Fêmeas migram mais de 400 quilômetros para desovar no Tabuleiro do Embaubal. — Foto: Cicero Santos/Ibama
Ads

O Ministério Público Federal (MPF) cobrou um plano de fiscalização para o Tabuleiro do Embaubal, que abriga um dos maiores e mais importantes sítios de reprodução de quelônios do mundo. O espaço fica no município de Senador José Porfírio, no sudoeste do Pará.

Ads

De acordo com vistoria feita pelo MPF, a equipe de fiscalização e os equipamentos disponíveis não são suficientes para garantir proteção das espécies, aumentando a pesca ilegal e o tráfico de animais.

O plano de ação deve ser apresentado em Altamira no dia 22 de agosto, em reunião entre o MPF, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Pará (Semas), Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Estado do Pará (Ideflor-bio) e Norte Energia, responsável pela hidrelétrica de Belo Monte.

“A proteção das tartarugas deve ocorrer ao longo da rota migratória, o que impõe que a fiscalização inicie no mês de agosto, permanecendo até dezembro com equipe adequada, e não há notícia de planejamento de ação para o ano de 2019”, alerta a procuradora da República Thais Santi.

Tabuleiro

O Tabuleiro do Embaubal é considerado um santuário da vida silvestre, por ser berçário da vida aquática no Xingu. É uma área de reprodução de fêmeas de tartarugas que migram mais de 400 quilômetros, desde o arquipélago do Marajó e do baixo Amazonas, até o local.

Com o início das obras da Usina de Belo Monte, o impacto do empreendimento garantiu o monitoramento desse animais como uma das contrapartidas ambientais impostas pelo Ibama.

(Fonte:G1)

Ads