Correio de Carajás

Serginho realiza sonho de jogar pelo Timão

Foram 16 anos servindo à seleção brasileira de vôlei. No currículo, quatro medalhas olímpicas, dois títulos em Mundiais, sete triunfos em Ligas Mundiais. Mas ainda faltava um sonho a ser realizado por Serginho – o maior líbero da história do vôlei mundial. Não falta mais. Nesta terça, o atleta de 41 será apresentado como jogador e líder de um novo projeto: vai jogar pelo Corinthians, time do coração. A equipe terá sede em Guarulhos, onde Serginho aprendeu a jogar vôlei.

Apesar do cansaço da rotina do esporte e das lesões que sofreu durante a carreira, motivação não falta ao veterano.

– Sei que é o início de uma história bonita. Meu ciclo no vôlei está se encerrando, mas por outro lado eu tenho uma gratidão enorme por essa cidade e sonho vestir esta camisa. É uma história linda que começou em 1993. Fiquei aqui em Guarulhos até 96 – ressalta.

Leia mais:

A paixão pelo Corinthians é tão grande quanto a que sente pelo vôlei:

– Como torcedor do Corinthians eu sou bem sofredor, daqueles que ficam na frente da tevê, que vão ao estádio e que lembram do Campeonato Paulista de 88, com gol do Viola de carrinho. Sou desses e meus filhos também são corintianos e vão ao estádio. Tenho uma relação maravilhosa com tudo isso e estou muito feliz em poder fazer aquilo que amo, que é jogar vôlei, representando meu clube de coração e em uma cidade que me acolheu no passado.

Legenda:

Serginho – Serginho em sua despedida da seleção: “Agora não falta mais nada” (Foto: Wander Roberto/CBV)

Foram 16 anos servindo à seleção brasileira de vôlei. No currículo, quatro medalhas olímpicas, dois títulos em Mundiais, sete triunfos em Ligas Mundiais. Mas ainda faltava um sonho a ser realizado por Serginho – o maior líbero da história do vôlei mundial. Não falta mais. Nesta terça, o atleta de 41 será apresentado como jogador e líder de um novo projeto: vai jogar pelo Corinthians, time do coração. A equipe terá sede em Guarulhos, onde Serginho aprendeu a jogar vôlei.

Apesar do cansaço da rotina do esporte e das lesões que sofreu durante a carreira, motivação não falta ao veterano.

– Sei que é o início de uma história bonita. Meu ciclo no vôlei está se encerrando, mas por outro lado eu tenho uma gratidão enorme por essa cidade e sonho vestir esta camisa. É uma história linda que começou em 1993. Fiquei aqui em Guarulhos até 96 – ressalta.

A paixão pelo Corinthians é tão grande quanto a que sente pelo vôlei:

– Como torcedor do Corinthians eu sou bem sofredor, daqueles que ficam na frente da tevê, que vão ao estádio e que lembram do Campeonato Paulista de 88, com gol do Viola de carrinho. Sou desses e meus filhos também são corintianos e vão ao estádio. Tenho uma relação maravilhosa com tudo isso e estou muito feliz em poder fazer aquilo que amo, que é jogar vôlei, representando meu clube de coração e em uma cidade que me acolheu no passado.

Legenda:

Serginho – Serginho em sua despedida da seleção: “Agora não falta mais nada” (Foto: Wander Roberto/CBV)

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.