Correio de Carajás

Soldado pede enfermeira em casamento no corredor de hospital

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Para a enfermeira Manuely Souza, de 26 anos, o que poderia ter sido mais um dia comum, terminou com um pedido, uma aliança no dedo, e data de casamento marcada para maio de 2018. É que o namorado de Manuely, o soldado da Polícia Militar do Pará, Jhony Soeiro, de 30 anos, resolveu surpreendê-la em seu local de trabalho, o Hospital Público Estadual Galileu (HPEG), em Belém (PA), com um pedido de casamento. Ele deixou o nervosismo de lado, e encarou uma plateia formada por colaboradores da unidade, usuários e acompanhantes, que se emocionaram quando o rapaz com um buquê de rosas na mão, se ajoelhou diante da enfermeira e fez o pedido: quer casar comigo?

Jhony não precisou esperar muito pela resposta. Emocionada, Manuely respondeu um sonoro: sim! Ela confessa que mesmo namorando há cinco anos, o pedido de casamento, em pleno hospital, foi surpreendente. “Foi algo super inesperado, porque ele não costuma ser romântico”, contou rindo.  “Foi maravilhoso. Vai ficar marcado para sempre. Estavam todos os meus amigos presentes, e foi muito bom saber que todo mundo estava envolvido, meus amigos, minha chefia, todos empenhados. Foi muito lindo. Chorei muito”, disse, a enfermeira.

A ideia de fazer o pedido no hospital surgiu do amor e carinho que Jhony sentia todas as vezes que a namorada falava do seu local de trabalho. “É um lugar que ela fala muito bem, que ela gosta de estar, é a segunda família dela”, afirmou. “Ela passa praticamente mais tempo aqui do que com a gente. Então, achei que seria melhor fazer no meio de pessoas que ela gosta, convive, tem as maiores amizades dela, do que fazer em outro lugar”, ressaltou.

Leia mais:

De acordo com Manuely, a escolha, do agora noivo, de fazer o pedido de casamento dentro Hospital Galileu, unidade gerida pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, onde a enfermeira atua há mais de dois anos, demonstra o quanto ele a conhece bem. “Ele sabe que é um ambiente que é muito familiar para mim. É um ambiente muito acolhedor, onde passo a maior parte do meu dia e que me faz muito bem. Não é só o meu trabalho é o meu lar, e ele reconhece isso”, afirmou.

O pedido marca um relacionamento que começou em 2012, mas que já era predestinado a começar bem antes disso. “A gente se conhece desde bem jovem, morávamos na mesma rua, mas só fomos namorar quando nos conhecemos melhor, na época que eu passei a pegar ônibus perto do quartel onde ele trabalhava, e ele me acompanhava no percurso da parada até o quartel todos os dias”, relembra Manuely. “Eu já gostava dela, só que ainda não tinha tido a oportunidade de me aproximar. Foi quando, no dia 25 de agosto de 2012, a gente saiu pela primeira vez, e desde lá começamos a namorar e não nos separamos mais”, conta Jhony.

O próximo passo do casal é subir ao altar e Jhony promete “todos os colaboradores do hospital vão estar convidados para o casamento”. Com mais de 400 colaboradores atuando dentro da unidade, o diretor-geral do Hospital Galileu, Saulo Mengarda, alertou o casal de que a festa deverá ser bem grande. E já tem data marcada, segundo o soldado, será em maio de 2018, no mês de seu aniversário. (Divulgação)

Para a enfermeira Manuely Souza, de 26 anos, o que poderia ter sido mais um dia comum, terminou com um pedido, uma aliança no dedo, e data de casamento marcada para maio de 2018. É que o namorado de Manuely, o soldado da Polícia Militar do Pará, Jhony Soeiro, de 30 anos, resolveu surpreendê-la em seu local de trabalho, o Hospital Público Estadual Galileu (HPEG), em Belém (PA), com um pedido de casamento. Ele deixou o nervosismo de lado, e encarou uma plateia formada por colaboradores da unidade, usuários e acompanhantes, que se emocionaram quando o rapaz com um buquê de rosas na mão, se ajoelhou diante da enfermeira e fez o pedido: quer casar comigo?

Jhony não precisou esperar muito pela resposta. Emocionada, Manuely respondeu um sonoro: sim! Ela confessa que mesmo namorando há cinco anos, o pedido de casamento, em pleno hospital, foi surpreendente. “Foi algo super inesperado, porque ele não costuma ser romântico”, contou rindo.  “Foi maravilhoso. Vai ficar marcado para sempre. Estavam todos os meus amigos presentes, e foi muito bom saber que todo mundo estava envolvido, meus amigos, minha chefia, todos empenhados. Foi muito lindo. Chorei muito”, disse, a enfermeira.

A ideia de fazer o pedido no hospital surgiu do amor e carinho que Jhony sentia todas as vezes que a namorada falava do seu local de trabalho. “É um lugar que ela fala muito bem, que ela gosta de estar, é a segunda família dela”, afirmou. “Ela passa praticamente mais tempo aqui do que com a gente. Então, achei que seria melhor fazer no meio de pessoas que ela gosta, convive, tem as maiores amizades dela, do que fazer em outro lugar”, ressaltou.

De acordo com Manuely, a escolha, do agora noivo, de fazer o pedido de casamento dentro Hospital Galileu, unidade gerida pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, onde a enfermeira atua há mais de dois anos, demonstra o quanto ele a conhece bem. “Ele sabe que é um ambiente que é muito familiar para mim. É um ambiente muito acolhedor, onde passo a maior parte do meu dia e que me faz muito bem. Não é só o meu trabalho é o meu lar, e ele reconhece isso”, afirmou.

O pedido marca um relacionamento que começou em 2012, mas que já era predestinado a começar bem antes disso. “A gente se conhece desde bem jovem, morávamos na mesma rua, mas só fomos namorar quando nos conhecemos melhor, na época que eu passei a pegar ônibus perto do quartel onde ele trabalhava, e ele me acompanhava no percurso da parada até o quartel todos os dias”, relembra Manuely. “Eu já gostava dela, só que ainda não tinha tido a oportunidade de me aproximar. Foi quando, no dia 25 de agosto de 2012, a gente saiu pela primeira vez, e desde lá começamos a namorar e não nos separamos mais”, conta Jhony.

O próximo passo do casal é subir ao altar e Jhony promete “todos os colaboradores do hospital vão estar convidados para o casamento”. Com mais de 400 colaboradores atuando dentro da unidade, o diretor-geral do Hospital Galileu, Saulo Mengarda, alertou o casal de que a festa deverá ser bem grande. E já tem data marcada, segundo o soldado, será em maio de 2018, no mês de seu aniversário. (Divulgação)

Comentários

Mais

Pandemia e isolamento aumentam procura por cultivo de plantas em casa

Pandemia e isolamento aumentam procura por cultivo de plantas em casa

Em isolamento social, as pessoas tendem a sentir falta de sair e do contato com a natureza, por isso, ter…
Mundo chega a 3 milhões de mortes por Covid com piora da pandemia na América do Sul

Mundo chega a 3 milhões de mortes por Covid com piora da pandemia na América do Sul

O mundo chegou neste sábado (17) à triste marca de 3 milhões de mortes causadas pela Covid-19, em meio à…
Pará gera mais de 3 mil postos formais de trabalho no setor de serviços

Pará gera mais de 3 mil postos formais de trabalho no setor de serviços

“Eu atuo no ramo de eventos, sou segurança, e em meio à pandemia o nosso trabalho parou. Atualmente, a banda…
Novo estudo descarta elo entre tipo sanguíneo e a incidência de Covid

Novo estudo descarta elo entre tipo sanguíneo e a incidência de Covid

Uma investigação feita com mais de 100 mil pessoas nos Estados Unidos demonstrou que não há relação entre o tipo sanguíneo…
Pequeno ouvinte da Correio FM é premiado com bolo de aniversário

Pequeno ouvinte da Correio FM é premiado com bolo de aniversário

O garoto Angelo Miguel, pequeno ouvinte da nossa rádio, foi o grande ganhador da Promoção Aniversariante do Mês da Correio…
Coronafobia: transtornos compulsivos e de ansiedade por conta da pandemia

Coronafobia: transtornos compulsivos e de ansiedade por conta da pandemia

Há um ano que todo o Brasil vem enfrentando a pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Sentimentos como incerteza e ansiedade…