Correio de Carajás

PF prende 4 e inutiliza quase 100 equipamentos em garimpos ilegais no sul do Pará

EM TERRA INDÍGENA

Policiais tiveram apoio de vários helicópteros e fizeram arrastão em uma imensa área de garimpo ilegal
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

A Polícia Federal, com o apoio das Forças Armadas (Marinha, Exército e Força Aérea), da Força Nacional de Segurança Pública, Defensoria Pública da União, IBAMA, FUNAI, Ministério Público Federal e Ministério Público do Trabalho, deflagrou, entre os dias 23 e 25 deste mês, a Operação Muiraquitã 2, para reprimir a prática de garimpos ilegais na Terra Indígena Kayapó, localizada nos municípios de Cumaru do Norte e Ourilândia do Norte. Cerca de 220 integrantes dos órgãos de segurança pública auxiliaram no desencadeamento da operação.

A ação tem como base a retirada de invasores da referida terra indígena, bem como a desativação de garimpos, por meio da apreensão de materiais e destruição de maquinários utilizados na prática ilegal, além da repressão de outros crimes ambientais oriundos da extração ilícita de minérios.

Leia mais:

Ao longo dos trabalhos, diversos garimpos clandestinos de ouro foram paralisados, tendo sido inutilizadas 26 escavadeiras hidráulicas e 67 motores-bombas, além da apreensão de 59 mil litros de óleo diesel e 3 caminhões, sendo um bi trem. Até o momento, 4 pessoas foram presas em flagrante delito. Amostras de ouro foram coletadas e, após analisadas, passarão a constar em um banco de dados da Polícia Federal, que, a longo prazo, permitirá a identificação da origem de futuras apreensões do mineral.

Destaca-se que, devido à grande quantidade de pontos de extração ilegal de minério, a dificuldade de acesso por via terrestre, bem como pela vastidão da área, foram empregados 4 helicópteros ao longo da operação, sendo 3 das Forças Armadas e 1 da Polícia Federal.

A Operação Muiraquitã 2 se insere no contexto de atuações da Polícia Federal para proteção dos povos indígenas mais vulneráveis, a partir da identificação das terras indígenas submetidas a maior atuação de invasores, no território nacional.

Por fim, frisa-se que outras ações estão em fase de planejamento iminentes intervenções em demais áreas tuteladas.

O nome Muiraquitã se refere a artefatos talhados em pedra, chamada de amazonita, representando animais (especialmente sapos, mas também tartarugas ou serpentes). Teriam sido usados pelos povos indígenas Tapajós e Konduri, que habitavam o Baixo Amazonas até a chegada do colonizador europeu, como amuletos, símbolos de poder, e ainda como material para compra e troca de objetos valiosos. (Fonte: Comunicação Social da PF em Redenção)

Comentários

Mais

Menino de 13 anos mata o pai para vingar a morte da mãe

Menino de 13 anos mata o pai para vingar a morte da mãe

Um adolescente de 13 anos matou o próprio pai para vingar a morte da mãe. Após ver o homem matar…
PM dá nocaute no tráfico e prende “Maguila”

PM dá nocaute no tráfico e prende “Maguila”

A Polícia Militar do município de Abel Figueiredo prendeu Antônio da Silva Santos, conhecido como “Maguila”. Ele é acusado de…
Mulher é morta a facadas em Serra Pelada

Mulher é morta a facadas em Serra Pelada

No último sábado (4), uma guarnição da Polícia Militar em Curionópolis prendeu Francisco Alves da Silva por ter assassinado a…
Parauapebas: Assassinato é registrado na VS-10

Parauapebas: Assassinato é registrado na VS-10

Um homem, ainda não identificado pelas autoridades, foi assassinado no Complexo VS-10, em Parauapebas, na tarde desta segunda-feira (6). Testemunhas…
Homem faz criança de refém em centro comercial de Parauapebas

Homem faz criança de refém em centro comercial de Parauapebas

Um incidente grave foi registrado em centro comercial de Parauapebas, localizado no bairro Cidade Nova; um homem identificado como João…
Sinistro causa morte de morador do Cedere

Sinistro causa morte de morador do Cedere

Um acidente na PA-275, em retorno próximo ao bairro Nova Carajás, em Parauapebas, vitimou Fábio Marques de Oliveira, de 55…