência doméstica contra a mulher, a campanha busca chamar a atenção da sociedade para os direitos das mulheres e divulgar a rede de atendimento da Semmu.

Segundo a secretária da Mulher, Ângela Silva, a Semmu desenvolve ações voltadas para o público feminino durante todo ano e intensifica no Agosto Lilás.  “Teremos uma vasta programação para levar conhecimento para a sociedade acerca dos direitos das mulheres, os tipos de agressões que as mulheres vivem e quais leis a protege. Também teremos uma panfletagem diretamente para os homens, além de palestras nas escolas, debates, roda de conversa, blitzes e a olimpíada das mulheres, na zona urbana e rural do município”, informou Ângela Silva.

Leia mais:

A programação também conta com a participação de toda rede de proteção à mulher no município. De acordo com a delegada Ana Carolina Carneiro, titular da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher em Parauapebas (Deam), a Lei Maria da Penha é uma das leis mais importantes que existem do ordenamento jurídico em termos de proteção à mulher.

“É preciso entender as formas de violência, são elas: física, psicológica, sexual, patrimonial e moral. A lei se aplica para relações íntimas de afeto, aplica-se no ambiente doméstico familiar e inclui até república de estudantes, patrão e empregada, não precisa morar na mesma casa”, explicou a delegada, informando que em Parauapebas, para denunciar, as pessoas podem procurar a Delegacia da Mulher, ligar nos números 181 e 190 e ainda procurar um dos órgãos da rede municipal de proteção. (Tina Santos)

 

Mais

Helder inaugura, entrega cheques e assina ordens de serviço em Marabá

Helder inaugura, entrega cheques e assina ordens de serviço em Marabá

Em visita a Marabá nesta quarta-feira (12) o governador Helder Barbalho rodou a cidade fazendo inaugurações, assinando ordens de serviço,…
Cruzamento na VS-10 causa graves acidentes de trânsito

Cruzamento na VS-10 causa graves acidentes de trânsito

Um cruzamento entre a Avenida VS-10 e a Rua Florita, na altura do Bairro Morada Nova, em Parauapebas, tem causado…
Sete em cada dez empreendedores fizeram vendas online na pandemia

Sete em cada dez empreendedores fizeram vendas online na pandemia

Sete em cada dez micro, pequenas ou médias empresas (73,4%) do país estão fazendo vendas online durante a pandemia do novo coronavírus.…
Brasil inaugura primeira antena rural para a internet 5G

Brasil inaugura primeira antena rural para a internet 5G

O Brasil já tem instalada a sua primeira antena rural destinada à quinta geração de internet (5G). A tecnologia funcionará,…
Defensoria recomenda vacina a pessoas presas de grupos prioritários

Defensoria recomenda vacina a pessoas presas de grupos prioritários

A Defensoria Pública do Pará (DPE) emitiu uma recomendação ao Governo do Estado para que as pessoas privadas de liberdade…
Comissão da OMS faz recomendações para evitar próxima pandemia

Comissão da OMS faz recomendações para evitar próxima pandemia

Um novo sistema global transparente deveria ser criado para apurar surtos de doenças, habilitando a Organização Mundial da Saúde (OMS)…