Correio de Carajás

Prefeito “escorraça” coordenadora do CRAS de Morada Nova

Elaine se sentiu escorraçada pela gestão municipal

Na manhã desta sexta-feira (5), boa parte da comunidade de Morada Nova fez manifestação em frente ao Centro de Referências de Assistência Social (Cras) daquele núcleo para reclamar do afastamento da coordenadora do centro, Elaine de Souza Leite Sampaio, que já está há três anos e meio lotada ali e há um ano e meio como coordenadora. A população não se conforma com a decisão do prefeito Tião Miranda de afastar a servidora.

“Fui escorraçada, vamos dizer assim, pelo atual governo, simplesmente porque não vou fazer parte da campanha do filho do atual gestor”, desabafa. Para ela, a decisão é de cunho político, uma perseguição, e não de caráter técnico, como deveria ser.

“A gente fica triste da forma como foi feito o processo, infelizmente ontem (dia 4) eu recebi a notícia que hoje eu deveria ser transferida para a educação”, lamenta Elaine.

Leia mais:

Moradores do núcleo se reuniram em frente ao CRAS para protestar contra a saída da coordenadora. Apesar de entristecida pela decisão da gestão municipal, Elaine agradece profundamente o apoio da comunidade, onde é querida. “Têm três anos que eu trabalho aqui no CRAS e as pessoas são testemunhas do trabalho que eu tenho feito para ajudar a comunidade”.

Moradores do núcleo Morada Nova protestam contra a saída da coordenadora

Moradores revoltados

“Nós queremos a Elaine aqui”. É o grito dos moradores que não se conformam com a saída da coordenadora.

João Vitorino da Silva, morador do bairro, é categórico: “O candidato nem ganhou a política e já está contra os eleitores, não pode, porque ele pode perder a política”. Ele reforça a exigência em saber os motivos que levaram o gestor municipal a tirar Elaine de seu cargo.

Iraceli Marques, uma das protestantes, indaga: “Queremos saber por que ela foi exonerada do cargo, sendo que ela vem prestando um serviço bom para a sociedade, nós todos somos tratados como pessoas, temos uma boa relação. É uma boa pessoa, de caráter, honesta, nós queremos respostas, queremos saber o porquê?”.

“Nós não aceitamos a saída dela. Qualquer coisa, nós vamos para qualquer outro lugar (protestar) atrás disso. Nós queremos ela aqui”, afirma veementemente Iraceli.

Nota não explica motivo da saída

Em nota, a Prefeitura de Marabá informou, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social, Proteção e Assuntos Comunitários (Seaspac), que a servidora Elaine Sampaio, pedagoga concursada pela Secretaria Municipal de Educação (Semed), foi cedida para a Seaspac em 18 de janeiro de 2019, para atuar como técnica no Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos do CRAS de Morada Nova, passando à coordenação do referido CRAS em 1º  de fevereiro do ano passado.

“Como a servidora concursada era apenas cedida, ela retornou à secretaria de origem nesta sexta-feira, 05/08/2022, para atuar na sua área de formação, tratando-se apenas de reordenação de servidores, algo que acontece quando há cedência de servidores”, conclui a nota.

O documento só não explica o que motivou o retorno de Elaine à Semed, dando margem a várias interpretações, inclusive a perseguição política, pois, como ela mesma falou, o motivo de sua saída se deve ao fato de ela não fazer campanha para Thiago Miranda, filho do prefeito. (Luciana Araújo e Chagas Filho)

Comentários