Uma multidão acordou cedinho para participar da corrida do Sesi, que teve largada às 6h30
Ads

Ele vem sempre de Itupiranga e é destaque no circuito de corridas de Marabá. Neste domingo, 8 de setembro, Renato Félix da Silva tornou-se tricampeão seguido da Corrida do Sesi, que este ano chega a sua 11ª versão com o mesmo charme da primeira, em 2008.

Ads

Embora ainda esteja “voando”, Renato tem 46 anos de idade e chegou à frente de muitos jovens que também possuem grande potencial. Ele disse que este ano foi campeão da Corrida do Sesi pela terceira vez consecutiva e que não havia participado das edições anteriores. Os 5 km de distância foram cravados em 16 minutos e 20 segundos, enquanto o segundo colocado marcou 16 minutos e 39 segundos.

Renato ganhou 400 reais como premiação. O segundo colocado em sua categoria levou R$ 300,00 e o terceiro, R$ 200,00. A maior premiação ficou para os melhores colocados que representavam a indústria, que levaram para casa R$ 600,00 R$ 400,00 e R$ 300,00, respectivamente.

O campeão geral, que veio de Itupiranga, tem 46 anos e muito fôlego pra correr.

A largada da corrida aconteceu às 6h30, em frente ao portão do Sesi e teve percurso passando por várias ruas do Bairro Novo Horizonte, inclusive com os atletas encarando a ladeira da Avenida Tocantins no retorno.

A gerente do Sesi em Marabá, Soraya Remor, recorda que a corrida é a pioneira do circuito em Marabá e que 300 pessoas se inscreveram, fora os que entram na “pipoca”, aqueles corredores que não pagam inscrição, mas que acabam participando da competição sem concorrer à premiação. A organização da corrida, inclusive, contou com todo o estafe de professores de educação física do Sesi na cidade.

A jornalista Ana Cristina Lacerda, que se inscreveu para a corrida e fez o tempo de 37 minutos e 58 segundos, lembra que, anteriormente, fazia acima de 50 minutos e que os treinos diários têm ajudado a melhorar o condicionamento, a qualidade de vida e a melhorar o tempo para essa distância.

Turma da Sinobras participou em peso da Corrida do Sesi, que tem foco na indústria

Um dos ícones das corridas em Marabá, embora praticamente não corra nenhuma integralmente, o professor de educação física Gilberto Ferreira celebra os quase oito anos do grupo Viva Mais, que ele fundou e congrega cerca de 110 pessoas, a maioria das quais participa do circuito de corridas na cidade e fora dela.

Ele recorda que no início, muita gente achou que se tratava de modinha e que não iria vingar. “Mas virou tendência e hábito para todo mundo. Fomos o primeiro grupo de corrida em Marabá sistematizado, com método de treino para provas curtas e longas, com planilha, e já levamos pessoas que não eram atletas a participarem de provas que variam entre 5 km e 42 km.

O grupo Viva Mais, segundo ele, dispõe de três professores de Educação Física, além de estagiários e parceria com clínicas cardiológicas e de fisioterapia, farmácia de manipulação e loja de suplementos. “Contamos com uma equipe multidisciplinar que nos ajuda nesse trabalho intenso e permanente”, ressalta.

Democrática, a Corrida do Sesi congrega inscrito e os populares “pipoqueiros”

Na avaliação de Gilberto, atualmente Marabá possui cerca de 15 a 20 grupos de corrida, sendo que uma média de 12 são sistematizados. E foi o interesse e crescimento deste segmento que fez surgir mais corridas no calendário anual. Em 2019, por exemplo, já são 26 corridas agendadas, entre as quais as mais consolidadas são a Corrida do Sesi, Corrida do Aço, Corrida da OAB, entre outras. “Quando ninguém pensava em realizar corridas, o Sesi já promovia a sua na cidade de Marabá”, recorda Gilberto. (Ulisses Pompeu)

Ads