Correio de Carajás

Ponte do Araguaia: Ordem de serviço será assinada no dia 14 de setembro

A tão esperada ponte para ligar o Pará ao Tocantins, sobre o Rio Araguaia, entre São Geraldo (PA) e Xambioá (TO), na BR-153, finalmente vai sair do papel. A assinatura da Ordem de Serviço autorizando o início da obra ocorrerá no dia 14 de setembro, com solenidades realizadas dos dois lados do rio. A data foi definida em reunião nesta quarta-feira (16), em Brasília, entre o ministro Maurício Quintella (Transportes), o ministro Helder Barbalho (Integração Nacional) e o deputado estadual João Chamon Neto, que vem acompanhando a questão há anos.

A obra deve interligar as malhas viárias federais dos dois estados, e está orçada em R$ 160 milhões. A ponte terá 1.724 metros de extensão. A data de início formal da obra e tempo de execução serão divulgados apenas no dia da assinatura da ordem. A travessia hoje é feita por balsas, no local que é considerado um dos pontos de maior fluxo de entrada e saída de mercadorias do estado do Pará, dado a proximidade geográfica da fronteira paraense, para a rodovia Belém-Brasília.

SOLENIDADE

Leia mais:

João Chamon explicou ontem por telefone ao CORREIO que devido a contribuição das duas bancadas federais, a do Pará e do Tocantins, para alocar os recursos e fazer a obra figurar no Plano de Aceleração do Crescimento (PAC), serão duas solenidades, uma em cada margem do rio.

A primeira será em Xambioá, às 11 horas da manhã. Para esta, uma parte da comitiva dos ministros viajará de Brasília a Araguaína, e de lá seguirá ao local. A outra parte dos políticos, oriunda de Belém, desembarcará em Marabá e daqui segue a São Geraldo do Araguaia para a segunda solenidade, às 14 horas, no lado paraense.

“Estou muito feliz de ter contribuído para a chegada deste momento histórico. Imagino a felicidade do povo de São Geraldo, que vai ter materializado o sonho de anos, da ligação com a vizinha Xambioá e o aumento do fluxo de transporte de carga e viagem de veículos menores, contribuindo para a economia local”, narrou o deputado Chamon, que foi o primeiro a dar a notícia ao prefeito Edilson Pereira, em telefonema feito ainda do gabinete do ministro.

A tão esperada ponte para ligar o Pará ao Tocantins, sobre o Rio Araguaia, entre São Geraldo (PA) e Xambioá (TO), na BR-153, finalmente vai sair do papel. A assinatura da Ordem de Serviço autorizando o início da obra ocorrerá no dia 14 de setembro, com solenidades realizadas dos dois lados do rio. A data foi definida em reunião nesta quarta-feira (16), em Brasília, entre o ministro Maurício Quintella (Transportes), o ministro Helder Barbalho (Integração Nacional) e o deputado estadual João Chamon Neto, que vem acompanhando a questão há anos.

A obra deve interligar as malhas viárias federais dos dois estados, e está orçada em R$ 160 milhões. A ponte terá 1.724 metros de extensão. A data de início formal da obra e tempo de execução serão divulgados apenas no dia da assinatura da ordem. A travessia hoje é feita por balsas, no local que é considerado um dos pontos de maior fluxo de entrada e saída de mercadorias do estado do Pará, dado a proximidade geográfica da fronteira paraense, para a rodovia Belém-Brasília.

SOLENIDADE

João Chamon explicou ontem por telefone ao CORREIO que devido a contribuição das duas bancadas federais, a do Pará e do Tocantins, para alocar os recursos e fazer a obra figurar no Plano de Aceleração do Crescimento (PAC), serão duas solenidades, uma em cada margem do rio.

A primeira será em Xambioá, às 11 horas da manhã. Para esta, uma parte da comitiva dos ministros viajará de Brasília a Araguaína, e de lá seguirá ao local. A outra parte dos políticos, oriunda de Belém, desembarcará em Marabá e daqui segue a São Geraldo do Araguaia para a segunda solenidade, às 14 horas, no lado paraense.

“Estou muito feliz de ter contribuído para a chegada deste momento histórico. Imagino a felicidade do povo de São Geraldo, que vai ter materializado o sonho de anos, da ligação com a vizinha Xambioá e o aumento do fluxo de transporte de carga e viagem de veículos menores, contribuindo para a economia local”, narrou o deputado Chamon, que foi o primeiro a dar a notícia ao prefeito Edilson Pereira, em telefonema feito ainda do gabinete do ministro.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.