Correio de Carajás

Maternidade insalubre entra na mira do MP

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

O promotor de justiça Gerson Alberto de França, da Promotoria de São Félix do Xingu, expediu recomendação ao prefeito e secretário municipais para que adotem imediatamente providências necessárias e legais para melhorar as condições de prestação de serviços do Hospital Maternidade Municipal. Recente vistoria apontou falhas de infraestrutura no local que colocam em risco a vida de recém-nascidos, pacientes e funcionários.

A recomendação é datada do último dia 23 de junho. O Ministério Público do Estado do Pará (MPPA) tomou conhecimento da situação através de relatório elaborado pela Secretaria Estadual de Saúde do Pará (Sespa), que vistoriou a maternidade e identificou risco de incêndio e de desmoronamentos de reboco das paredes e forros. A sujeira e as infiltrações são fontes de infecção para pacientes, acompanhantes e trabalhadores de saúde. Há, ainda, ausência de climatização, o que torna o ambiente ainda mais insalubre.

Após tomar ciência, o promotor Gerson de França visitou as instalações da maternidade e constatou as péssimas condições do prédio, que é de total insegurança. Além de recomendar que a prefeitura tome as providências necessárias, o representante do MPPA citou ainda a necessidade de transferir, em caráter emergencial, os serviços essenciais para um prédio que ofereça condições mínimas para o funcionamento de uma casa de saúde.

Leia mais:

O MPPA determinou prazo de 20 dias para que sejam encaminhadas informações sobre o acatamento e as medidas adotadas para o cumprimento da recomendação. O não atendimento sem justificativa da recomendação importará na responsabilização e no ajuizamento das medidas judiciais cabíveis, incluindo a responsabilização civil e penal.

O promotor de justiça Gerson Alberto de França, da Promotoria de São Félix do Xingu, expediu recomendação ao prefeito e secretário municipais para que adotem imediatamente providências necessárias e legais para melhorar as condições de prestação de serviços do Hospital Maternidade Municipal. Recente vistoria apontou falhas de infraestrutura no local que colocam em risco a vida de recém-nascidos, pacientes e funcionários.

A recomendação é datada do último dia 23 de junho. O Ministério Público do Estado do Pará (MPPA) tomou conhecimento da situação através de relatório elaborado pela Secretaria Estadual de Saúde do Pará (Sespa), que vistoriou a maternidade e identificou risco de incêndio e de desmoronamentos de reboco das paredes e forros. A sujeira e as infiltrações são fontes de infecção para pacientes, acompanhantes e trabalhadores de saúde. Há, ainda, ausência de climatização, o que torna o ambiente ainda mais insalubre.

Após tomar ciência, o promotor Gerson de França visitou as instalações da maternidade e constatou as péssimas condições do prédio, que é de total insegurança. Além de recomendar que a prefeitura tome as providências necessárias, o representante do MPPA citou ainda a necessidade de transferir, em caráter emergencial, os serviços essenciais para um prédio que ofereça condições mínimas para o funcionamento de uma casa de saúde.

O MPPA determinou prazo de 20 dias para que sejam encaminhadas informações sobre o acatamento e as medidas adotadas para o cumprimento da recomendação. O não atendimento sem justificativa da recomendação importará na responsabilização e no ajuizamento das medidas judiciais cabíveis, incluindo a responsabilização civil e penal.

Comentários

Mais

Butantan recebe 3 mil litros de IFA para produzir mais 5 milhões de doses da Coronavac

Butantan recebe 3 mil litros de IFA para produzir mais 5 milhões de doses da Coronavac

O Instituto Butantan recebeu, na manhã desta segunda-feira (19), mais 3 mil litros do Insumo Farmacêutico Ativo (IFA), matéria-prima para…
Pará registra 451.192 casos de Covid-19 e 11.900 mortes

Pará registra 451.192 casos de Covid-19 e 11.900 mortes

O Pará registrou, neste domingo (18), um total de 451.192 casos de Covid-19 e 11.900 mortes. De acordo com o…
Indígenas usam tecnologias para manter língua e cultura vivas

Indígenas usam tecnologias para manter língua e cultura vivas

O xokleng é uma língua falada apenas por uma comunidade indígena no Vale do Alto Itajaí, na região central de…
Divisa interdita empresa que envasava oxigênio de forma irregular em Marabá

Divisa interdita empresa que envasava oxigênio de forma irregular em Marabá

A Divisa (Divisão de Vigilância Sanitária) de Marabá recebeu denúncia anônima de suposto envasamento inapropriado de gás oxigênio para fins…
Pandemia e isolamento aumentam procura por cultivo de plantas em casa

Pandemia e isolamento aumentam procura por cultivo de plantas em casa

Em isolamento social, as pessoas tendem a sentir falta de sair e do contato com a natureza, por isso, ter…
Mundo chega a 3 milhões de mortes por Covid com piora da pandemia na América do Sul

Mundo chega a 3 milhões de mortes por Covid com piora da pandemia na América do Sul

O mundo chegou neste sábado (17) à triste marca de 3 milhões de mortes causadas pela Covid-19, em meio à…