Correio de Carajás

Primeiro satélite 100% brasileiro será lançado no fim de fevereiro

INPE - Instituto Nacional de Pesquisa Espacial
INPE - Instituto Nacional de Pesquisa Espacial
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

O satélite Amazônia-1, o primeiro de observação da Terra projetado, integrado, testado e operado pelo Brasil, será lançado no dia 28 de fevereiro, à 1h54 (horário de Brasília). O Amazônia-1 será lançado na missão PSLV-C51, da agência espacial indiana Indian Space Research Organisation (ISRO), às 10h24 (horário da Índia).

O satélite faz parte da chamada Missão Amazônia, criada para fornecer dados de sensoriamento remoto para observar e monitorar o desmatamento, especialmente na região amazônica. A missão também vai monitorar a agricultura em todo o território nacional com alta taxa de revisita, buscando atuar em sinergia com os programas ambientais existentes.

Esse será o terceiro satélite brasileiro de sensoriamento remoto em operação junto ao CBERS-4 e ao CBERS-4A. Esses dois últimos foram desenvolvidos pelo Brasil em parceria com a China. O Amazônia-1 tem seis quilômetros de fios e 14 mil conexões elétricas. Trata-se de um satélite de órbita Sol síncrona (polar) que gerará imagens do planeta a cada cinco dias. Ele é capaz de observar uma faixa de aproximadamente 850 km, com 64 metros de resolução.

Leia mais:

A vida útil do Amazônia-1 é de quatro anos. A missão ainda prevê o lançamento de mais dois satélites, o Amazônia-1B e o Amazônia-2.

“A Missão Amazônia irá consolidar o conhecimento do Brasil no desenvolvimento integral de uma missão espacial utilizando satélites estabilizados em três eixos, visto que os satélites de sensoriamento remoto anteriores foram desenvolvidos em cooperação com outros países”, afirmou o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), em nota.

“A indústria espacial brasileira terá ganho herança de voo nos equipamentos fabricados para o satélite, o que abre perspectivas para fornecimento a outros países e agências espaciais”, acrescentou o instituto.(Graça Adjuto/ Agência Brasil)

Comentários

Mais

Produção de abacaxi e mandioca se destaca na Região do PA Lajedo

Produção de abacaxi e mandioca se destaca na Região do PA Lajedo

Da casa do agricultor Jedeon Miranda de Andrade, 33 anos, à produção de abacaxi, percorremos quase dois quilômetros, passando primeiro…
Moradores próximos ao Ramal S11D protestam em ferrovia

Moradores próximos ao Ramal S11D protestam em ferrovia

Em manifestação pacífica ocorrida neste domingo (20), no quilômetro 18 da Estrada de Ferro Carajás, em trecho do Ramal S11D,…
Conta de luz deve continuar subindo e risco de racionamento é alto

Conta de luz deve continuar subindo e risco de racionamento é alto

O Brasil é um país com enormes possibilidades energéticas, mas ainda está refém das chuvas e das usinas termoelétricas, que…
Anitta entra para o conselho de administração do Nubank

Anitta entra para o conselho de administração do Nubank

A Anitta é a mais nova membro do conselho de administração do Nubank. A parceria entre a cantora e a fintech foi anunciada…
Desmatamento avança no Cerrado e faz crescer risco de apagão elétrico no Brasil

Desmatamento avança no Cerrado e faz crescer risco de apagão elétrico no Brasil

Com só 60 mil habitantes, o município goiano de Cristalina é um dos berços de um sistema que leva água…
Pará recebeu mais uma remessa de vacinas na madrugada desta segunda-feira (21).

Pará recebeu mais uma remessa de vacinas na madrugada desta segunda-feira (21).

O Estado do Pará recebeu na madrugada desta segunda-feira (21), a 34ª remessa de vacinas contra Covid-19. Ao todo, foram…