Correio de Carajás

Mãe alerta para o agravamento da obesidade infantil durante a pandemia

Fotos: Divulgação
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

“Obesidade infantil é um problema presente na minha vida desde quando eu era criança”, conta Mirza Bitar Assis, mãe de três filhos na faixa etária dos 7 aos 13 anos. “Infelizmente, meus filhos herdaram esse problema, que foi agravado durante o isolamento social.

Sempre fui uma criança gordinha, cresci obesa, fiz redução de estômago, e não deu certo. Sobre a obesidade infantil, entendo ser responsabilidade do adulto em relação aos filhos, mas, muitas vezes isso foge do nosso controle”, relata a mãe. 

Mirza garante ter uma alimentação equilibrada durante a semana. Diz que sua alimentação não é de gordo, não come bolo, sanduíches, mas pondera que no final de semana rola uma pizza, uma macarronada, mas no dia a dia é uma alimentação mais leve. Por ter uma irmã diabética, o consumo de arroz é reduzido e frituras não são permitidas na casa dela.

Leia mais:

Mirza revela que durante a quarentena o ganho de peso “está pior”, já que os filhos tiveram a rotina alterada, sem irem à escola, e também sem praticarem exercícios físicos. “Na escola eles não ficam beliscando, mas aqui eles querem ficar. A ansiedade, o emocional com a pandemia fica afetado. Esse é um problema que a gente precisa ter mais seriedade, promover mais debates”.

A endocrinologista Ávila Fagundes cita que 17% das crianças e adolescentes brasileiros estão com obesidade ou sobrepeso. Isso, deve-se ao tempo de exposição exagerado aos eletrônicos, consumo desregrado de alimentos hipercalóricos e ausência de atividade física.

A médica ressalta também que a alimentação familiar tem muito consumo de produtos industrializados, como o suco, refrigerantes, bolo, pizza e salgadinhos. “Devemos oferecer aos nossos pequenos, alimentos saudáveis, naturais, com menos quantidade de açúcar, lembrar de olhar o rótulo dos alimentos”, orienta a especialista.

Por fim, ela defende que atividades físicas são fundamentais para as crianças, que sempre devem ser prazerosas.   (Theíza Cristhine – colaboração Núbia Mara)

Comentários

Mais

Exposição excessiva de crianças em redes sociais pode causar danos

Exposição excessiva de crianças em redes sociais pode causar danos

A menina Alice, de 5 anos, ama tirar fotos e vídeos. Ela tem um perfil na rede social Instagram administrado…
Pará recebe mais 157.950 mil doses de vacina contra a Covid-19 neste sábado (25)

Pará recebe mais 157.950 mil doses de vacina contra a Covid-19 neste sábado (25)

O Pará recebeu, na madrugada deste sábado (25), a 89ª remessa de vacinas contra a Covid-19 com 157.950 doses da…
Carne e leite: Pará adere ao Sistema Brasileiro de Inspeção

Carne e leite: Pará adere ao Sistema Brasileiro de Inspeção

Nesta sexta-feira (24), o governador do estado, Helder Barbalho, entregou o Certificado de Adesão ao Sistema Brasileiro de Inspeção de…
Marido denuncia que esposa teve útero e intestino perfurados no HMI

Marido denuncia que esposa teve útero e intestino perfurados no HMI

Nada menos que 18 entidades civis, a maioria de defesa da mulher e combate a violências, assinaram uma nota denunciando…
Pará registra 589.962 casos e 16.635 mortes pela Covid-19

Pará registra 589.962 casos e 16.635 mortes pela Covid-19

O Pará contabilizou mais 334 casos de Covid-19 e 5 mortes causada pela doença. Segundo o boletim divulgado pela Secretaria…
Caixa lança nova versão do aplicativo Bolsa Família

Caixa lança nova versão do aplicativo Bolsa Família

Os beneficiários do Bolsa Família têm à disposição a nova versão do aplicativo do programa. A principal mudança consiste no…