Correio de Carajás

Região de Marabá atinge 100% de ocupação de leitos para covid-19

Foto: Divulgação
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Duas regiões do Pará estão com 100% dos leitos clínicos exclusivos para pacientes com Covid-19 ocupados nesta terça-feira (5). De acordo com a da Secretaria de Saúde do Pará (Sespa), todos os oito leitos de enfermaria das regiões de Carajás e Baixo Amazonas estão lotados. Dados da plataforma de monitoramento da Sespa também revelam que a taxa de ocupação dos leitos de UTI está em 93% nessas localidades.

De acordo com a Governo do Pará, existem quatro leitos clínicos na região do Baixo Amazonas e outros quatro na região de Carajás. Todos estão ocupados por pacientes com Covid-19. Já em relação aos leitos de UTI, 19 dos 20 existentes na região de Carajás estão ocupados. No Baixo Amazonas, 9 dos 10 leitos estão lotados.

Apenas dois hospitais públicos estaduais atendem essas regiões. Em Carajás, os pacientes com o novo coronavírus são atendidos pelo Hospital Regional Doutor Geraldo Veloso, em Marabá. Já no Baixo Amazonas, os pacientes com Covid-19 são atendidos no Hospital Regional do Baixo Amazonas, em Santarém.

Leia mais:

A situação também é grave na região do Rio Caetés. Lá todos os 11 leitos de UTI estão ocupados. A taxa de ocupação de leitos clínicos é mais confortável, com 36.36%. Quatro hospitais da região possuem leitos para Covid-19, mas apenas um, o Hospital Santo Antônio Maria Zaccaria, possui leitos de UTI.

Segundo a Sespa, juntas, as três regiões (Baixo Amazonas, Carajás e Rio Caetés), possuem 46 municípios. Isso corresponde a 31% de todas as cidades do Pará.

Na média geral do estado – somando todas as regiões do Pará -, a porcentagem de ocupação dos leitos de UTI exclusivos para Covid-19 é de 68.72%. Já os de enfermaria estão 39.09% ocupados.

No dia 28 de dezembro, o Governo do Pará publicou um novo decreto tornando mais restritiva a liberação de atividades econômicas no estado. Segundo o documento, as regiões do Xingu e do Tapajós saíram da bandeira amarela para a laranja, classificação de segurança que exige mais restrições.

De acordo com os dados divulgados, o Pará apresentou, em dezembro, 356 solicitações de internação em UTIs provocadas pelo coronavírus. O número é maior que os identificados em novembro (326) e em outubro (308). Por esse motivo, o governo do Estado anunciou o incremento de mais 55 leitos de UTI e 10 clínicos na rede estadual de saúde.

“Volto a dizer que o Estado sinaliza a situação de cada região, mas a determinação sobre quais atividades devem ser autorizadas, quais serviços e estabelecimentos, continua sendo de responsabilidade das prefeituras. Mudar da bandeira amarela pra laranja indica que estes municípios devem estar em alerta e tornar esta liberação mais restritiva do que a forma que estava sendo adotada anteriormente”, explicou o procurador-geral do Estado, Ricardo Sefer. (Fonte: G1.com)

Comentários

Mais

“Não tem como não se emocionar”, diz devota de Nossa Senhora de Nazaré

“Não tem como não se emocionar”, diz devota de Nossa Senhora de Nazaré

Se tem um mês que certamente é o mais amado pelos paraenses é outubro, quando é celebrado o Círio de…
Sindecomar: Diretores denunciam presidente e falam em assédio moral

Sindecomar: Diretores denunciam presidente e falam em assédio moral

O Portal Correio de Carajás recebeu uma série de denúncias em desfavor do atual presidente do Sindicato dos Trabalhadores no…
Butantan recebe autorização para iniciar testes de soro anti-covid

Butantan recebe autorização para iniciar testes de soro anti-covid

O Instituto Butantan recebeu hoje (15) a autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para iniciar, em humanos, testes complementares do…
“A faculdade é na sala de aula; é ela quem nos forma”, diz professora

“A faculdade é na sala de aula; é ela quem nos forma”, diz professora

Há muitas salas de aula de Marabá com educadores motivados – seja na rede pública ou privada. E são eles…
Teste de anticorpos não deve substituir vacina contra a covid, como sugere deputado do PR

Teste de anticorpos não deve substituir vacina contra a covid, como sugere deputado do PR

Falso São falsas as alegações do deputado estadual Ricardo Arruda (PSL-PR) em um vídeo em que ele afirma que os…
Tuíte engana ao dizer que vacina da Pfizer tem partículas contaminantes

Tuíte engana ao dizer que vacina da Pfizer tem partículas contaminantes

Enganoso É enganosa a publicação que circula nas redes sociais afirmando que há micropartículas contaminantes na vacina desenvolvida pela Pfizer…