Correio de Carajás

MPE emite manifestação favorável ao plano de imunização dos profissionais da Educação

Foto: Marco Santos / Ag.Pará

COVID-19

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

O Ministério Público do Estado (MPE) emitiu, na sexta-feira (21), manifestação favorável ao plano de antecipação da vacinação dos profissionais da educação do Pará, desenvolvido pelo Governo do Estado, e às etapas de imunização estabelecidas, conforme grupos prioritários. No documento, o órgão entende como imprescindível que o plano esteja diretamente vinculado ao retorno das atividades educacionais presenciais.

“Assim, com base nos dados, estudos e fundamentos científicos trazidos, e considerando que a imunização dos profissionais da educação é imprescindível para a retomada das atividades educacionais presenciais de forma segura e, consequentemente, para a garantia do exercício do direito fundamental à educação, o MPPA entende, portanto, que se encontram presentes no momento razões aptas a justificar a alteração do Plano Paraense de Vacinação, de modo a priorizar a imunização da categoria dos profissionais da educação”, ressaltaram na manifestação os promotores de Justiça, Fábia de Melo-Fournier, Carlos Eugênio Salgado dos Santos e Ioná Silva Nunes.

De acordo com a Nota Técnica nº 09/2021-DVS/SESPA, elaborada pela Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), através da sua Diretoria de Vigilância em Saúde, e submetido ao Ministério Público para apreciação, o plano de antecipação da vacinação dos profissionais da educação contra a Covid-19 prevê cinco fases de imunização e será executado de forma concomitante à vacinação do grupo prioritário de pessoas com comorbidades, com idade entre 18 e 59 anos, que já vem sendo executada.

Leia mais:

Ainda segundo a manifestação do MPE, respaldado por decisões do Supremo Tribunal Federal (STF) e por despacho do ministro Ricardo Lewandowski do STF, na RCL 46965 MC/RJ, o Ente Estadual tem certa margem de liberdade para alterar o seu plano de vacinação. “Sendo, contudo, imprescindível que esteja assentado em fundamentos técnicos e científicos que justifiquem a alteração pretendida. Desta forma, a Nota Técnica apresenta dados e estudos que atestam os impactos negativos acarretados às crianças e jovens pelo fechamento prolongado das instituições de ensino e, por outro lado, que esse público está menos propenso a se infectar com o coronavírus”, reforçaram os promotores.

A decisão de antecipar a imunização dos profissionais da educação da 4ª para a 3ª fase do Plano Paraense de Vacinação, de acordo com a NT nº 09/2021, visa dar continuidade ao serviço público essencial da Educação, com foco no atendimento da comunidade escolar, na preservação do ensino de qualidade e no atendimento às necessidades de professores e alunos.

“O plano foi elaborado após reuniões realizadas entre o Governo do Estado, entidades sindicais e o MPE. É importante destacar que a vacinação dos profissionais da área, em conjunto a medidas preventivas, garante a mínima segurança para o retorno das atividades”, complementou o procurador-geral do Estado, Ricardo Sefer.

Neste momento, de acordo com o planejamento do Estado, estão sendo disponibilizadas para atender a categoria, aos 144 municípios paraenses, 50 mil doses da AstraZeneca, que tem uma eficácia de 63,9% já na primeira dose, o que possibilitará o retorno das atividades presenciais nas instituições de ensino, quinze dias após a aplicação da vacina.

O plano também prevê que a vacinação ocorra em seis fases de imunização:

1ª – Educação Infantil e Atendimento Especializado;

2ª – Ensino Fundamental;

3ª – Ensino Médio;

4ª – EJA; 5ª – Atividade Complementar;

6ª – Ensino Superior.

“Com as 50 mil doses iniciais, vamos conseguir atender a todos da primeira fase e parte da segunda, referente àqueles que atuam no Ensino Fundamental. A distribuição das doses já iniciou para as prefeituras. A partir daí, os Municípios vão definir o calendário para a aplicação da vacina, seguindo a orientação do plano, assim como locais e horários, forma de comprovação e os detalhes necessários para que a vacinação avance”, concluiu o procurador-geral. (Agência Pará)

Comentários

Mais

Dr. Naves retorna a Marabá e é recebido com festa por familiares e amigos

Dr. Naves retorna a Marabá e é recebido com festa por familiares e amigos

José Divino Naves, mais conhecido como Dr. Naves, desembarcou às 16h30 deste sábado (18) em Marabá, após passar 5 meses…
Índice reúne dados sobre a inclusão de brasileiros com deficiência

Índice reúne dados sobre a inclusão de brasileiros com deficiência

Passados 11 anos desde a realização do último censo nacional, o Instituto Olga Kos de Inclusão Cultural, uma associação sem…
Anvisa aprova indicação de baricitinibe para covid-19

Anvisa aprova indicação de baricitinibe para covid-19

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou na noite desta sexta-feira que aprovou a indicação do medicamento baricitinibe para…
Pará registra 587.922 casos de Covid-19 e 16.578 mortes pela doença

Pará registra 587.922 casos de Covid-19 e 16.578 mortes pela doença

O Pará contabilizou mais 51 casos de Covid-19 e 4 mortes causadas pela doença. Segundo o boletim divulgado pela Secretaria…
“Forma Pará” recepciona calouros de Jacundá e Itupiranga

“Forma Pará” recepciona calouros de Jacundá e Itupiranga

“O Forma Pará, antes de qualquer coisa, é um programa que cuida de pessoas. E vocês também serão profissionais que…
Família de adolescente morto por “Trem da Alegria” não recebeu apoio financeiro da empresa

Família de adolescente morto por “Trem da Alegria” não recebeu apoio financeiro da empresa

A família do adolescente Marcos Henrique dos Santos, de 14 anos, que foi morto na noite desta quinta-feira (16), no…