Correio de Carajás

Preço do arroz sobe e fica ‘salgado’ em Parauapebas

Raimundo e Raiele, pai e filha, foram às compras, mas acharam o preço do arroz bem salgadinho
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

O arroz é o protagonista na mesa de muitos brasileiros, porém, o parauapebense está assustado com aumento no valor do produto. Em alguns supermercados do município o pacote de cinco quilos está sendo comercializado por mais de R$ 24.

O casal Márcio Cabral e Elisangela Bonfim aproveitou a manhã da última sexta-feira (4), para fazer as compras do mês. “Aumentou uns R$6 a marca do arroz que a gente comprava. No mês passado estava por R$14, hoje está custando R$20”, detalha.

Casal Márcio Cabral e Elisangela Bonfim dizem que arroz subiu R$ 6,00 em uma semana

Para Elisângela, a opção foi mudar a marca do arroz: “vou levar o da promoção”, justificou ao dizer que está assustada com a disparada do preço, porém, para ela não tem como substituir, já que o item é indispensável na refeição do casal.

Leia mais:

Raimundo dos Santos também foi as compras no supermercado no mesmo dia, em companhia da filha Raile Silva. Para ele, os preços estão abusivos. “Vai chegar o dia que não se pode comprar um quilo de arroz, se para gente que trabalha está difícil, imagina quem está desempregado, como fica?”, questiona Raimundo.

O economista Marcos Silva pontua que o país sentiu o impacto no aumento do preço do arroz, não somente em Parauapebas, enumerando os motivos, como a alta do dólar e a própria pandemia da covid-19.

Devido à pandemia, as famílias estão comendo mais em casa, e investindo mais dinheiro em alimentação, uma vez que os supermercados mesmo em tempo de crise continuaram lotados. Outro fator que agravou a mudança de preço, é que a procura aumentou, mas a produtividade diminuiu. “A pandemia aumentou o custo para fazer a colheita no campo”.

Para o economista, a alternativa é procurar marcas substitutas e fazer pesquisa de preços “é a forma de combater a alta do produto neste momento”. (Theíza Cristhine)

Comentários

Mais

Dr. Naves retorna a Marabá e é recebido com festa por familiares e amigos

Dr. Naves retorna a Marabá e é recebido com festa por familiares e amigos

José Divino Naves, mais conhecido como Dr. Naves, desembarcou às 16h30 deste sábado (18) em Marabá, após passar 5 meses…
Índice reúne dados sobre a inclusão de brasileiros com deficiência

Índice reúne dados sobre a inclusão de brasileiros com deficiência

Passados 11 anos desde a realização do último censo nacional, o Instituto Olga Kos de Inclusão Cultural, uma associação sem…
Anvisa aprova indicação de baricitinibe para covid-19

Anvisa aprova indicação de baricitinibe para covid-19

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou na noite desta sexta-feira que aprovou a indicação do medicamento baricitinibe para…
Pará registra 587.922 casos de Covid-19 e 16.578 mortes pela doença

Pará registra 587.922 casos de Covid-19 e 16.578 mortes pela doença

O Pará contabilizou mais 51 casos de Covid-19 e 4 mortes causadas pela doença. Segundo o boletim divulgado pela Secretaria…
“Forma Pará” recepciona calouros de Jacundá e Itupiranga

“Forma Pará” recepciona calouros de Jacundá e Itupiranga

“O Forma Pará, antes de qualquer coisa, é um programa que cuida de pessoas. E vocês também serão profissionais que…
Família de adolescente morto por “Trem da Alegria” não recebeu apoio financeiro da empresa

Família de adolescente morto por “Trem da Alegria” não recebeu apoio financeiro da empresa

A família do adolescente Marcos Henrique dos Santos, de 14 anos, que foi morto na noite desta quinta-feira (16), no…