Ads

Judiciário

Ads

Servidores do Poder Judiciário paraense estabeleceram greve desde o último dia 20. Eles se reuniram em frente à sede da Assembleia Legislativa do Pará (Alepa), em Belém. O principal motivo da paralisação seria a falta de reposição inflacionária das datas-bases de 2016 e 2019. O Sindicato da categoria acredita que entre 25% e 30% dos 4.500 servidores do órgão iriam aderir ao movimento. Na Comarca de Marabá, nos últimos dois dias o atendimento ao público e trabalho interno foram normais.

Judiciário II

Os servidores também reclamam do fato de não conseguir chegar a um acordo, com a atual administração do Tribunal. Outros pontos seriam as reformas de fórum sem suspensão de expediente, obrigando os servidores a trabalharem em locais insalubre e a categoria pede por mais segurança nos fóruns. A pauta de reivindicações inclui recuperação das perdas salariais e reajuste de auxílio-alimentação 2019, auxílio-transporte a todos os servidores, equiparação entre as tabelas de progressão de todas as carreiras.

Tribunal

Sobre o tema, o TJPA se manifestou em nota na qual garante que foram realizadas quatro reuniões para tratativas da revisão da remuneração dos servidores do Judiciário. Nas referidas reuniões, os representantes das entidades sindicais apresentaram suas propostas relativas ao percentual de revisão da remuneração dos servidores, da atualização do valor do Auxilio Alimentação e de possíveis perdas salariais. A Direção do Tribunal apresentou os dados do orçamento, explicou as limitações de ordem financeira do exercício, frente a conjuntura econômica vigente no país.

Hanseníase

Uma doença considerada erradicada em grande parte do mundo ainda é um problema de saúde pública no Brasil: a hanseníase tem cerca de 28 mil novos casos registrados por ano no país, que ocupa o segundo lugar no ranking mundial de novos pacientes diagnosticados, atrás apenas da Índia. Agora, um estudo recente publicado por pesquisadores brasileiros indica que o problema pode ser ainda mais sério: detectou-se uma existência de bactérias resistentes ao tratamento-padrão em maior proporção do que os números divulgados pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Sarampo

Em atendimento à orientação do Ministério da Saúde, a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), em conjunto com secretarias Municipais de Saúde, iniciará nesta quinta-feira (22), como medida preventiva, a vacinação de crianças de seis meses a menores de um ano de idade, faixa etária mais suscetível a casos graves e óbitos em função da doença.

Sarampo II

Essa dose de vacina é denominada tecnicamente de “dose zero”. Não substitui e nem será considerada válida para o calendário nacional de vacinação da criança. Além da dose que será aplicada agora, os pais e responsáveis devem levar as crianças para tomar a vacina tríplice viral aos 12 meses (1ª dose) e a vacina tetra viral (ou tríplice viral) mais varicela aos 15 meses (2ª dose), respeitando o intervalo mínimo de 30 dias entre as doses.

Ads