Correio de Carajás

Pé d’água de domingo derruba igreja e causa novos alagamentos

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

O domingo começou com chuva, novos alagamentos e estragos para centenas de famílias em vários bairros de Marabá. O prédio da Igreja evangélica Vida, no Bairro Novo Horizonte, desabou na hora da chuva e a Defesa Civil e Corpo de Bombeiros foram ao local para avaliar a extensão dos danos causados e risco para a vizinhança.

Segundo Boletim do INMET (Instituto Nacional de Meteorologia), nas últimas 24 horas choveu em Marabá cerca de 52mm. Embora 9 e 16 tenham apresentado uma precipitação maior 110 mm no dia 9 e 62mm dia 16, o diferencial é que toda a chuva das últimas 24 horas caiu em apenas 3 horas, o que causou estragos expressivos.

A chuva começou de forma serena por volta de 6h30 deste domingo e foi se espalhando por toda a cidade, até ficar forte por volta de 7h30. Apesar dos esforços de dez equipes da Prefeitura nos últimos dias para limpar valas e abrir caminho para a água, os alagamentos se repetiram e alguns lugares que não haviam sido atingidos na última quinta-feira, 16, ocorreram neste domingo.

Leia mais:

A Grota Criminosa transbordou e causou alagamentos em vários pontos da Nova Marabá. Os mais críticos, segundo a Prefeitura, foram as folhas 20 e 17, onde os moradores perderam móveis e ficaram ilhados por um bom tempo.

No núcleo Cidade Nova, os pontos críticos voltaram a ser as avenidas Manaus e Antônio Vilhena, em locais tradicionais de alagamentos. Um dos casos mais lamentáveis do domingo foi registrado na Avenida Tocantins, em frente ao Sesi, onde um prédio que abrigava a Igreja Vida foi ao chão por volta de 8 horas, quando a chuva estava mais forte. (Leia entrevista como pastor em matéria auxiliar daqui a pouco).

Jairo Milhomem, coordenador da Defesa Civil Municipal, esteve no local após o desabamento com equipe técnica para avaliar os danos causados e se há risco para outros prédios às proximidades. “Para saber o que houve, de fato, será feito uma perícia técnica para avaliar se houve, ou não, um problema de estrutura antiga, fundação ou de outra natureza. Vamos pedir para os proprietários retirarem os entulhos com cautela, porque há paredes que não caíram e podem ser danificadas com esse trabalho”, diz.

Questionado se a Prefeitura envia socorro para atender as famílias que ligam para os números telefônicos que estão sendo disponibilizados nas redes sociais, Jairo disse que não é esse o objetivo. A intenção é receber informações mais rápidas e precisas sobre pontos de alagamentos para enviar equipes para tentar desobstruir o que estiver impedindo a passagem da água.

Sobre os alagamentos, o coordenador da Defesa Civil colocou parte da culpa nos moradores, que passam a residir em áreas de risco e há ainda agravante da destinação inadequada do lixo doméstico e até mesmo industrial, que acabam indo para os canais de escoação de água. “Houve alagamentos hoje, mas já foram bem menores que nos dias anteriores, graças ao trabalho realizado pela Prefeitura”, minimizou.

Jairo Milhomem aconselhou que em dias de chuva mais fortes, as pessoas que residem em áreas de risco de alagamento deixem suas casas portando documentos e bens que considerar mais valiosos. “Aconselho também que procurem a Defesa Civil através do número 3321-8990 para que possamos mapear os problemas para passar a quem de direito: Secretaria de Urbanismo, de Obras ou Corpo de Bombeiros”.

Manaus só no verão

Em relação ao drama da Avenida Manaus, Jairo confirmou que a pretensão do atual governo é realizar uma licitação para contratar empresa para refazer todo o sistema de drenagem da água daquela via. A tubulação atual não dá conta de escoar todo o volume de água que desce de parte da Cidade Nova.

Demolição de muros

Também procurada pela Reportagem do CORREIO no início da tarde deste domingo, a Assessoria de Comunicação da Prefeitura informou que as equipes da Secretaria de Urbanismo estão trabalhando desde as primeiras horas do dia para minimizar os impactos dos alagamentos, limpando quintais de residências para abrir passagem para a água, inclusive fez isso desde sexta-feira na Avenida Manaus. “O Departamento de Postura vai, a partir de amanhã (segunda-feira) começar a demolição de muros e construções em cima de grotas e vias de água”, anunciou. (Patrick Roberto e Ulisses Pompeu)

O domingo começou com chuva, novos alagamentos e estragos para centenas de famílias em vários bairros de Marabá. O prédio da Igreja evangélica Vida, no Bairro Novo Horizonte, desabou na hora da chuva e a Defesa Civil e Corpo de Bombeiros foram ao local para avaliar a extensão dos danos causados e risco para a vizinhança.

Segundo Boletim do INMET (Instituto Nacional de Meteorologia), nas últimas 24 horas choveu em Marabá cerca de 52mm. Embora 9 e 16 tenham apresentado uma precipitação maior 110 mm no dia 9 e 62mm dia 16, o diferencial é que toda a chuva das últimas 24 horas caiu em apenas 3 horas, o que causou estragos expressivos.

A chuva começou de forma serena por volta de 6h30 deste domingo e foi se espalhando por toda a cidade, até ficar forte por volta de 7h30. Apesar dos esforços de dez equipes da Prefeitura nos últimos dias para limpar valas e abrir caminho para a água, os alagamentos se repetiram e alguns lugares que não haviam sido atingidos na última quinta-feira, 16, ocorreram neste domingo.

A Grota Criminosa transbordou e causou alagamentos em vários pontos da Nova Marabá. Os mais críticos, segundo a Prefeitura, foram as folhas 20 e 17, onde os moradores perderam móveis e ficaram ilhados por um bom tempo.

No núcleo Cidade Nova, os pontos críticos voltaram a ser as avenidas Manaus e Antônio Vilhena, em locais tradicionais de alagamentos. Um dos casos mais lamentáveis do domingo foi registrado na Avenida Tocantins, em frente ao Sesi, onde um prédio que abrigava a Igreja Vida foi ao chão por volta de 8 horas, quando a chuva estava mais forte. (Leia entrevista como pastor em matéria auxiliar daqui a pouco).

Jairo Milhomem, coordenador da Defesa Civil Municipal, esteve no local após o desabamento com equipe técnica para avaliar os danos causados e se há risco para outros prédios às proximidades. “Para saber o que houve, de fato, será feito uma perícia técnica para avaliar se houve, ou não, um problema de estrutura antiga, fundação ou de outra natureza. Vamos pedir para os proprietários retirarem os entulhos com cautela, porque há paredes que não caíram e podem ser danificadas com esse trabalho”, diz.

Questionado se a Prefeitura envia socorro para atender as famílias que ligam para os números telefônicos que estão sendo disponibilizados nas redes sociais, Jairo disse que não é esse o objetivo. A intenção é receber informações mais rápidas e precisas sobre pontos de alagamentos para enviar equipes para tentar desobstruir o que estiver impedindo a passagem da água.

Sobre os alagamentos, o coordenador da Defesa Civil colocou parte da culpa nos moradores, que passam a residir em áreas de risco e há ainda agravante da destinação inadequada do lixo doméstico e até mesmo industrial, que acabam indo para os canais de escoação de água. “Houve alagamentos hoje, mas já foram bem menores que nos dias anteriores, graças ao trabalho realizado pela Prefeitura”, minimizou.

Jairo Milhomem aconselhou que em dias de chuva mais fortes, as pessoas que residem em áreas de risco de alagamento deixem suas casas portando documentos e bens que considerar mais valiosos. “Aconselho também que procurem a Defesa Civil através do número 3321-8990 para que possamos mapear os problemas para passar a quem de direito: Secretaria de Urbanismo, de Obras ou Corpo de Bombeiros”.

Manaus só no verão

Em relação ao drama da Avenida Manaus, Jairo confirmou que a pretensão do atual governo é realizar uma licitação para contratar empresa para refazer todo o sistema de drenagem da água daquela via. A tubulação atual não dá conta de escoar todo o volume de água que desce de parte da Cidade Nova.

Demolição de muros

Também procurada pela Reportagem do CORREIO no início da tarde deste domingo, a Assessoria de Comunicação da Prefeitura informou que as equipes da Secretaria de Urbanismo estão trabalhando desde as primeiras horas do dia para minimizar os impactos dos alagamentos, limpando quintais de residências para abrir passagem para a água, inclusive fez isso desde sexta-feira na Avenida Manaus. “O Departamento de Postura vai, a partir de amanhã (segunda-feira) começar a demolição de muros e construções em cima de grotas e vias de água”, anunciou. (Patrick Roberto e Ulisses Pompeu)

Comentários

Mais

Fiocruz: acordo vai combater transmissão congênita da doença de Chagas

Fiocruz: acordo vai combater transmissão congênita da doença de Chagas

Um convênio assinado hoje (14) pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e a agência internacional Central Internacional para a Compra de…
Abertura de empresas bate recorde em 2020, diz Serasa

Abertura de empresas bate recorde em 2020, diz Serasa

Em 2020, foram abertas 3,3 milhões de novas empresas, segundo levantamento da Serasa Experian. O número representa um crescimento de…
Covid: saúde mental piorou para 53% dos brasileiros sob pandemia, aponta pesquisa

Covid: saúde mental piorou para 53% dos brasileiros sob pandemia, aponta pesquisa

Mais da metade dos brasileiros entrevistados por uma pesquisa declararam que sua saúde emocional e mental piorou desde o início…
Como escolher um bom café? Mitos e curiosidades sobre a bebida queridinha dos brasileiros

Como escolher um bom café? Mitos e curiosidades sobre a bebida queridinha dos brasileiros

A segunda bebida mais consumida no mundo é também aquela que hoje serve como instrumento para aproximar ainda mais as…
Terminam hoje inscrições para o Sisu do primeiro semestre

Terminam hoje inscrições para o Sisu do primeiro semestre

Termina hoje (14), às 23h59, o prazo de inscrições para o processo seletivo do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) do primeiro semestre…
Decisão judicial ratifica atuação da Arcon no combate ao transporte clandestino

Decisão judicial ratifica atuação da Arcon no combate ao transporte clandestino

Decisão favorável do Tribunal de Justiça do Estado do Pará (TJPA), no final do mês passado, ratifica o poder de…