Duciomar Costa, é acusado de desviar de recursos públicos — Foto: Oswaldo Forte/Amazônia Hoje
Ads

A Polícia Federal realiza na manhã desta terça-feira (6), a operação ‘Cidadela’ para o cumprimento de mandados de busca e apreensão de documentos e informações sobre mais uma empresa que pode fazer parte de um sistema de desvio de recursos públicos comandado pelo ex-prefeito de Belém, Duciomar Costa. A operação esta sendo realizada após a justiça considerar o pedido do Ministério Público.

Ads

Os mandados estão sendo cumpridos na empresa Salute Medicamentos, em Ananindeua, na região metropolitana de Belém, e na residência do sócio-proprietário da empresa, Adalberto Araújo Rocha Júnior, na capital paraense. Estão sendo coletados, nesses locais, documentos, aparelhos eletrônicos e valores em dinheiro. Segundo investigações realizadas pelo MPF e pela Controladoria-Geral da União (CGU), há indícios de que Duciomar Costa seja sócio oculto da empresa.

Outras prisões

Duciomar foi preso temporariamente em dezembro de 2017 pela Operação Forte do Castelo, acusado pelo Ministério Público Federal (MPF) de ter coordenado esquema de desvio de dinheiro público durante a gestão na prefeitura. Foram mais de R$400 milhões desviados. O montante é quatro vezes o valor do portal da Amazônia. A defesa de Duciomar nunca se pronunciou sobre as acusações.

Na época, Duciomar chegou à PF em uma cadeira de rodas. No dia seguinte à prisão, o ex-prefeito e a esposa saíram do presídio para cumprir prisão domiciliar. O casal alegou problemas de saúde e saíram de carro do presídio Anastácio das Neves, em Santa Izabel.

(Fonte:G1)

Ads