Correio de Carajás

Professores aposentados não recebem retroativo e Ipasemar cobra Prefeitura

Professores da educação municipal foram até o Ipasemar protestar / Foto: Evangelista Rocha
Professores da educação municipal foram até o Ipasemar protestar / Foto: Evangelista Rocha

Na manhã desta segunda-feira (8), os professores da rede municipal de educação de Marabá voltaram a reivindicar o pagamento do retroativo do piso salarial e o enquadramento nos salários. Nessa terceira vez, na sede do Ipasemar (Instituto de Previdência Social dos Servidores Públicos do Município de Marabá). A questão agora é que nem mesmo os servidores aposentados receberam o retroativo do piso salarial.

Com uma faixa com o pedido “Prefeito, exigimos o pagamento retroativo e o reajuste de 2020 dos aposentados” e um carro de som com músicas cobrando os direitos, o grupo se reuniu à frente do Instituto e cobrava explicações para o depósito pela metade do retroativo dos professores e o não pagamento do retroativo dos aposentados.

A diretora da Subsede de Marabá do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Estado do Pará (Sintepp), Joyce Cordeiro Rebelo, informou que a categoria se reuniu com a presidente do Ipasemar, Nilvana Monteiro Sampaio Ximenes, para tratar do assunto.

Leia mais:

“Reforçamos que não vamos parar com a nossa luta, pois o Ipasemar deve ser reunir com a Secretaria Municipal de Educação (Semed) e o prefeito Tião Miranda, para que ele autorize o pagamento dos aposentados. Quem começou essa política de ‘poupança’ foi ele [Tião] e isso está saindo como um prejuízo para nós”, alegou Joyce ao usar o microfone do carro de som.

A diretora do Sintepp ainda convocou os aposentados para uma nova manifestação na quinta-feira (11), com a finalidade de cobrar os pagamentos não realizados. “Em abril já vem o desconto dos 14% e isso vai gerar uma perda de 3% no salário, sem o reajuste. A Prefeitura possui dinheiro na conta para fazer o pagamento e precisa quitar essa dívida com os educadores”, cobrou Joyce.

Domingas Ximenes reforça que professores não são baderneiros e querem apenas seus direitos / Foto: Evangelista Rocha

A professora Domingas Ximenes posicionou que a manifestação não é em vão e que a luta é por direitos garantidos em lei. “Queremos que o prefeito se sensibilize, porque ele é um ser humano como nós que um dia irá se aposentar. Até o Ipasemar quer entender o que está acontecendo, por que que esse pagamento não foi realizado”, completou.

A presidente do Instituto, Nilvana Sampaio, encaminhou um ofício para a secretária Municipal de Educação, Marilza Leite, cobrando informações sobre como se deu o complemento do piso de 2020; por que não foi realizada a dedução de contribuição previdenciária; como se deu o cálculo; qual o percentual usado; e se houve alteração do piso salarial após o pagamento do complemento.

A Semed terá um prazo de cinco dias para responder aos questionamentos do Ipasemar para que a autarquia municipal possa adotar as medidas cabíveis.

O Portal Correio solicitou um posicionamento da Prefeitura Municipal sobre a manifestação, que respondeu com a seguinte nota:

“A Secretaria de Educação, juntamente com o Conselho do Fundeb, está verificando a situação caso a caso e em breve deve apresentar o plano para pagamento desta segunda parcela do retroativo em uma reunião conjunta com o sindicato. A secretaria informa que os salários de janeiro já foram pagos, incluindo um sexto de férias para a classe dos educadores no valor de 1,5 milhão de reais”. (Zeus Bandeira e Evangelista Rocha)

Comentários

Mais

Auxiliar de serviços gerais devolve pix de R$ 95 mil feito por engano

Auxiliar de serviços gerais devolve pix de R$ 95 mil feito por engano

Jayro Pimentel, morador de Gurupi, no sul do Tocantins, é auxiliar de serviços gerais em uma fábrica de produtos de…
Veja os voos que ficaram mais caros para viajar nas férias de julho

Veja os voos que ficaram mais caros para viajar nas férias de julho

Viajar de avião nas férias de julho ficou mais caro do que antes da pandemia para muitos lugares, principalmente para o…
Planos de saúde poderão subir até 15,5%; é o maior reajuste já aprovado

Planos de saúde poderão subir até 15,5%; é o maior reajuste já aprovado

Após um inédito reajuste negativo no ano passado, os planos de saúde individuais ou familiares poderão subir até 15,5% este ano.…
Lei que amplia Prouni para estudantes de escolas privadas é sancionada

Lei que amplia Prouni para estudantes de escolas privadas é sancionada

O presidente da República, Jair Bolsonaro, sancionou a Lei 14.350/2022 que amplia o acesso ao Programa Universidade para Todos (Prouni) para alunos…
Pesquisa descobre pirâmides da era pré-colonial na Amazônia

Pesquisa descobre pirâmides da era pré-colonial na Amazônia

Pesquisadores da Alemanha descobriram “cidades” na Amazônia da Bolívia que datam da era pré-colonial. O achado, inédito, foi descrito em um estudo publicado na revista “Nature”…
No 4º dia de greve, prefeito Tião Miranda garante se reunir com os três sindicatos

No 4º dia de greve, prefeito Tião Miranda garante se reunir com os três sindicatos

“Trabalhador na rua, Tião a culpa é sua”, foram os gritos dos manifestantes ao prefeito de Marabá Tião Miranda, enquanto…