> O governador Helder Barbalho,em palestra realizada na sede do Tribunal de Contas do Estado (TCE), na manhãdesta segunda-feira (8), apresentou os projetos que vão garantir odesenvolvimento social e econômico do Pará e confirmou que R$126 bilhões serãoaplicados em áreas estratégicas como turismo, agricultura, pecuária esegurança, nos próximos dez anos.

> Para o auditor-geral doEstado, Giussepp Mendes, que foi convidado pelo governador para acompanhá-lo, aparticipação no evento chamado “Sexta da Integração,” foi umaoportunidade para apresentar as condições de geração de emprego e renda criadasa partir do melhor uso dos recursos públicos.

> Segundo ele, com o incrementodas atividades na Auditoria-Geral do Estado, o órgão conseguiu identificar eacabar com irregularidades que consumiam o erário. O resultado dessecomprometimento está vindo em mais capacidade de atuação e transformação.

> “Agora, de fato, o dinheiropúblico do Pará está tendo destino certo,” declarou Mendes à imprensa. Oauditor-geral comanda um importante trabalho em busca da transparência nasações públicas do estado e melhor aplicação do erário.

> Em apenas três meses de gestãona AGE, já foram abertos inúmeros processos de apuração de obras suspeitas deirregularidades praticadas pelo governo anterior.

> Parcela dos pecuaristas andajururu com o presidente Jair Bolsonaro, que tanto apoiaram. É que continuapairando o fantasma da cobrança do retroativo do Funrural. Para alguns, opresidente, ao chegar ao Planalto, resolveria a questão numa canetada.

> Ocorre que a turma do jurídicovetou todas as saídas cogitadas por Bolsonaro, alertando-o que poderia incorrerem crime de responsabilidade e criar situação para perder o mandato.

> Com isso, o presidente mandoudizer que os agricultores e pecuaristas terão de ter paciência e aguardartentativa de mudanças na lei, via Congresso Nacional. A bronca é generalizada.