Exames de vista, entre outros, foram oferecidos aos caminhoneiros/ Fotos: Fotos: Evangelista Rocha
Ads

Com o intuito de reduzir a violência e acidentes no trânsito nas rodovias federais, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) promoveu, juntamente com mais 20 parceiros, o 2° Comando de Saúde, em Marabá. O evento, voltado para atendimentos de caminhoneiros, ocorreu na manhã de ontem, dia 9, das 8 às 12 horas, no Posto Fiscal da BR-155, sentido Eldorado dos Carajás. Mais de 120 motoristas foram atendidos no local. Um dos parceiros para o êxito do atendimento foi a indústria Sinobras.

Ads

O objetivo da ação foi buscar e detectar alterações de saúde entre motoristas profissionais de veículos de carga que, submetidos a longas jornadas de trabalho, não cuidam da própria saúde. As consequências de um acidente envolvendo veículos de grande porte são imprevisíveis, sobretudo quando se trata de produtos que representem risco para o meio ambiente.

Durante o evento, foram realizados diversos tipos de avaliações e exames, como a pesquisa de doenças pré-existentes, aferição de pressão arterial, níveis de glicose, acuidade visual e auditiva, campo visual, força manual, vacinação, grau de sonolência, dentre outros.

De acordo com Marcelino Campelo, responsável pelo Núcleo de Prevenção de Acidentes da PRF, a finalidade da ação, além de verificar a saúde dos caminhoneiros, foi também de coletar dados estatísticos para pesquisas que investigam a situação desses motoristas. “Depois esses dados serão encaminhados para serem divulgados a nível nacional”, explicou o agente.

Ação movimentou posto de combustível no Distrito Industrial de Marabá

Parceiros

O Sest Senat é parceiro do evento e levou nutricionistas e psicólogos para realizarem atendimentos aos motoristas. Além disso, colaboradores da entidade deram orientações profissionais referentes aos cursos oferecidos na instituição e tiraram dúvidas sobre diversos serviços. “A PRF nos convidou para participar dessa ação, um evento de grande porte e muito importante, que se assemelha às ações que a gente já realiza no Sest Senat”, afirmou Jessica Abreu, diretora da unidade de Marabá.

A Reportagem conversou com o caminhoneiro Ailson de Oliveira Amorim (50), que afirma ter sido parado pela PRF para participar da ação. “Já fiz exame de vista, auferi pressão, passei por quase todos esses atendimentos de saúde. Agora estou só esperando receber o resultado deles”, replicou o motorista ao Jornal.

As estudantes do curso de Psicologia da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa), Letícia Freire e Talita Garcia, também marcaram presença como convidadas da ação. No local, elas conscientizavam os motoristas a respeito das violências no trânsito. “O trabalho que estamos fazendo aqui é de conscientização, ou seja, é uma clínica estendida. A gente traz para a população um trabalho social de como identificar a violência. Muitos deles não sabiam reconhecer essa situação e agora já saíram daqui com essa informação”, respondeu Talita.

Antônio Lacerda, membro do setor de educação do Departamento Municipal de Trânsito e Transporte (DMTU) de Marabá palestrou aos motoristas a sobre a importância de respeitar a sinalização, gentileza no trânsito e a falta de atenção no volante ocasionada por celulares. “Fizemos um apanhado de assuntos e colocamos para eles principalmente a questão da responsabilidade no trânsito”, afirmou.

Segundo Edgard Corrêa, diretor de suprimentos e logística do Grupo Aço Cearense, do qual a Sinobras faz parte, eventos como esses chamam a atenção para a importância da saúde e segurança desses profissionais. “A SINOBRAS apoia esta ação da PRF pois compreende a relevância de alertar motoristas sobre os cuidados com a saúde. Devido à rotina, o caminhoneiro não tem fácil acesso aos serviços. Queremos que todos os nossos colaboradores motoristas de caminhão, próprios ou não, participem e encorajem outros profissionais a fazerem o mesmo”, ressaltou Edgard.

Entenda

Os objetivos dos Comandos de Saúde são: detectar fatores de risco à saúde dos trabalhadores em transporte, educar e orientar os participantes com informações sobre saúde e trânsito, obter indicadores estatísticos sobre o perfil de saúde dos motoristas profissionais e reduzir os acidentes nas rodovias. Estes são apenas alguns dos fatores de risco para a saúde dos profissionais em questão, e indiretamente para a segurança dos que com eles compartilham as rodovias do país.

(Karine Sued)

Ads