Correio de Carajás

Pai de Davi Luiz deverá responder por homicídio culposo

Nenhum resto mortal de Davi Luiz foi encontrado até o momento/ Foto: Divulgação

Ele pegou a moto náutica sem permissão, depois de beber, e ainda não tinha permissão e nem habilitação para pilotar. Deve responder por “culposo”

O caseiro Luciano Alves Ferreira, pai do pequeno Davi Luiz Alves Souza, de 3 anos, deve responder pelo crime de homicídio culposo. A confirmação foi feita ontem (25), por telefone, pelo delegado William Crispim, que conduz o inquérito policial que investiga a morte da criança. Davi Luiz caiu da garupa da moto náutica pilotada pelo pai, na madrugada do dia 15, no Rio Tocantins, em Marabá, e seu corpo nunca foi encontrado.

A reportagem deste CORREIO apurou que, pouco tempo depois de prestar depoimento, Luciano foi embora de Marabá e estaria, desde então, em uma fazenda no município de Palestina do Pará.

Luciano era caseiro e morava, com a família, na área da náutica onde estava guardada a moto aquática em que ele saiu para passear na madrugada da tragédia. Isso explica o fato de a criança estar com ele naquele horário no local de trabalho.

O jet ski pilotado por Luciano pertence ao proprietário da náutica e tinha sido usado durante o dia por um amigo deste, que deixou o equipamento no galpão com a chave na ignição, como muitos fazem, e Luciano pegou a pequena embarcação, sem permissão de ninguém. Além disso, Luciano não tinha permissão e nem habilitação para conduzir embarcação.

O caseiro pode ter feito isso porque estava sob efeito de bebida alcoólica. Prova disso é que, ao ser conduzido para a delegacia, ele foi submetido ao teste do etilômetro (bafômetro), que confirmou a ingestão de bebida alcoólica com teor de 0.47mg/L. essa quantidade de álcool no sangue já é considerada crime.

As buscas pelo corpo da criança foram intensas, mas foram suspensas sem sucesso/ Foto: Evangelista Rocha

Repercussão na NET

Nas redes sociais, a situação de Luciano gera opiniões controversas. Há quem diga que ele não pode ser julgado, pois nenhum pai em sã consciência desejaria a morte do próprio filho, principalmente uma criança.

Há quem defenda, inclusive, que ele não precisa sofrer nenhuma punição, pois o peso de ter sido responsável pela morte do pequeno Davi Luiz é uma condenação que ele carregará para o resto da vida.

Por outro lado, muitas pessoas são de opinião contrária. Entendem que ele precisa pagar pelo que fez, na forma da lei, pois sua conduta foi irresponsável e provocou a morte de um inocente.

SAIBA MAIS

Ao passo em que a Polícia Civil começa a trabalhar na apuração do afogamento de Davi Luiz, para identificar os possíveis culpados, o Corpo de Bombeiros anunciou formalmente o fim das buscas pelo corpo da criança. Mesmo assim, amigos da família e a comunidade do Bairro Santa Rosa, onde ele morava, ainda mantêm buscas por conta própria.

Comentários

Mais

Agrediu vítima, roubou celular e foi preso em flagrante

Agrediu vítima, roubou celular e foi preso em flagrante

Alex Soares de Sousa foi preso na manhã de domingo (3) após derrubar uma mulher no chão e tomar, à…
Adolescente morre afogado no Rio Parauapebas

Adolescente morre afogado no Rio Parauapebas

Uma tragédia tirou a vida do jovem Victor Tarcísio Silva dos Santos, de 12 anos, neste final de semana, em…
Trânsito violento de Marabá mata 35 pessoas em 6 meses

Trânsito violento de Marabá mata 35 pessoas em 6 meses

Férias escolares, praia, lazer, curtição e bebedeira são alguns sinônimos do verão amazônico. O mês de julho marca o ápice…
Fim de semana é marcado por casos de violência contra mulher

Fim de semana é marcado por casos de violência contra mulher

Sábado e domingo seguem sendo dias conturbados para mulheres em Marabá. Como de (péssimo) costume, casos de violência foram registrados…
Condutor de caminhão atropela homem, foge, mas é pego momentos depois

Condutor de caminhão atropela homem, foge, mas é pego momentos depois

Um homem identificado como Elvis Santos Rondon dos Reis morreu na madrugada deste sábado (2), vítima de um acidente de…
Paciente xinga funcionários e quebra porta no HMM

Paciente xinga funcionários e quebra porta no HMM

Um paciente identificado como Cristiano Eduardo Campos ficou revoltado com o atendimento do Hospital Municipal de Marabá (HMM), xingou funcionários…