Correio de Carajás

Emendas travam votação

Com o Plenário lotado de professores, a sessão desta terça-feira, 16, foi marcada pela expectativa de votação do Projeto de Lei do Executivo que modifica o PCCR (Plano de Cargos, Carreira e Remuneração) do Magistério.

Depois de debaterem o tema exaustivamente, os professores aprovaram a recepção de sete emendas ao projeto original do Executivo e enviá-las para a Comissão de Legislação Justiça e Redação, para que sejam avaliadas.

Os vereadores que usaram a tribunal para discutir o projeto foram favoráveis ao pleito dos educadores e sustentaram a necessidades de ampliar a discussão antes de levar o assunto para votação definitivamente.

Leia mais:

A vereadora Irismar Araújo sustentou que a dilapidação nos cofres ocorrida nos últimos anos não foi culpa dos educadores. Para ela, como o projeto está concebido, mesmo depois de o Executivo ter enviado um Substitutivo ao primeiro, ainda retira direitos básicos dos educadores.

Ela elogiou a postura do Sintepp, que peregrinou em todos os gabinetes para discutir o assunto com os vereadores e apresentou propostas importantes.

Para o vereador Ilker Moraes, a “batalha do PCCR” foi dura nos últimos dias e lembra que a Constituição Federal proíbe retirada de direitos. “É possível fazer algumas correções no PCCR em função dos problemas financeiros do município. O debate não se exauriu. Não se pode votar como quer hoje a maioria dos vereadores, porque ainda há muita coisa a ser discutida”, ponderou.

O vereador Marcelo Alves, presidente da Comissão de Educação da Casa, rememorou o histórico de tramitação e discussões do PCCR na Cãmara e também concordou que precisa ser debatido mais um pouco porque há algumas questões polêmicas. “Não voto o projeto hoje sem as emendas da Irismar. O projeto deve voltar para a Comissão. Não custa nada esperar mais um pouco. No futuro, vão dizer quem estava certo e errado e vamos pecar por causa de dez dias?”, questionou.

O presidente Pedro Correa ponderou com os colegas a necessidade de avaliar as propostas para recepção e análise das emendas e também o rito da tramitação do projeto. Depois de definido que as emendas seriam recebidas para análise, o presidente explicou aos presentes que depois de analisadas, o projeto voltará ao Plenário, devendo ser votado em dois turnos distintos.

O presidente da Comissão de Constituição, Justiça e Legislação, Miguel Gomes Filho, informou que o calendário da reunião da referida comissão será o seguinte para discutir as emendas: nesta sexta-feira, dia 19, e segunda-feira, 22, na reunião ordinária. Ele pediu para que todos os vereadores estejam presentes à reunião, além de representação do Sintepp.

Com o Plenário lotado de professores, a sessão desta terça-feira, 16, foi marcada pela expectativa de votação do Projeto de Lei do Executivo que modifica o PCCR (Plano de Cargos, Carreira e Remuneração) do Magistério.

Depois de debaterem o tema exaustivamente, os professores aprovaram a recepção de sete emendas ao projeto original do Executivo e enviá-las para a Comissão de Legislação Justiça e Redação, para que sejam avaliadas.

Os vereadores que usaram a tribunal para discutir o projeto foram favoráveis ao pleito dos educadores e sustentaram a necessidades de ampliar a discussão antes de levar o assunto para votação definitivamente.

A vereadora Irismar Araújo sustentou que a dilapidação nos cofres ocorrida nos últimos anos não foi culpa dos educadores. Para ela, como o projeto está concebido, mesmo depois de o Executivo ter enviado um Substitutivo ao primeiro, ainda retira direitos básicos dos educadores.

Ela elogiou a postura do Sintepp, que peregrinou em todos os gabinetes para discutir o assunto com os vereadores e apresentou propostas importantes.

Para o vereador Ilker Moraes, a “batalha do PCCR” foi dura nos últimos dias e lembra que a Constituição Federal proíbe retirada de direitos. “É possível fazer algumas correções no PCCR em função dos problemas financeiros do município. O debate não se exauriu. Não se pode votar como quer hoje a maioria dos vereadores, porque ainda há muita coisa a ser discutida”, ponderou.

O vereador Marcelo Alves, presidente da Comissão de Educação da Casa, rememorou o histórico de tramitação e discussões do PCCR na Cãmara e também concordou que precisa ser debatido mais um pouco porque há algumas questões polêmicas. “Não voto o projeto hoje sem as emendas da Irismar. O projeto deve voltar para a Comissão. Não custa nada esperar mais um pouco. No futuro, vão dizer quem estava certo e errado e vamos pecar por causa de dez dias?”, questionou.

O presidente Pedro Correa ponderou com os colegas a necessidade de avaliar as propostas para recepção e análise das emendas e também o rito da tramitação do projeto. Depois de definido que as emendas seriam recebidas para análise, o presidente explicou aos presentes que depois de analisadas, o projeto voltará ao Plenário, devendo ser votado em dois turnos distintos.

O presidente da Comissão de Constituição, Justiça e Legislação, Miguel Gomes Filho, informou que o calendário da reunião da referida comissão será o seguinte para discutir as emendas: nesta sexta-feira, dia 19, e segunda-feira, 22, na reunião ordinária. Ele pediu para que todos os vereadores estejam presentes à reunião, além de representação do Sintepp.

Comentários

Mais

Senadores divulgam relatório sobre mortes de indigenista e jornalista

Senadores divulgam relatório sobre mortes de indigenista e jornalista

A Comissão Temporária sobre a Criminalidade na Região Norte do Senado, criada para investigar o assassinato do indigenista Bruno Araújo…
Ministro da Saúde pede investimentos privados na área de inovação

Ministro da Saúde pede investimentos privados na área de inovação

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse hoje (16) a empresários do setor que o grande lucro obtido pela indústria farmacêutica no Brasil durante…
Pará tem 9 candidatos ao governo estadual, 619 à Assembleia, 299 à Câmara dos Deputados e 11 ao Senado

Pará tem 9 candidatos ao governo estadual, 619 à Assembleia, 299 à Câmara dos Deputados e 11 ao Senado

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) recebeu nove pedidos de candidaturas ao governo do Estado do Pará, todos aguardando julgamento. Entre…
Campanha eleitoral começa hoje nas ruas do país

Campanha eleitoral começa hoje nas ruas do país

Candidatos à Presidência da República, aos governos dos estados e aos cargos de senador, deputado federal, estadual e distrital saem,…
Prazo para registro de candidatos termina na segunda

Prazo para registro de candidatos termina na segunda

Termina na próxima segunda-feira (15) o prazo para que partidos, coligações e federações partidárias apresentem o registro de candidatos para qualquer…
Decreto autoriza atuação das Forças Armadas nas eleições

Decreto autoriza atuação das Forças Armadas nas eleições

O presidente Jair Bolsonaro assinou decreto que autoriza a atuação das Forças Armadas nas eleições deste ano, em ações para…