Correio de Carajás

Pará ocupa o primeiro lugar no ranking das exportações minerais do Brasil

Foto: Ascom Simineral

NO TOPO

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Um levantamento realizado pelo Sindicato das Indústrias Minerais do Pará (Simineral), aponta que o Pará ocupa o primeiro lugar no ranking das exportações minerais do Brasil. A participação paraense é de 36% do total das exportações minerais, resultado dos 57 milhões de toneladas exportadas, equivalente a US $8,151 bilhões.

Na sequência, aparecem os estados de Minas Gerais com participação de 31%; Espirito Santo com 7%; São Paulo com 5%; e Rio de Janeiro com 4%. Os demais estados da federação, juntos, somam a participação de 17%.

Segundo o Presidente do Simineral, Anderson Baranov, o crescimento da maioria dos minérios na balança comercial do Estado é um bom sinal para a economia paraense.

Leia mais:

“Isso atrai investimentos cada vez maiores para o nosso estado e torna possível que possamos desenvolver a economia, mas especialmente, o lado social, tão impactado pela pandemia. De que forma? Gerando emprego e renda para as comunidades onde atuamos e apoiamos autoridades locais em projetos que auxiliem esse desenvolvimento”, disse.

Os dados são referentes aos primeiros quatro meses de 2021, com base em dados do Ministério da Economia e da Agência Nacional de Mineração (ANM).

Impacto na economia paraense

Do total das exportações feitas pelo estado do Pará no primeiro quadrimestre deste ano, a mineração representou 94%. A Indústria de Mineração teve alta de 78% comparado com o mesmo período do ano passado, rendendo US $7,618 Bilhões.

Os principais produtos exportados são o minérios: Ferro, Cobre, Alumina, Alumínio, Níquel, Ouro, Caulim, Manganês, Bauxita, Silício e Ferro Gusa. Na comparação com o mesmo período do ano passado, dos 11 principais minérios exportados pelo estado do Pará, 7 tiveram alta nos preços, elevando a balança comercial.

O minério de Ferro cresceu 90%; seguido pelo Ferro Níquel com 76%; pelo Ouro com 57%; pelo Cobre com 38%; pelo Manganês com 36%; pelo Alumínio com 22%; e pela Bauxita com 7%.

Compensação Financeira

Parauapebas e Canaã dos Carajás despontam no cenário brasileiro como os maiores municípios arrecadadores da Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (CFEM) do Pará. Juntos, eles representam 43% de recolhimento de CFEM.

O estado do Pará recolheu, de janeiro a abril de 2021, R $1,363 Bilhão, representando 48% de recolhimento de CFEM do Brasil, mostrando um crescimento de 97% em relação ao mesmo período do ano anterior.

No primeiro quadrimestre de 2021, aproximadamente 91% dos royalties do estado foram dos municípios de Parauapebas, Canaã dos Carajás e Marabá. (Ascom Simineral)

Comentários

Mais

Uepa abre inscrições para novo processo seletivo

Uepa abre inscrições para novo processo seletivo

AUniversidade do Estado do Pará (Uepa) inicia nesta quarta-feira (16) as inscrições ao novo Processo Seletivo 2021 (Prosel 2021-2), para…
IBGE atualiza limites de municípios no mapa da Amazônia Legal

IBGE atualiza limites de municípios no mapa da Amazônia Legal

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou hoje (16) o novo mapa da Amazônia Legal para 2020, com base…
Por que o dólar caiu, mas a gasolina e o diesel continuam subindo?

Por que o dólar caiu, mas a gasolina e o diesel continuam subindo?

O dólar vem se desvalorizando em relação ao real e acumula perdas de 3,74% em 2021 (de 4 de janeiro…
SAMU faz cerca de 700 atendimentos por mês em Marabá

SAMU faz cerca de 700 atendimentos por mês em Marabá

É difícil imaginar um acidente de trânsito com vítima e não lembrar de chamar o Serviço de Atendimento Móvel de…
Trabalhadores nascidos em novembro podem sacar auxílio emergencial

Trabalhadores nascidos em novembro podem sacar auxílio emergencial

A partir desta quarta-feira (16), os trabalhadores informais e inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) nascidos…
Anvisa autoriza importação excepcional da vacina Sputnik V

Anvisa autoriza importação excepcional da vacina Sputnik V

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) concedeu autorização, por meio do Circuito Deliberativo nº 539/2021, para a importação excepcional…