Correio de Carajás

Três crianças chegam ao HMM com irmã morta em carrinho

Momento em que a viatura do IML chega com o corpo da criança para a necropsia/Foto: Evangelista Rocha
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Uma cena que causou comoção e revolta se registrou nesta terça-feira (10), no Hospital Municipal de Marabá (HMM): três crianças entraram no Pronto Socorro conduzindo um carrinho de bebê, dentro do qual estava a irmãzinha deles, de apenas dois anos e oito meses. Eles imploraram por atendimento para a criança, imaginando que ela estava bastante debilitada, mas – na verdade – ela estava morta.

A vítima foi identificada como Tatiana de Araújo Almeida, filha de Alexsandra de Araújo Almeida e de pai não declarado. Aliás, a mãe chegou ao HMM logo em seguida. Os atendentes do hospital comunicaram o fato à Polícia Militar, que conduziu a mãe e os outros três filhos para a Delegacia de Atendimento à Criança e ao Adolescente (DEACA). Mas antes, todos foram ouvidos por assistente social no HMM.

O relato feito por servidores e pessoas que estavam na casa de saúde é de cortar coração. Os irmãozinhos disseram ter alertado a avó deles sobre a situação da pequena Tatiana, mas a avó não imaginou que o caso era tão grave.

Leia mais:

Diante disso, os três meninos (o mais velho com aproximadamente 12 anos) colocaram a criança dentro de um carrinho e rumaram da Folha 7, onde moram, até o Hospital Municipal, dizendo que a criança estava morrendo.

A pequena vítima estava toda evacuada, exalando um mau cheiro muito forte e apresentava ferimentos na cabeça. Ela foi encaminhada ao Instituto Médico Legal (IML), com solicitação para realização de perícia cadavérica e sexológica.

A reportagem do CORREIO foi até a DEACA, mas a delegada titular da especializada, Eliene Carla de Lima, como de praxe, não conversou com a Imprensa sobre o caso, privando a população de ter acesso a informações como, por exemplo, se a mãe da vítima será indiciada, se será encaminhada ao sistema penal, se será solicitado algum tipo de acompanhamento aos irmãos da vítima, ou mesmo se eles serão ouvidos com o suporte de um psicólogo, para entender que tipo de maus tratos a criança sofreu, já que existe a suspeita de que ela pode ter sido vítima de abuso sexual. (Chagas Filho, Zeus Bandeira e Evangelista Rocha)

Comentários

Mais

Criança morre esmagada por caçamba em Curionópolis

Criança morre esmagada por caçamba em Curionópolis

Um trágico acidente vitimou João Paulo Batista Lima, de 10 anos, no centro de Curionópolis nesta segunda-feira (26). A criança,…
Justiça Militar afasta um coronel e prende sargento

Justiça Militar afasta um coronel e prende sargento

A Justiça Militar do Pará afastou do cargo, na manhã desta segunda-feira, dia 26, a coronel Andréa Keyla Leal Rocha,…
Identificado PM que assassinou médico

Identificado PM que assassinou médico

Foi revelada a identidade do policial militar que matou o jovem médico Bruno Calaça Barbosa, de 24 anos, na madrugada…
Quatro mortos em confronto com a Polícia Militar

Quatro mortos em confronto com a Polícia Militar

Em Ourilândia do Norte, o domingo (25) foi de confrontos entre a Polícia Militar e membros de uma facção criminosa…
Briga de irmãos vai parar na delegacia, mas... ficou “tudo bem”

Briga de irmãos vai parar na delegacia, mas... ficou “tudo bem”

Quem já leu a Bíblia sabe que Adão e Eva, após serem expulsos do Jardim do Éden, tiveram dois filhos:…
Guarda é solto e Justiça determina que corregedorias da PC e da PM investiguem abuso de autoridade

Guarda é solto e Justiça determina que corregedorias da PC e da PM investiguem abuso de autoridade

O Guarda Municipal Robson Leite Gomes, preso no sábado (24) sob a acusação de desacato, perturbação, desobediência, resistência e porte…