Correio de Carajás

Morre em Parauapebas 6º bandido mais perigoso do Brasil

Tina Santos

Acabaram neste final de semana as buscas pelo bandido considerado o sexto mais perigoso do país. Marcelo Waldir Fabriciano Duque, o Tarzan, de 33 anos, morreu em troca de tiros com policiais, em Parauapebas, na manhã de ontem, domingo (25).  A operação foi realizada pela Delegacia Especializada em Investigações Criminais (DEIC) (Sul e Norte), Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc), de Parauapebas, Grupo Tático Operacional (GTO) da Polícia Militar do Pará e por equipes da Polícia Civil do Tocantins.

Após investigações, soube-se que Tarzan e mais dois homens envolvidos em um assalto a banco ocorrido neste mês em Gurupi, no Tocantins, estariam escondidos em Parauapebas. Com mandados de prisão em nome dos três, as polícias dos dois estados iniciaram as buscas e ao localizarem Waldir Fabriciano ele teria trocado tiros com os agentes, sendo baleado.

Leia mais:

Tarzan chegou a ser socorrido e encaminhado para o Hospital Geral de Parauapebas (HGP), mas não resistiu. Uma mulher, Escarlet Lagares Farias, de 24 anos, e um homem cujo nome ainda não foi divulgado foram presos na ação. Foram apreendidas uma pistola Glock, calibre 9mm, com dois carregadores e vasta munição; um revólver calibre 38; R$ 5.200; aparelhos celulares; roupas e calçados, elásticos comumente utilizados para prender grandes quantias em cédulas; vários envelopes do Banco do Brasil; entre outros objetos.

As equipes continuam fazendo buscas em busca do terceiro homem que conseguiu fugir. Há informação de que o bando planejava nova ação, desta vez um assalto a agências bancárias do núcleo de Carajás. De acordo com o delegado Rafael Falcão, que está à frente da operação, Tarzan usava três identidades e uma carteira de habilitação falsas.

 

Tina Santos

Acabaram neste final de semana as buscas pelo bandido considerado o sexto mais perigoso do país. Marcelo Waldir Fabriciano Duque, o Tarzan, de 33 anos, morreu em troca de tiros com policiais, em Parauapebas, na manhã de ontem, domingo (25).  A operação foi realizada pela Delegacia Especializada em Investigações Criminais (DEIC) (Sul e Norte), Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc), de Parauapebas, Grupo Tático Operacional (GTO) da Polícia Militar do Pará e por equipes da Polícia Civil do Tocantins.

Após investigações, soube-se que Tarzan e mais dois homens envolvidos em um assalto a banco ocorrido neste mês em Gurupi, no Tocantins, estariam escondidos em Parauapebas. Com mandados de prisão em nome dos três, as polícias dos dois estados iniciaram as buscas e ao localizarem Waldir Fabriciano ele teria trocado tiros com os agentes, sendo baleado.

Tarzan chegou a ser socorrido e encaminhado para o Hospital Geral de Parauapebas (HGP), mas não resistiu. Uma mulher, Escarlet Lagares Farias, de 24 anos, e um homem cujo nome ainda não foi divulgado foram presos na ação. Foram apreendidas uma pistola Glock, calibre 9mm, com dois carregadores e vasta munição; um revólver calibre 38; R$ 5.200; aparelhos celulares; roupas e calçados, elásticos comumente utilizados para prender grandes quantias em cédulas; vários envelopes do Banco do Brasil; entre outros objetos.

As equipes continuam fazendo buscas em busca do terceiro homem que conseguiu fugir. Há informação de que o bando planejava nova ação, desta vez um assalto a agências bancárias do núcleo de Carajás. De acordo com o delegado Rafael Falcão, que está à frente da operação, Tarzan usava três identidades e uma carteira de habilitação falsas.

 

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.